1

1

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Fichas de Leitura - Alfabetização!

Fichas de Leitura - Alfabetização!

https://rosangelaprendizagem.blogspot.com/2011/11/fichas-de-leitura-alfabetizacao.html

Tabuadas da Divisão – 1 a 10 ...

Tabuadas da Divisão – 1 a 10

http://rosangelaprendizagem.blogspot.com/

UM SÍMBOLO DO PAÍS...

 
https://rosangelaprendizagem.blogspot.com/search?updated-max=2011-11-23T16:03:00-08:00&max-results=4&start=23&by-date=false

USANDO ROLINHOS DE PAPEL...


USANDO ROLINHOS DE PAPEL

O objetivo desta postagem não é a reprodução mecânica da atividade apresentada, mas servir como inspiração e sugestão para que o professor desenvolva o potencial criativo dos alunos. 




Pode-se tanto usar os rolinhos de papel higiênico, quanto criar os próprios rolinhos...






Tabela e atividades com as consoantes r/ s intercalados e outros.

Tabela e atividades com as consoantes r/ s intercalados e outros.

https://rosangelaprendizagem.blogspot.com/2011/11/tabela-e-atividades-com-as-consoantes-r.html 

Curiosidades sobre alguns Símbolos Natalinos

Curiosidades sobre  alguns Símbolos Natalinos
A Bíblia relata que uma estrela guiou os três Reis Magos desde o Oriente e indicou o lugar onde era possível encontrar o Menino Jesus. São muitas as teorias que tentam explicar este milagre, entre elas está a que se tratava do brilhante planeta Vênus, da passagem dos cometas Halley ou Hale-Bopp, uma ocultação da Lua...Uma das hipóteses aceitas é a do astrônomo Johannes Kleper, que em 1606 afirmou que a estrela era uma rara tripla conjugação da Terra com os planetas Júpiter e Saturno, passando pelo Sol e ao mesmo momento por Peixes. Esta conjugação se apresenta aos olhos do observador terrestre como uma estrela muito brilhante. Outra suposição, esta mais recente, tem a idéia de uma nova estrela brilhante observada próxima da estrela Theta Aquilae.
A estrela de Belém é relembrada situando-a tanto na representação do presépio como na ponta da árvore de Natal.

É com o nome de Missa do Galo que se conhece a missa celebrada na noite de Natal. Sua denominação provém de uma fábula que afirma que foi esse animal o primeiro a presenciar o nascimento de Jesus, ficando encarregado de anunciá-lo ao mundo. Até o começo do século 20 era costume que a meia-noite fosse anunciada dentro do templo por um canto de galo, real ou simulado.Essa missa apareceu no século 5 e, a partir da Idade Média, transformou-se em uma celebração jubilosa longe do caráter solene com que hoje a conhecemos. Até princípios do século 20, perdurou o costume de reservar aos pastores congregados ali o privilégio de serem os primeiros a adorarem o Menino Jesus. Durante a adoração, as mulheres depositavam doces caseiros, que logo trocavam por pão bento ou Pão de Natal.Era também costume reservar um pedaço deste pão como amuleto, ao qual só se podia recorrer em caso de doença grave. Outra tradição que perdurou é a de estreiar nessa noite uma peça de roupa com a qual se afastava o demônio.
Em algumas regiões, esta missa se celebra durante as primeiras horas do dia. Na maioria dos países da América de língua espanhola é tradição que toda a família acuda a ela unida, e para os panamenhos é o momento mais importante das festas.

As esculturas e quadros que enfeitavam os templos para ensinar os fiéis, além das representações teatrais semilitúrgicas que aconteciam durante a missa de Natal serviram de inspiração para que se criasse o presépio, que hoje é uma tradição na Itália, na Espanha, na França, no Tirol austríaco, na Alemanha, na República Checa, na América Latina e nos Estados Unidos.A tradição católica diz que o presépio surgiu no século 13, quando São Francisco de Assis quis celebrar um Natal o mais realista possível e, com a permissão do papa, montou um presépio de palha, com uma imagem do Menino Jesus, um boi e um jumento vivos perto dela. Nesse cenário foi celebradada em 1223 a missa de Natal. O sucesso dessa representação do presépio foi tanta que rapidamente se estendeu por toda a Itália. Logo se introduziu nas casas nobres européias e de lá foi descendo até as classes mais pobres.
Na Espanha, a tradição chegou pela mão do monarca Carlos III, que a importou de Nápoles no século 18. Sua popularidade nos lares espanhóis e latino-americanos se estendeu ao longo do século 19 e na França não o fez até inícios do século 20.

Em 1831, um jornal de Barcelona, na Espanha, quis pôr em funcionamento a técnica da litografia, felicitando seus leitores pelo Natal mediante uma estampa, o que já pode ser considerado uma forma de cartão de Natal. A confecção do primeiro cartão de Natal, no entanto, normalmente é atribuída ao britânico Henry Cole que, em 1843, encomendou a uma gráfica um cartão com a mensagem: "Feliz Natal e Próspero Ano Novo" porque não tinha tempo para escrever pessoalmente a cada um de seus amigos.
Rapidamente, o costume de desejar Boas Festas com o uso de um cartão se estendeu por toda a Europa e, a partir de 1870, esses cartões começaram a ser impressos coloridos. Já a partir dessa época a imagem de Santa Claus - com suas diversas variações ao longo das décadas - começou a ser freqüente nos cartões de Natal.

Fonte: Redação Terra - http://www.terra.com.br/natal/curiosidades_11.htm

Os símbolos de Natal

O homem não vive sem sinais e símbolos.                
Seu pensar, seu conhecer, seu expressar o real e o espiritual é realizado através de símbolos. Ele transforma tudo em símbolos para ser entendido pelos outros. Assim a língua falada e escrita e as artes nas suas diversas expressões (pintura, escultura, música, dança ...) são os símbolos mais comuns.

O homem se expressa simbolicamente também através da fé e da cultura, e o natal é uma expressão de fé e de cultura.

Conheça melhor a grandeza dos significados dos símbolos do Natal:

Árvore de Natal:

No mundo, milhões de famílias celebram o Natal ao redor de uma árvore. A árvore, símbolo da vida, é uma tradição mais antiga do que o próprio Cristianismo, e não é exclusiva de uma só religião.

Muito antes de existir o Natal , os egípcios traziam galhos verdes de palmeiras para dentro de suas casas no dia mais curto do ano em dezembro como um símbolo de triunfo da vida sobre a morte.

Já o costume de ornamentar a árvore pode ter surgido do hábito que os druidas tinham de decorar velhos carvalhos com maçãs douradas para as festividades deste mesmo dia do ano.A primeira referência a uma " Árvore de Natal" é do século XVI. Na Alemanha, famílias ricas e pobres decoravam árvores com papel colorido, frutas e doces. Esta tradição se espalhou pela Europa e chegou aos Estados Unidos pelos colonizadores alemães. Logo, a árvore de Natal passou a ser popular em todo mundo.

Pinheiro:

É a única árvore que não perde suas folhas durante o ano todo. Permanece sempre viva e verde.
Foi usado pela primeira vez pela rainha da Inglaterra Elizabete e por ocasião do dia 25 de Dezembro , quando oferecia uma grande festa e recebia muitos presentes .

Não podendo recebê-los todos pessoalmente pediu que fossem depositados em baixo de uma árvore no jardim.

Origina-se daí, igualmente, o costume depositar os presentes em baixo da árvore.
Árvore verde também trás a esperança , a alegria e a vida nova .
O verde constante do pinheiro, a vida permanente e plena que Jesus Cristo aparece.

Bolas coloridas que enfeitam as árvores.
Simbolizam os frutos da "árvore vida" ou seja, Jesus Cristo.


O Presépio:

Um dos símbolos mais comuns no Natal dos países
católicos é a reprodução do cenário onde Jesus Cristo nasceu: uma manjedoura, animais, pastores, os três reis magos, Maria, José e o Menino Jesus.

O costume de montar presépios surgiu com São Francisco de Assis, que pediu a um homem chamado Giovanni Villita que criasse o primeiro presépio para visualizar, sensibilizar, facilitar a meditação da mensagem evangélica, do, conteúdo, do mistério de Jesus Cristo que nasce na pobreza, na simplicidade.

São Francisco, então, celebrou uma missa em frente deste presépio, inspirando devoção a todos que o assistiam.

Papai Noel:

Ele foi inspirado no bispo Nicolau, que viveu e pontificou na cidade de Myra, Turquia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos.

Sua transformação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha e daí correu o mundo. Nos Estados Unidos, a tradição do velhinho de barba comprida e roupas vermelhas que anda num trenó puxado por renas ganhou força.A figura do Papai Noel que conhecemos hoje foi obra do cartunista Thomas Nast, na revista Harper's Weeklys, em 1881.

O cartão de Natal:

A prática de enviar cartões de Natal surgiu na Inglaterra no ano de 1843. Em 1849 os primeiros cartões populares de Natal começaram a ser vendidos por um artista inglês chamado William Egly.
Independentemente da sofisticação, beleza e simplicidade, os cartões são símbolos do inter-relacionamento do homem. O ser humano é comunicação, é relacionamento. A dimensão dialogal, de comunhão, de empatia vem expresso pela palavra escrita. Ao falarmos em palavra, nos vem à mente o prólogo do evangelho de São João: Cristo é o Verbo, a Palavra criadora, unificadora e salvadora de Deus (Jo 1,1-5).
Os presentes:
Existem muitas origens para este símbolo. Uma delas conta que São Nicolau, um anônimo benfeitor, presenteava as pessoas no período natalino. Outra tradição mais antiga, lembra os três reis magos que presentearam Jesus. O dia e o motivo de dar e receber presentes varia de país para país.
A origem dos presentes por ocasião do final do ano tem origem pagã e que a tradição cristã foi aos poucos assimilando.

Os romanos, há mais de 1500 anos, tinham o costume de enviar presentes aos amigos no início do ano novo. Tal hábito coincidia aos festejos ao deus Janus (um deus bifronte, que olhava para o ano que terminava e para o que começava) e, talvez as origens do nosso reveillon e outras comemorações de fim de ano. Esta festa complementava a festa do sol (25 de dezembro).

Com o crescimento do cristianismo essas festas foram ganhando sentido cristão: Cristo é o Sol que ilumina o caminho dos homens; Ele é o Senhor da História; é o grande presente de Deus à humanidade.

Dar presente é uma maneira muito palpável de demonstrar a solidariedade e bondade humana em dar sem interesse de receber. É vivenciar de maneira simples e ínfima a imensa e infinita bondade de Deus.

Canções de Natal:

A Igreja católica sempre deu muita importância para o valor da música. As primeiras canções natalinas datam do século IV e são cantadas até hoje na véspera de Natal.

A Comida:

O Natal significa comida na maior parte do mundo cristão. O simbolismo que o alimento tem na mesa no dia de Natal vem das sociedades antigas que passavam muita fome e encontravam em algum tipo de carne - o mais importante prato - uma forma de referenciar à Deus e à Jesus. Geralmente era servido porco, ganso - mais tarde substituído por peru, e peixe. Uma série de bolos e massas são preparados somente para o Natal e são conhecidos por todo mundo.

A ESTRELA:

A estrela na sociedade humana esteve sempre ligada como "bússolas naturais" das pessoas. Hoje os aparelhos de navegação evoluíram de tal forma que as estrelas se tornaram apenas ornamentos no céu, objeto de estudo. Contudo durante milhares de anos eram elas as responsáveis em guiar os navegadores pelos mares e os viajantes pelos desertos. Eram elas que indicavam a direção, o sentido, o porto seguro.

A estrela guiou os três reis magros Baltazar, Gaspar, Melchíor - desde o oriente até local onde nasceu Jesus para que pudessem presentea-lo com ouro, incenso e mirra , é lembrada hoje pelo enfeite que é colocado no topo da árvore de Natal. E Jesus Cristo é a Estrela Guia da humanidade. Ele é o caminho, o Sentido, a Verdade e a Vida.

OS MAGOS:
"Eis que uns magos chegaram do Oriente a Jerusalém perguntando: 'onde está o rei dos Judeus, que acaba de nascer? ... viemos adorá-lo, '... Eis que a estrela que tinham visto no Oriente, ia-lhes à frente até parar sobre o lugar onde estava o menino ... e o adoraram. Abriram seus cofres e lhe ofereceram ouro, incenso e mirra"(Mt 2,1-12).

Não eram reis e sim sábios, estudiosos, mas o que isto importa? A mensagem é mais forte que esse detalhe. Esta narração tão plástica e viva, enriquecida posteriormente com aspectos lendários, como o nome dos três (Melchior, Gaspar e Baltazar), traz duas grandes mensagens teológicas:

- Cristo não veio apenas para os Judeus, mas para redimir toda a humanidade, Ele é o polo para o qual convergem todas as raças.

- A segunda grande mensagem está relacionada aos presentes oferecidos pelos magos: ouro, incenso e mirra. O evangelista Mateus expressa por esses símbolos a fé vivenciada pelos primeiros cristãos: Cristo é Rei dos Reis (daí o ouro), é filho Deus (o incenso) encarnado (a mirra).

A VELA:
Por milhares de anos, até a descoberta da energia elétrica há 100 anos, a vela, a lamparina ou lampião a óleo, as tochas foram as fontes de luz nas trevas noturnas. A minúscula chama afugentava as trevas, a escuridão dando segurança e calor. Por isso na antigüidade alguns povos chegaram a cultuar o fogo como divindade. Jesus Cristo é a luz que ilumina nosso caminho: "Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida" (Jo 8,12). E "vós sois a luz do mundo ... não se acende uma candeia para se pôr debaixo de uma vasilha, mas num candelabro para que ilumine todos os da casa. É assim que deve brilha vossa luz" (MT 5,14-16).

PODER DE CRIATIVIDADE ...

PODER DE CRIATIVIDADE

Dicas para você ser um professor mais criativo em sala de aula
Lampada criatividade 03 300x215 Dicas para você ser um professor mais criativo em sala de aula

Maria Luiza Kraemer

Atualmente, a palavra “criatividade” tornou-se sinônimo de sucesso em qualquer atividade. Na alimentação, no vestuário, no lazer, na economia, no esporte. Tudo exige criatividade.

Em todas as atividades existem muitas opções para se realizar uma tarefa. Algumas formas são mais atraentes que outras. Algumas são válidas, outras nem tanto. Mas uma coisa é certa: é necessário ser criativo para vencer os obstáculos da atualidade.

Se em tudo é necessário criatividade, imagine na sala de aula, em que os alunos possuem um mundo cheio de atrativos fora da escola.

O professor precisa ser amigo e conselheiro. São tantas turmas, tantos alunos, tantos pais, tantos problemas, tantas dificuldades que precisam ser atendidas pelo professor. Os conteúdos precisam ser desenvolvidos e trabalhados. Todos e tudo exigindo do professor atenção, solução e crescimento.

Como conseguir tudo isso, se muitas vezes o professor possui somente sua capacidade, quadro verde e muita vontade de desenvolver intelectualmente seus alunos?

Dentro e fora da escola – O professor deve usar a criatividade para competir com os atrativos que estão ao alcance de seus alunos fora da escola. Use a sua criatividade e suas aulas serão mais atrativas. Seus alunos despertarão o interesse pelo estudo. E você se sentirá recompensado e valorizado.

Ao substituir a pedagogia tradicional por atividades mais próximas da vivência diária dos alunos, o professor provoca maior interesse nos educandos pela aprendizagem.

Numa época em que as crianças e adolescentes têm sua atenção desviada para outras atividades, o professor precisa buscar alternativas atraentes para que os jovens sintam prazer em aprender.

Tome nota das seguintes dicas. Procure colocá-las em prática, fazendo as devidas adaptações, conforme a sua realidade:

- Use jogos educativos nas suas aulas.
- Desenvolva atividades lúdicas com seus alunos.
- Procure introduzir cada novo conteúdo de forma diferente.
- Mude a disposição das cadeiras e mesas na sala de aula.
- Faça os alunos participarem das aulas.
- Troque de ambiente e dê aula no pátio da escola, por exemplo.
- Explore cartazes, vídeos, filmes.
- Traga jornais e revistas para a sala de aula.
- Aproveite todo o ambiente escolar.
- Crie aulas diferentes e divertidas.
- Elabore situações problemas para os seus alunos resolverem.
- Busque auxílio nos meios de comunicação.
- Troque experiências com os colegas.
- Valorize as opiniões de seus alunos.
- Peça sugestões aos seus alunos quando for preparar suas aulas.
- Faça trabalhos em pequenos grupos ou grupos sucessivos.
- Solicite uma avaliação das suas aulas aos seus alunos.
- Incentive e estimule a aprendizagem dos seus alunos.
- Deixe transparecer que você acredita e valoriza o seu trabalho.

Como conseguir tudo isso ?
Usando a sua criatividade! 
Você é capaz! Vamos tentar!

httpv://www.youtube.com/watch?v=gL9VZfuYWBg

httpv://www.youtube.com/watch?v=ouFqxPYA8lg

Filhos – 15 Dicas para as crianças se divertirem nas férias sem viajar

Filhos – 15 Dicas para as crianças se divertirem nas férias sem viajar


-Faça programas culturais com seu filho. Isso mesmo! Leve seu filho em exposições, aquários, igrejas e para ver lugares importantes na sua cidade. Não é só pegar e leva-lo lá e ficar olhando a exposição. Saiba sobre o local e/ou exposição e/ou acervo antes, leia um pouco e crie formas divertidas de explicar aquilo para o seu filho. Se for algum lugar da sua cidade, pode contar um pouco da história e divertir-se com ele nessas visitas. Na grande maioria dos museus, em geral, possui visita guiada.
-Sessão Cozinha das Crianças. Pegue receitas que são voltadas para crianças fazer (existe em vários sites). E vamos cozinhar! Eles irão se divertir com isso! Se quiser, pode até incluir coleguinhas! A Sessão Cozinha das Crianças não é apenas para as meninas! Meninos também. Pare com idéias machistas e faça com que todos participem.
-Vá para o clube. As crianças adoram ir para o clube! Piscina, bola, peteca, corre-corre e tudo mais! Fique de olho no seu filho. Passeio no clube é atenção redobrada com a sua segurança. Se for na época de inverno, você pode ir para fazer algumas atividades que não seja piscina.
-Visite os parques ou algum lugar verde. Leve seu filho para um passeio ao ar livre! Há parques interessantes na cidade, inclusive alguns permitem jogar bola, peteca, entre outras brincadeiras. Você também pode montar brincadeiras para fazer com elas no parque! Uma belezura!

-Leve para andar de bicicleta. Crianças adoram bicicleta. Procure um local adequado, sem muito trânsito e vá pedalar por aí!
-Leve ao zoológico. Não são todas as cidades que possuem zoológico, mas se a sua possui é uma excelente opção. As crianças reconhecerem de pertinho e identificarem como são na realidade. Isso vale para crianças maiores ou menores. No fim, todas gostam.
-Faça recreação com seus filhos. Sabe aquelas brincadeiras antigas que você adorava quando era criança? Então, junte os coleguinhas de seu filho e faça! Há diversos livros que ensinam inúmeras recreações para se fazer com crianças. Corrida do saco, jogo de mímica, amarelinha, entre outras.
-Faça teatro em sua casa. Teatro de fantoches ou então o teatrinho comum. Crie uma história que possa trabalhar alguma questão importante como, por exemplo, o jogar lixo na rua, o desperdício de água, não falar com estranhos. Você vai ver como isso pode ser divertido! Se for muito pequena, o melhor é o teatro de fantoches. É bom para trabalhar timidez, expressão e para que elas se soltem e se divirtam!

-Vá o teatro e/ou ao cinema infantil. Pode ser um programa legal, especialmente teatro que, em geral, as crianças não freqüentam muito por seus pais não levarem. Pela comodidade, muitas vezes, os pais preferem levar ao cinema em shopping. O cinema também é legal, mas não deve ser feito em excesso.
-Sessão cinema em casa. Monte uma sessão cinema em casa com filmes que prendam a atenção da criança. Chame os coleguinhas e divirtam-se com direito a pipoca e suco. Filmes como “Harry Potter”, “Procurando Nemo”, entre outros. Mesmo se elas ficarem entediadas com o filme, irão se divertir até com outra criança. Criança quando se junta com outra, se diverte até fazendo nada!

-Incentive a leitura, mesmo nas férias. A leitura precisa ser algo comum. Por isso mesmo nas férias a criança pode ler! Leve-a para comprar um livro que ela escolha em uma livraria. Mostre os estantes que são infantis e deixe que ela escolha algum do interesse dela. Uma boa dica para as crianças maiores é o livro “Harry Potter”. Elas adoram.

-Jogue jogos bacanas. Isso mesmo. Há diversos jogos inteligentes e voltados para as crianças. Jogo de tabuleiro, de mímica, entre outros, mas não incentive a competição por si só. Mostre que o que importa é competir e não ganhar.
-Receba os coleguinhas ou familiares pequeninos de seu filho na sua casa. Crianças adoram passar um período longo com outra criança. Elas criam suas próprias brincadeiras, conversam e se divertem juntas. Não esqueça de designar tempos específicos para as coisas. Como assim? Se elas forem ver televisão, vídeos e jogos eletrônicos, não as deixe mais que três horas, advertem diversos especialistas.

-Faça um piquenique. Isso pode ser muito divertido e criativo. Descubra um local que ela esteja em contato com a natureza. Você pode fazer brincadeiras que trabalhem todos os sentidos, inclusive o paladar com uma brincadeira de adivinhar o sabor de algum alimento, por exemplo.

-Leve a criança para visitar os parentes. É importante que a criança esteja em contato com outras pessoas da família. Os avôs, avós, tios, tias (entre outros), irão adorar a sua visita e para ela poderá ser super divertido, especialmente se tiver outras crianças.



BOAS FÈRIAS!!!!!!!!!! 
 
http://www.mulher.palpitedigital.com.br/filhos-dicas-criancas-divertir-ferias-sem-viajar/

Dicas para Aproveitar as Férias!

Dicas para Aproveitar as Férias!



OBAAAAAAA.... FÉRIASSSSSSSSSSSS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
“Algumas atividades fazem com que os pais conheçam mais de seus filhos e vice-versa, tornando o entendimento entre eles melhor no restante do tempo”, explica Cristiane de Figueiredo Teixeira, treinadora desportiva e professora de Educação Física das redes particular e estadual de ensino de São Paulo.
Para que os laços sejam mesmo reforçados é necessário que os pais tenham real vontade de realizar essa aproximação - e vontade significa também dedicar tempo, esforço e criatividade. Mas o resultado vale a pena, pois não só todos se divertem, como a criança se sente motivada e amada.



00a26qys  00a1g88g     00a17db200a1k5k8
Sugestões: 
- Assista com seu filho a um filme bem legal.
- Ande de bicicleta com ele, além de ser uma ótima diversão, ajuda seu filho de uma forma bem divertida a se exercitar.
- Acampe! Pode ser no quintal de casa, junte alguns amiguinhos, monte barracas, conte historias bíblicas a eles.
- Proponha uma atividade edificante ao seu filho, como plantar uma árvore ou construir um brinquedo.
- Faça um piquenique bem gostoso em um parque.
- Brinque com eles, e aqui vão algumas sugestões de brincadeiras que eles vão amar.
Caça ao tesouro: Organizar uma busca por um tesouro que valha a pena (guloseimas podem ser ótimas pedidas!) dentro de casa, ou no quintal do prédio estimula a criança a pensar e é ótimo entretenimento para as férias. Com pistas inteligentes e lógicas, a brincadeira desenvolve o raciocínio sem que pensar torne-se uma tarefa chata.
Corrida de Saco: Também chamada de corrida de canguru, ganha quem chegar mais rápido com os sacos nas pernas. É uma ótima
 idéia para reunir os amigos e faz todos se exercitarem bastante.
Bexiga d’agua: Um ótimo jogo para nossos dias quentes, enche-se varias bexigas com água e formam uma roda, cada um jogo pra um parceiro de jogo, ate que em certa a hora a bexiga estoura e é água pra todo lado.
Cabra cega: Em um pátio ou um ambiente sem obstáculos, pode-se brincar de cabra-cega. Enquanto quem está vendado aprimora a audição, ou outros se espalham em volta do pegador, que por meio da voz tenta encontrá-los
Stop: Dependendo da idade de seus filhos, essa brincadeira vai ser demais, alem de estimular a memória e a rapidez, e um ótimo divertimento em grupo.
- Façam um desenho a quatro mãos retratando um dia de férias que passaram juntos.
Deixe sua criatividade tomar conta das férias de seu(s) filho(s), não deixe de aproveitar essas férias ao máximo.
Fonte: Educar para crescer.

Refletindo estou...

Refletindo estou...

00a0c448

A vida é uma estrada
onde só se pode rodar num sentido.

Não há desvio ou retorno
que nos conduza para trás.

Se soubermos aceitar este fato,
a vida se torna mais simples e
só então poderemos tirar
o melhor proveito do que temos
e do que somos.


A vida é muito preciosa,
nunca se esqueça disso.

Você tem apenas uma vida
e pode até não dar o valor que
realmente ela mereça,
mas com certeza há pessoas que dão
este valor para a sua vida.

Muitas vezes,
nossa vida parece um pouco complicada,
mas é tudo passageiro...
 
São barreiras que aparecem
para se vencer,
e aprender cada vez mais com elas...

Viva para o bem,
que o bem será feito à você.

https://rosangelaprendizagem.blogspot.com/2011/12/refletindo-estou.html