1

1

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Proteínas do aprendizado: Faça intervalos nos estudos para aprender melhor...

Proteínas do aprendizado: Faça intervalos nos estudos para aprender melhor


Estudar e repousar

Há muito se sabe que as memórias são mais propensas a se manter se a aprendizagem incluir períodos regulares de repouso.

Por exemplo, cientistas e educadores sabem há muito tempo que estudar até a exaustão não é uma forma eficaz de se lembrar da matéria na hora da prova.

O que não se sabia era por que ou como isso acontece.

Agora, pesquisadores do Instituto RIKEN, no Japão, elucidaram um mecanismo neurológico que ajuda a explicar por que isso acontece.

Consolidação da memória

Os resultados sugerem que a síntese de proteínas no cerebelo tem um papel fundamental na consolidação da memória, lançando luz sobre os processos neurológicos fundamentais que regem a memória.

O "efeito de espaçamento", descoberto pela primeira vez mais de um século atrás, descreve a observação de que os seres humanos e animais são capazes de lembrar as coisas de forma mais eficaz se o aprendizado estiver distribuído por um longo período de tempo, em vez de ser tentado de uma única vez.

Acredita-se que esse efeito esteja intimamente ligado ao processo de consolidação da memória, no qual as memórias de curto prazo são estabilizadas e "transformadas" em memórias de longo prazo.

Intervalos durante os estudos

Pesquisas anteriores sugeriram que este efeito de espaçamento é produto da transferência do traço de memória dos flóculos, uma região do córtex cerebelar que se liga ao núcleo motor envolvido no movimento dos olhos, para outra região do cérebro, conhecida como núcleo vestibular.

Em um estudo com animais, os pesquisadores japoneses descobriram que o efeito espaçamento foi anulado quando essa via de transferência foi inibida com drogas - anisomicina e actinomicina D, antibióticos que inibem a síntese protéica.

Esta descoberta sugere que as proteínas produzidas durante o aprendizado desempenham um papel fundamental na formação das memórias de longo prazo.

Esta é a primeira vez que se consegue uma explicação neurológica para os benefícios conhecidos da aprendizagem espaçada - bem como uma ótima desculpa para fazer mais intervalos durante os estudos.

Fonte: Diário da Saúde

Maçãs preservam a massa muscular

Maçãs preservam a massa muscular


O enfraquecimento muscular é uma companhia ruim e constante no processo de envelhecimento e também em várias doenças.

Dependendo do grau de depleção muscular, aumenta o risco de quedas e o tempo de internação hospitalar. Hoje são conhecidos 63 genes responsáveis pela diminuição da massa magra, em camundongos e 29 genes, em seres humanos.

A indústria farmacêutica vem pesquisando formas de inibir a ativação de tais genes. Mas o que sabe hoje é que o ácido ursólico, composto naturalmente presente em maçãs tem esta capacidade.

Em estudo publicado na revista Cell Metabolism o ácido ursólico também diminuiu a resistência à insulina, a glicemia, o colesterol e os triglicerídeos. O estudo mostra mais uma vez que uma dieta balanceada é fundamental à saúde, já que muitos outros compostos como o ácido ursólico, mas que ainda são desconhecidos para nós, devem possuir efeitos favoráveis que vão além do teor de vitaminas e minerais presentes.

Fonte: Revista O Berro - por andreiat

Peladeiros também devem buscar preparo físico e alimentação saudável

Peladeiros também devem buscar preparo físico e alimentação saudável


A maioria dos meninos brasileiros gostaria de ser jogador de futebol. Aqueles que não conseguiram se tornar profissionais, se realizam nos campos de várzea, nas tradicionais “peladas”. Contudo, quem pensa que essa modalidade não necessita de atenção especial com a saúde está enganado. Segundo especialistas, o esforço que a atividade física exige, faz com que o “atleta de fim de semana” tenha alimentação equilibrada e que pratique atividades para ganhar massa muscular e resistência.

A prática inadequada de atividade física sem acompanhamento médico pode levar à morte. De acordo com Maria Vargas, especialista em alimentação de atletas profissionais e amadores, a cada mês aumenta a estatística de pessoas que morrem nos campos por não estarem preparadas para o esforço físico. "Apesar de evidentes progressos e novos tratamentos, o número de mortes súbitas ainda é elevado, chegando próximos aos 300 mil por ano, ou seja, uma morte a cada 5 minutos", diz.

Fonte: Blog da Saúde

Confira hábitos que favorecem o envelhecimento saudável...

Confira hábitos que favorecem o envelhecimento saudável

Entenda quais os fatores são responsáveis pela longevidade da população brasileira
O Brasil está mais maduro. De acordo com dados do Censo 2010, levantado pelo IBGE, a população idosa no Brasil aumentou consideravelmente na última década. Em 1999, o número de idosos no país (a partir de 60 anos de idade) era de 14,8 milhões, e em 2009, esse número passou para 21,7 milhões. Em contrapartida, o crescimento da população jovem (até 19 anos) teve seu crescimento interrompido.

A tendência do envelhecimento da população revela dados ainda mais importantes. O relatório aponta que a população de pessoas acima de 70 anos era de 6,4 milhões. Já em 2009, o índice pulou para 9,7 milhões de pessoas. O número de centenários também cresceu. Com cerca de 80% da população já recenseada, as pessoas com mais de 100 anos já somam 17.615 no Censo 2010 diante das 14 mil do Censo 2000. Mas quais seriam os fatores responsáveis pelo aumento do número de idosos e por sua longevidade? Vejam abaixo alguns hábitos que trazem essas respostas.

Eles se alimentam melhor
Consumir alimentos saudáveis através de uma dieta balanceada pode ser fundamental para viver mais. O abuso de alimentos ricos em gorduras saturadas, sódio e açúcares é um gatilho para doenças como infarto, derrames, hipertensão, obesidade, diabetes e até câncer. Por outro lado, é fácil incluir no cardápio alimentos heróis da resistência e da longevidade. Cientistas da Universidade Park, nos Estados Unidos, concluíram que consumir mais oleaginosas (nozes, castanhas, avelãs, amêndoas e pistache) reduz o risco de males cardíacos entre 25% e 39%, quando consumidos cinco vezes por semana. Elas são ricas em gorduras boas, em especial o ômega 3, que diminuem as taxas de colesterol ruim e evitam a formação de placas de gordura que obstruem as artérias. O Centro de Pesquisas Médicas de Cardiff, no País de Gales, comprovou que vítimas de ataques cardíacos aumentaram as chances de evitar novos problemas em 29%, quando passaram a comer peixe pelo menos duas vezes por semana, graças a presença do ômega 3.

Um estudo da Universidade de Cingapura diz que o consumo diário de chá verde é um poderoso aliado da memória e pode prolongar a expectativa de vida dos idosos. Após mais de dois anos estudando os efeitos da bebida, os pesquisadores concluíram que 65% dos idosos habituados a consumir chá-verde mantiveram a capacidade cognitiva inalterada, incluindo memória e atenção. Isso porque, a bebida contém a teanina, um aminoácido com substâncias capazes de combater doenças degenerativas como a Doença de Alzheimer e ainda está relacionada à melhoria da capacidade de aprendizado, concentração e sensações de prazer, pois aumenta a produção de serotonina e dopamina.

Eles movimentam mais o corpo
Um estudo apresentado na Universidade de Estocolmo, na Suécia, revela que em qualquer idade, um homem obeso apresenta o dobro de chances de morrer comparado a um que não apresente sobrepeso. Além disso, os resultados revelam que a obesidade diminui a longevidade em aproximadamente 10% para cada ponto acima do Índice de Massa Corpórea (IMC) recomendado pelos médicos. Praticar exercícios é um dos principais aliados para combater a obesidade.

Além de diminuir o peso, praticar exercícios também ajuda a fortalecer os músculos e articulações, o que melhora o equilíbrio e evita quedas e outros acidentes. Os benefícios dos exercícios são sentidos pelos idosos desde a melhora da saúde até o aumento da capacidade física, cognitiva e da autoestima.

"Os exercícios de flexibilidade e o treinamento de força, como o pilates, são fundamentais para reduzir acidentes e lesões degenerativas do aparelho locomotor. A melhora da força e da massa muscular é também importante na prevenção e tratamento de distúrbios como a osteoporose, obesidade e o diabetes", explica o fisiatra Gilson Shinzato, do Hcor, em São Paulo.

Eles tem boa qualidade do sono
A perda de sono é comum com o passar da idade. Mas uma pesquisa realizada pela Universidade de Surrey, no Reino Unido diz que os idosos podem dormir menos do que os jovens sem prejudicar sua saúde. Os especialistas acompanharam 110 pessoas de diversas idades durante oito horas de sono. Como resultado, pessoas acima de 65 anos chegaram a te cerca de 20 minutos de sono a menos do que pessoas entre 40 a 50 anos. A diferença para os jovens de 20 aos aumentou ainda mais, para 44 minutos. Os cientistas afirmam que a menor necessidade de sono está naturalmente relacionada ao envelhecimento saudável.

Eles tem mais convívio social
Pesquisas revelam que idosos que mantêm vida social ativa apresentam maior qualidade de vida e longevidade. "A convivência social, a flexibilidade e hábitos saudáveis são características principais para a longevidade", explica a geriatra Maysa Cendoroglo, da Unifesp.

Além disso, uma pesquisa recente revela que a solidão é um fator determinante para a baixa qualidade de vida e da expectativa de vida. De acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Brigham Young, nos EUA, cercar-se de amigos, familiares e pessoas queridas pode aumentar a longevidade em até 50% mais do que aqueles que vivem sós. Os dados ainda mostram que quando tomamos conta de alguém que precisa, como um idoso, mantemos os laços sociais vivos, o que também aumenta a sobrevida.

Para os cientistas, a análise dos resultados de cerca de 150 estudos que envolviam mais de 300 mil pessoas foi realizada por um período de sete anos e revela que perder o apoio social pode diminuir as chances de sobrevivência ainda mais do que a obesidade ou o sedentarismo. Além disso, os estudos dizem que a solidão é tão prejudicial quanto ser alcoólatra ou fumar 15 cigarros por dia.

A evolução da medicina já determina a necessidade de olhar para saúde do idoso com um fator preventivo, ou seja, identificar o desequilíbrio, enquanto ainda não é um problema. O engajamento e o suporte familiar pesam muito na longevidade dos velhinhos. "A família deve perceber que o idoso acamado, quieto, muito magro... Não está normal. Este não é o processo aceitável de envelhecimento", explica a geriatra Maysa Cendoroglo, da Unifesp.

Para a especialista o diagnóstico de fatores de risco deve ser privilegiada a fim de evitar o envelhecimento complicado. "O perfil ideal de envelhecimento é o do idoso ativo, bem sucedido profissional e socialmente."

Fonte: Revista Minha Vida - Por Vitor Valencio

Cigarro: qual é o custo do vício?

Cigarro: qual é o custo do vício?


Cigarros comuns ou com sabores, narguiles, cachimbos, cigarros de palha, charutos e cigarros eletrônicos. Hoje a indústria tabaqueira oferece inúmeras opções aos fumantes e diversos atrativos aos iniciantes.

Por este motivo, mesmo com todas as campanhas sobre os riscos do tabagismo, existe uma precocidade na experimentação. A idade de iniciação está entre 13 e 14 anos, segundo a VIGITEL (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico). Este dado comprova que, cada vez mais, o mercado estimula o consumo se adaptando ao perfil do usuário.

Muito se sabe sobre os malefícios para a saúde de quem fuma, mas o hábito prejudica não só o corpo, mas o bolso de quem compra um dos cigarros mais tarifados do mundo, apesar de ser o maior exportador e o segundo maior produtor de tabaco do mundo.

Além do preço alto dos cigarros em relação à renda média brasileira, alguns serviços podem ser mais caros para os tabagistas.

Uma pesquisa sobre seguros de vida chegou à seguinte conclusão: os valores de seguros de vida para fumantes, homens e mulheres, aumenta cerca de 5%, pois as seguradoras levam em consideração aspectos de riscos causados pelo fumo como problemas respiratórios, hipertensão e problemas cardíacos.

Uma pesquisa feita em 2010 pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para o Dia Mundial Sem Tabaco, "Gender and tobacco with an emphasis on marketing to women" (Gênero e tabaco com ênfase no marketing dirigido às mulheres), mostra que as mulheres são 20% dos cerca de 1 bilhão de fumantes no mundo e, como o número de consumidores de cigarros do sexo masculino atingiu seu pico, tornaram-se o alvo da indústria tabagista - que necessita recrutar novos usuários para repor aqueles que morrem prematuramente em decorrência do próprio cigarro. Pré-adolescentes e adolescentes são os alvos principais: pesquisas mostram que meninas já fumam quase tanto quanto meninos.

Segundo o superintendente de Planejamento e Vida da Marítima Seguros, Samy Hazan, a adoção do tabagismo como critério para o preço de seguros de vida no Brasil teve início em 2000. As seguradoras partem do principio que a exposição ao cigarro ao longo do tempo acumula grande quantidade de toxinas. A mortalidade associada a esse hábito generalizado é devido à toxicidade cumulativa e nem sempre, as consequências diretas do vício.

Ex-fumantes podem acumular uma quantidade elevada de toxina, mesmo tendo parado de fumar há alguns anos. O carcinoma de pulmão é uma das principais causas de morte por câncer e, como sabemos, a grande maioria dos casos são atribuíveis ao consumo de cigarro. É também uma das causas mais comuns de morte observadas no primeiros anos de vigência de uma apólice de seguro de vida.

A jornalista Patrícia Rosseto gasta por mês cerca de R$ 200,00 por mês com o consumo de cigarros, mas nunca pensou em parar por conta das finanças. “Na verdade me poupo de saber o quanto gasto. Não registro na minha memória o valor nem de um maço”, diz.

Para o webdesigner Lucas Câmara largar o vício fez diferença no orçamento mensal. Apesar disso, ele, que fumava cerca de um maço por dia (de uma marca que custa cerca de R$ 5,00), alegou que as razões econômicas não foram relevantes na sua escolha por largar o cigarro, sua decisão foi pautada por preocupações com a saúde.

Segundo estudo realizado em junho deste ano pela Fundação Getúlio Vargas, referente ao primeiro quadrimestre do ano, o preço do cigarro no Brasil se mantém entre os mais caros do mundo. A comparação foi baseada nos preços de uma mesma marca comercializada em 22 países selecionados. A marca analisada é vendida em todos os países e devidamente taxada por impostos.

Realizada pelo Professor José Antonio Schontag, da FGV, a comparação de preços entre os países foi feita com base no percentual da renda individual despendida com o consumo de 100 maços ao ano. A pesquisa contrapõe a premissa de que o Brasil possui um dos menores preços de venda do cigarro, o que facilitaria a chegada do produto a uma maior parcela da população.

Por outro lado, no mercado brasileiro, existe uma expressiva participação de produtos ilegais, que correspondem a mais de um quarto dos cigarros consumidos no país. Por não serem tributados, chegam ao consumidor a preços predatórios, podendo custar até um terço do valor da marca pesquisada no estudo.

O não pagamento de impostos, sem dúvida, é um dos principais fatores de desequilíbrio de mercado, pois propicia a prática de preços predatórios pelo mercado ilegal. Outro dado importante concluído pelo estudo é que o aumento dos impostos e o conseqüente incremento no preço de produtos como o cigarro contribuem para a maior incidência do mercado informal no Brasil.

Ainda de acordo com o estudo, o mercado ilegal de cigarros é responsável por 27% da venda total do País. Desse montante, a maior parte é constituída por produtos do contrabando, com origem principalmente no Paraguai. A outra parte refere-se à evasão fiscal que fica evidente quando são comparados os números dos impostos federais recolhidos, frente aos volumes de mercado (oriundos de pesquisa de mercado). Também consta na mesma página da Receita Federal, que algumas destas empresas operam através de liminares.

A participação do contrabando é bastante variável geograficamente. No Estado do Rio de Janeiro a representatividade do produto é de apenas 2,2% do mercado, enquanto que no Distrito Federal alcança 48,2%, quase a metade das vendas totais.

O grau de penetração do produto ilegal pode ser atribuído a dois fatores: a proximidade com a origem do contrabando (Paraguai) e o poder aquisitivo da população.

O Centro-Oeste e o Sul, por possuírem fronteiras com o Paraguai, são as regiões mais expostas. O contrabando nas Regiões Norte e Nordeste possui maior participação do que na Região Sudeste em razão do menor poder aquisitivo da população, o que torna o produto informal mais competitivo.

Fonte: UOL – por Paula Furlan

Pratique exercícios físicos e colha os benefícios...

Pratique exercícios físicos e colha os benefícios

Vença a preguiça e passe a viver com mais qualidade, além de afastar a obesidade
Praticar atividade física, para muita gente, é um desafio. Falta de vontade, preguiça ou um histórico de resultados ruins são as principais justificativas para adiar o início do treino. Mas, segundo a endocrinologista da Abeso, Cláudia Cozer, todos esses fatores desaparecem quando o engajamento aos exercícios realmente acontece. "Para aproveitar os benefícios das atividades físicas, é preciso praticar uma hora, no mínimo três vezes por semana, ou 30 minutos todos os dias", afirma.

O problema é que isso nem sempre acontece e a empolgação dura pouco na maioria das vezes. Dados do Ministério da Saúde divulgados em abril de 2010 mostram que apenas 14,7% dos adultos fazem atividades físicas no tempo livre com a regularidade necessária.

Quem vence as dificuldades só tem a ganhar com o fim do sedentarismo. A prática de atividades físicas queima calorias, ajuda no controle do colesterol, acelera o metabolismo e tonifica os músculos. "Os exercícios regulares melhoram a qualidade de vida e são essenciais para a longevidade", explica Claudio Rangel, cardiologista do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Conforme os anos passam, a tendência à obesidade aumenta e as atividades físicas, aliadas a uma dieta balanceada, tornam-se uma das maneiras mais eficientes de combater o problema. O cardiologista lembra que seus pacientes hipertensos apresentam ótimos resultados no tratamento após a adesão a um programa de treino regular.

Uma pesquisa recente da Universidade de San Diego, nos Estados Unidos, faz eco ao que diz a especialista. Segundo o estudo, uma caminhada diária de meia hora, com uma média de cem passos por minuto, é a receita ideal para prevenir problemas de coração.

"Também vale fazer algumas mudanças na rotina, mantendo a cautela. Trocar o elevador pelas escadas, por exemplo, é indicado. Mas não adianta, de um dia para o outro, passar a subir dez andares logo cedo. É preciso ir se adaptando aos poucos, e não de um golpe só", afirma o endocrinologista Antônio Carlos do Nascimento, da clinica Montenegro.

5 motivos para fazer exercícios

1. Emagrecer: a queima de energia durante a atividade física enxuga as medidas.

2. Tonificar os músculos: o treino constante elimina gordura e estimula o desenvolvimento de massa magra.

3. Melhorar o humor: durante o treino, seu corpo libera neurotransmissores que provocam bem-estar e circulam pela corrente sanguínea durante o dia todo.

4. Acaba com a dor nas costas: o treino com acompanhamento ajuda a melhorar a postura e fortalece os músculos abdominais, dando mais sustentação à coluna.

5. Pegar firme na dieta: suando o corpo todos os dias, você sente mais motivação para deixar de lado as guloseimas.

Fonte: Minha Vida

Caminhar 30 minutos retarda envelhecimento mental em mulheres...

Caminhar 30 minutos retarda envelhecimento mental em mulheres

Segundo estudo, atividade física diária pode adiar declínio cognitivo em até sete anos
Estudo realizado pela Foundation of Public Health at Mutuelle Generale de l'Education Nationale in Paris, França, mostra que mulheres mais velhas que praticam atividades físicas apresentam menor declínio cognitivo do que as mais sedentárias. Os resultados foram publicados no periódico Archives of Internal Medicine.

Aproximadamente 2800 mulheres de 65 anos ou mais foram examinadas. Todas elas possuíam alguma doença cardiovascular ou, ao menos, três fatores de risco - elementos que substancialmente aumentam o declínio cognitivo.

No começo do estudo, as voluntárias responderam a questionários sobre as atividades físicas que praticavam, como caminhada, bicicleta e, até mesmo, subir escadas. Então, foram divididas em cinco grupos, baseados em seus níveis de atividades físicas. Dois anos depois, elas responderam o mesmo questionário.

Elas também passaram por uma bateria de testes cognitivos diversas vezes, desde o começo do estudo até mais de cinco anos depois. Os testes mediram a memória verbal, facilidade para cumprir tarefas e outras habilidades mentais.

Os resultados mostraram que as mulheres dos dois grupos mais ativos tiveram taxas substancialmente mais baixas de declínio cognitivo do que aquelas dos grupos que menos praticavam exercícios.

Para os pesquisadores, uma caminhada de meia hora por dia pode retardar o envelhecimento mental em até sete anos. Isso porque estudos anteriores mostraram que existe uma relação entre risco cardíaco e declínio cognitivo, embora pouco ainda se saiba sobre o assunto.

Lazer que protege a mente

Outro estudo, publicado pelo periódicoNeurology, jornal oficial da Academia Americana de Neurologia, revela que as atividades de lazer entre os idosos são capazes de proteger o cérebro da perda de memória.

Quase 500 americanos com idades entre 75 e 85 anos sem problemas cognitivos foram estudados por uma média de cinco anos. Os pesquisadores avaliaram periodicamente o nível de participação dos idosos em seis diferentes atividades de lazer: leitura, escrita, palavras cruzadas, jogos de tabuleiro ou cartas, reuniões para discussão em grupo, e hábito de tocar um instrumento musical.

Durante o estudo, cerca de um quinto dos voluntários desenvolveu um quadro de demência, e a velocidade da perda de memória foi menor entre os idosos que tinham mais atividade de lazer, independentemente do nível educacional.

Vivemos numa época em que esperamos viver muitos e muitos anos, graças aos grandes avanços da ciência. Sabemos que muito de nossa estrutura cerebral modifica-se com o envelhecimento, mas também já sabemos que essas alterações não provocam necessariamente perdas da função cerebral.

É como se fosse um cabo-de-guerra: de um lado o envelhecimento cerebral e de outro uma série de estratégias já bem conhecidas que podem fazer com que as perdas sejam menores ao longo dos anos.

Dentre essas estratégias, as atividades de lazer podem ser colocadas lado a lado com uma dieta saudável e atividade física e intelectual, todas elas voltadas para uma mesma direção: aumentar nossa reserva cerebral. Quem tem muita reserva pode até perder um pouquinho que não sentirá tanta falta e o nível educacional é um dos fatores mais importantes dessa nossa reserva.

O presente estudo não é o primeiro a revelar que o lazer tem efeito protetor sobre o cérebro. Não podemos esquecer que o tipo de lazer pode fazer a diferença. Uma das pesquisas revelou que várias atividades de lazer foram positivas ao estado cognitivo dos idosos, mas já o tempo em que eles passavam em frente à TV teve impacto negativo.

Fonte: Minha Vida

Viva até 20 anos mais com seis hábitos, entre eles sorrir mais

Viva até 20 anos mais com seis hábitos, entre eles sorrir mais

Comer mais fibras, dormir melhor e fazer sexo também favorecem a longevidade
Dois americanos parecem ter encontrado a fórmula para viver até 20 anos mais sem recorrer a tratamentos absurdos. No livro Diminua Sua Idade (editora Best Seller), o médico Frederic J. Vagnini e o jornalista Dave Bunnell apresentam hábitos que aumentam em décadas a longevidade - com justificativas cientificamente comprovadas. As principais recomendações dos americanos são: comer mais fibras, fugir do açúcar, cortar gorduras saturadas, dormir bem, fazer mais sexo e sorrir mais. No Brasil, a expectativa de vida é de 72 anos. No entanto, poucos são os que sonham viver somente até esta idade. Fomos conversar com um time de especialistas para entender como essas simples mudanças são capazes de garantir que você chegue à velhice com uma vida e saúde mais plenas.

Coma mais fibras
As fibras fazem bem para o bom funcionamento do intestino. É verdade, mas elas não servem apenas para isso. "Fibras desempenham uma série de funções importantes, como auxiliar a assimilação de outros nutrientes, reduzir o mau colesterol (LDL), prevenir doenças e até evitar o mau hálito", explica a nutricionista Daniela Jobst.

E para atingir bons níveis de fibras não são necessários grandes esforços, pois elas são encontradas em alimentos que ingerimos comumente. A quantidade ideal de ingestão gira em torno de 25 a 30 gramas por dia e é importante não exagerar, como explica a nutricionista Daniela Jobst. "O estômago se adapta ao 'efeito esponja' das fibras e acaba se dilatando. Se a pessoa ultrapassa essa quantidade, precisará comer mais do que antes para se sentir saciada". Além disso, é importante ingeris as fibras com um pouco de líquido, pois a seco sua ingestão é mais difícil.

Vários alimentos do dia a dia possuem fibras: cereais (farelos), hortaliças, frutas (com cascas), leguminosas, verduras, trigo, cereais integrais (arroz, pão, torrada), aveia, cevada, bagaço de frutas cítricas, maçã, goiaba, castanha, nozes, ervilha e leguminosas em geral.

Uma das frutas com mais fibras na composição é a goiaba com casca, que tem 5 gramas por cada unidade média. Uma porção de 40g de cereal matinal integral tem 12g de fibras, enquanto meia unidade de abacate tem pouco mais de 7g de fibras - mas tome cuidado com a escolha do cereal, pois muitos contêm açúcar e com a grande quantidade de açúcares e gorduras do abacate.

Uma colher de sopa de aveia possui 1,5g de fibra, assim como uma banana média - ótima combinação, não? E quem gosta do feijão, vale saber que ele possui 2g de fibra para cada 40g, enquanto a mesma quantidade de lentilha (que pode ser uma boa substituta) possui um pouco mais de 5g, assim como o mamão papaia, velho e bom companheiro de quem sofre de prisão de ventre.

Fuja do açúcar
De acordo com a dermatologista Marcella Delcourt, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, depois da preocupação com radicais livres e raios UV, o alvo para combater o envelhecimento é diminuir oaçúcar. Isso porque ele libera um processo que liga moléculas de glicose maléficas às moléculas de proteína saudáveis.

"A glicação ocorre quando uma molécula de açúcar em excesso, por aumento da ingestão ou por lentidão do metabolismo da glicose, se adere a uma molécula de proteína (colágeno, elastina) formando os AGEs, que alteram a estrutura dessas proteínas, impedindo a eficácia no desempenho de seus papéis mais importantes e, na pele, leva ao aparecimento das rugas", explica a especialista.

Além de alterarem a estrutura da proteína, os AGEs são fábricas de radicais livres que se acumulam ao longo do tempo, piorando seus efeitos no organismo e também deixando a pele com um aspecto opaco e envelhecido. Mesmo com a corrida para tentar combater os AGEs, é possível diminuir seus efeitos com hábitos alimentares saudáveis:

- Amêndoas e quinua são uma boa pedida para as refeições, da mesma forma que o consumo de maçã também é recomendado (rica em antioxidantes e flavonoides)

- As fibras também são importantíssimas: feijão, lentilha, ervilha. Agem como estabilizadores do açúcar e ajudam a queimar a gordura;

- Beba seis a oito copos de água por dia e prefira alimentos orgânicos;

- Evite comidas industrializadas, como flocos de milho, salgadinhos, bolachas, ketchup, refrigerantes e alimentos que contêm corante caramelo na sua composição, dentre outros.

- Tome chá verde ou suplementos à base dessa bebida com probióticos, antioxidantes e substâncias anti-AGEs de ultima geração na composição (prescritos pelo médico).

Dormir bem
Um estudo realizado pela American Academy of Sleep Medicine mostrou que dormirbem é um dos segredos para a longevidade. Alguns problemas de saúde foram associados com pior qualidade de sono. Entre os avaliados, 46% dos participantes que tiveram a autoavaliação de saúde insatisfatória também relataram não dormir bem. As chances de um bom sono foram também menores em pessoas que muitas vezes se sentiam ansiosas, que tinham pelo menos uma doença crônica e dificuldades com as tarefas diárias.

De acordo com o neurologista Renato Lima Ferraz, a quantidade ideal de horas de sono varia de pessoa para pessoa. "Mas o mínimo recomendado é de seis horas ao dia, sendo importante não ultrapassar nove para adultos, porque quem dorme mais que isso acaba ficando, na verdade, menos descansado", explica o especialista.

A importância do sono, também se estende ao aprendizado. "A fase REM, quando acontecem os sonhos, tudo que aprendemos durante o dia é processado e armazenado. Quando dormimos menos que o necessário, a memória de curto prazo não é processada e não conseguimos transformar em conhecimento aquilo que foi aprendido", explica o neurologista.

Não se sature de gordura
Viver com gordura pode ser ruim, mas viver sem ela é péssimo para seu paladar e inviável para seu organismo. As gorduras servem de base para a formação de diversos hormônios, inclusive os hormônios sexuais. Entretanto, as gorduras saturadas são as mais nocivas para a saúde do organismo. Para identificá-las, basta lembrar da banha de porco que sua avó tinha guardada na cozinha ou a capa da picanha que causa arrepios no seu cardiologista. As gorduras saturadas contêm o número máximo possível de átomos de hidrogênio (daí o termo saturadas), e ingeri-las em excesso é um passaporte garantido para um infarto no miocárdio.

Derrames e alguns tipos de câncer, como o de próstata e o de mama, também têm a origem associada aos excessos dessas gorduras no organismo - sem contar que a gordura saturada é inimiga número um do emagrecimento. Para prevenir tudo isso, restrinja o consumo diário desse nutriente a, no máximo, 7% das calorias totais da sua dieta.

Fazer mais sexo
Aqui cabe uma ressalva: priorize a qualidade, em vez da quantidade. O sexo, quando em uma frequência que atrapalha a rotina da pessoa, pode ser um sintoma da compulsão por sexo. Mas, nos dias atuais, o que vem acontecendo com muita gente é deixar o sexo de lado, por conta da falta de tempo e do estresse do dia a dia, que detonam a libido. Segundo o ginecologista Neucenir Gallani, o sexo é importante para a saúde física e emocional, pois o orgasmo libera substâncias como as endorfinas, que atuam no sistema nervoso. "Elas diminuem a sensibilidade à dor, relaxando a musculatura e melhorando o humor", afirma.

Estabelecer uma quantidade normal de desejo sexual não é algo satisfatório, pois cada um lida com a própria libido de forma diferente - e ao longo da vida ela costuma oscilar e até se modificar por completo. "No entanto, quando há insatisfação pessoal, há algo de errado provavelmente", de acordo com o sexólogo Paulo Bonança.

Sorrir mais
Manter uma fisionomia pacífica é essencial para a boa convivência, afinal a expressão "cara de poucos amigos" não surgiu à toa: quem vive de cara feia, afasta todos ao redor.

E sorrir vale até para ajudar a manter aquela linda história de amor. Um estudo realizado pela Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, identificou que pessoas que sorriem de forma sincera e verdadeira têm mais chances de manter o casamento. Isso porque a sinceridade do sorriso revela a atitude da pessoa diante da vida. "Sabemos também que a falta de senso de humor, ou uma vida acompanhada de impaciência, raiva e atitudes hostis, estão associados a um maior risco de desenvolver pressão alta, piorar o controle dos níveis de glicose e ainda aumentar o risco de doença isquêmica do coração e de morte", de acordo com o neurologista de Unifesp Ricardo Teixeira.

Fonte: Minha Vida - Por Ana Maria

Aumento da massa muscular pode reduzir o risco de pré-diabetes...

Aumento da massa muscular pode reduzir o risco de pré-diabetes


Estudo publicado no The Endocrine Society's Journal, publicação da Sociedade Americana de Endocrinologia e Metabolismo, constatou que uma maior massa muscular total reduz os riscos de a pessoa ter resistência à insulina, principal precursor do diabetes tipo 2.

A resistência à insulina pode elevar os níveis de glicose no sangue, fato que contribui para o desenvolvimento do diabetes. Estudos anteriores mostraram que a massa muscular muito baixa é um fator de risco para a resistência à insulina, mas até agora, nenhum estudo tinha examinado se aumento da massa muscular média e acima da média, independente dos níveis de obesidade, levaria a uma melhor regulação de glicose no sangue.

"Nossas descobertas representam um desvio do foco habitual dos clínicos e seus pacientes, em apenas perder peso para melhorar a saúde metabólica", diz Preethi Srikanthan, autor da pesquisa. "Em vez disso, esta pesquisa sugere que ganhar massa muscular pode ser o caminho", completa.

Os pesquisadores examinaram a associação da massa muscular esquelética com resistência à insulina e doenças metabólicas do sangue, em 13.644 indivíduos. O estudo demonstrou que maior massa muscular em relação ao tamanho do corpo está associada à melhor sensibilidade à insulina e menor risco de diabetes.

"Nossa pesquisa mostra que, além de monitorar as mudanças na circunferência da cintura ou o índice de massa corporal (IMC), a massa muscular também deve ser monitorada”, explica Srikanthan. "Agora, são necessárias mais pesquisas para determinar a natureza e duração do exercício e as intervenções necessárias para melhorar a sensibilidade à insulina e o metabolismo de glicose em indivíduos em risco", completa.

Fonte: EurekAlert! - Bibliomed

Alimentação deve ser planejada de acordo com a atividade física...

Alimentação deve ser planejada de acordo com a atividade física


O exercício físico pode ser muito beneficiado pela escolha de alimentos consumidos. Os horários da ingestão da comida devem ser planejados de acordo com os horários dos exercícios. Essa atitude pode alterar significativamente a forma como a pessoa se sente durante o exercício e influencia também os benefícios que serão obtidos com a atividade.

“O momento (do consumo) do nutriente é muito importante. Você não consegue obter o melhor do exercício sem prestar atenção à sua dieta”, afirma o Dr. Shawn Arent, da Universidade Rutgers (EUA). A dieta não precisa ser especial, mas deve sempre ser constituída de alimentos saudáveis e porções de tamanhos adequados ao objetivo da pessoa.

A comida consumida por uma pessoa, assim como o tamanho das porções, variam para cada indivíduo de acordo com peso, objetivos específicos e exercício praticado. Por isso, o acompanhamento com um nutricionista é essencial e extremamente benéfico.

Fonte: Blog da Saúde

Como será seu corpo daqui a 100 anos?

Como será seu corpo daqui a 100 anos?


Mais alto, mais precoce e mais tecnológico. Nos próximos 100 anos, a humanidade vai seguir um padrão que já foi identificado atualmente. Vamos viver melhor e por mais tempo (a expectativa de vida no Brasil será de 84,3 anos, contra 73,2 hoje). A altura média dos homens vai aumentar, dos atuais 1,75 m para 1,79 m. Nas meninas, a data da primeira menstruação (que foi de 15 anos, em 1900, para 12 anos, em 2011) vai acontecer aos 10 anos, e o organismo vai estar plenamente desenvolvido com 16 (hoje é aos 18). Quem nasceu com a pele clara vai dispensar o bronzeado de praia porque o sol mais forte será perigoso

Minúsculas revoluções
O futuro é da clonagem, da nanotecnologia e dos chips no corpo

NÓS, ROBÔS
Ainda vai demorar uns 30 anos, mas a nanotecnologia promete mudar para sempre nosso corpo. Robôs microscópicos prevenirão o câncer ao evitar a multiplicação das células que sofrerem mutações indesejadas. Também vão circular nas veias e artérias, minimizando casos de infarto e AVC. "A grande inovação dessa tecnologia é atuar no nível celular, em que toda doença começa", diz Robert Freitas Jr., do Institute for Molecular Manufacturing

O FIM DOS TRANSPLANTES
Além de braços e pés, peças fabricadas poderão substituir certos órgãos, como o coração (que nada mais é do que uma bomba bem sincronizada). Rins e pulmões, porém, têm uma estrutura muito mais complexa. Nesses casos, o problema será resolvido com uma impressora de órgãos em 3D, cujo protótipo já funciona no Instituto de Medicina Regenerativa da Universidade Wake Forest, nos EUA

PÍLULAS ESPERTAS
Você vive esquecendo aquele remédio que sua mãe mandou você tomar três vezes ao dia? No futuro, as cápsulas vão ficar no estômago e liberar o medicamento na dosagem e no horário certos. E nem vamos ter que esperar 100 anos para ver isso acontecer: já existem projetos em fases adiantadas de teste. Uma delas está sendo desenvolvida pela Philips

CONSTRUA SEU FILHO
Muita gente não vai aceitar, mas, daqui a 100 anos, a clonagem humana será uma realidade. "Em muitos países, certamente essas técnicas nem serão permitidas. Mas não há dúvida de que a tecnologia vai estar disponível", diz Paul Yock, pesquisador de biodesign de Stanford. Os pais terão a chance de selecionar, antes do nascimento, as características dos filhos - que poderão ser bem diferentes da geração anterior

BELEZA MAGRA
O conceito de beleza já mudou bastante - os antigos romanos, por exemplo, gostavam de pessoas cheinhas. Nas últimas décadas, o Ocidente passou a cultuar a magreza, e o mundo veio atrás. Tudo indica que o magro continuará sendo valorizado. A atual "epidemia de obesidade" será combatida como se faz atualmente com o cigarro: campanhas públicas e muitos impostos sobre alimentos doces e gordurosos

FAZENDO SUA CABEÇA
Hoje já é possível controlar o funcionamento do cérebro usando correntes elétricas que corrijam conexões falhas. No futuro, isso vai ser feito com o uso de chips implantados na cabeça, indicados principalmente para casos de epilepsia. Eles também estarão disponíveis para outras funções - recentemente um canadense sem noção inseriu no braço uma peça eletrônica que abre a porta de sua casa automaticamente

EM TERRA DE CEGO...
Em 2111, só países muito pobres ainda terão deficientes visuais. Isso porque, neste exato momento, já há versões iniciais de olhos biônicos, que capturam a luz e enviam as informações visuais para o cérebro. Nos próximos anos, elas estarão ainda mais avançadas, assim como as cirurgias a laser para correções oftalmológicas. Pode dizer adeus aos óculos de grau!

MUNDO CYBORG
Cadeiras de rodas também vão desaparecer. Próteses atuais já concedem um bom grau de mobilidade - daqui a um século, também serão capazes de simular perfeitamente a textura e a temperatura dos membros originais. Teremos dedos artificiais altamente articulados e chips que "ensinam" os músculos. "É possível até que esses implantes sejam adaptados para fins estéticos ou para dar mais força", diz a engenheira biomédica Jennifer Elisseeff, pesquisadora da Universidade Johns Hopkins

• Desodorante e talco antichulé vão ser coisa do passado. Com a nanotecnologia, as roupas (incluindo as meias) vão controlar a emissão de odores

FONTES Robert Freitas Jr., pesquisador do Institute for Molecular Manufacturing; Jennifer Elisseeff, engenheira biomédica da Universidade Johns Hopkins; Paul Yock, pesquisador de biodesign da Universidade Stanford; IBGE

Fonte: Revista Mundo Estranho - por Tiago Cordeiro

Saúde e os seus porquês ...

Saúde e os seus porquês


Por que a estrutura dos fios de cabelo muda na adolescência?

A modificação no aspecto dos fios pode ocorrer devido a três fatores principais. O primeiro deles é gerado por uma tendência genética. O segundo é devido a alterações hormonais. Nessa fase da vida ocorrem mudanças importantes nos níveis de diversos hormônios que controlam o equilíbrio do corpo, e eles podem interferir na aparência dos fios. Já no terceiro caso, os fatores externos como os tratamentos químicos — tinturas, alisamentos etc. —, podem influenciar a estrutura dos cabelos das jovens.
Quem responde: Francisco Le Voci, dermatologista especialista em cabelos da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Por que a voz das mulheres é mais fina que a dos homens?

Até a puberdade a voz dos meninos e das meninas é bastante parecida. Na adolescência, por causa do aumento dos hormônios estrogênio (mulheres) e testosterona (homens) há um crescimento da laringe, que fica maior nas pessoas do sexo masculino. Esse fator, também associado ao tamanho do trato vocal, e a velocidade em que as pregas vibram por segundo é o que determina se a voz será mais aguda ou grave. Nos meninos, o timbre da voz desce uma oitava, e nas meninas, de dois a três semitons. Ou seja, a laringe humana é como um sino: quanto maior, mais grave — e seu tamanho é ditado sempre por características genéticas.
Quem responde: Keila A. B. Knobel e Ana Carolina Constantini, fonoaudiólogas da UNICAMP.

Por que um seio geralmente é maior que o outro?

A assimetria nessa região é bastante comum, estima-se que 40% das mulheres tenham essa característica. Ela acontece quando um dos botões mamários começa a se desenvolver antes do amadurecimento hormonal, fazendo com que a alteração fique visível quando ambos começam a crescer proporcionalmente (após a menarca). É importante ressaltar que a assimetria não é uma doença e não pode ser tratada com medicamentos. Nos casos em que há muita diferença a única alternativa é a cirurgia plástica. Quando a mulher tem assimetria e está amamentando, recomenda-se que ela use mais o seio menor – para que ele se desenvolva – caso contrário poderá aumentar essa diferença.
Quem responde: Denise Coimbra, ginecologista e membro da Associação de Obstetrícia e Ginecologia de São Paulo.

Por que preciso fazer jejum antes de uma cirurgia?

O jejum se dá quando o paciente não come nem bebe num determinado período antes da cirurgia. A principal razão dessa exigência é evitar que o ácido clorídrico do estômago volte pelo esôfago e adentre o pulmão, já que ele estará anestesiado e não conseguirá expeli-lo. Quando isso acontece é necessário terapia intensiva, já que aumenta a probabilidade de sequelas e morbidade — além do próprio risco à vida. No caso de uma cirurgia de emergência, onde a pessoa não está em jejum, a técnica do anestesiologista para proteger as vias aéreas do paciente é diferente. Uma das alternativas é a entubação traqueal com o paciente ainda acordado.
Quem responde: Adimilson Gonzaga, médico anestesiologista do Hospital Samaritano (SP).

Fonte: Revista Viva Saúde

Cuidados na execução de exercícios evitam tendinite

Cuidados na execução de exercícios evitam tendinite


Esforços prolongados e sobrecarga são algumas de suas causas

Conta a lenda que Aquiles, filho do rei Peleu e da rainha Tétis, tinha um único ponto vulnerável no corpo e ele ficava exatamente na altura do calcanhar, ao nível do tendão da parte posterior do tornozelo. Entretanto, para pessoas comuns, a dor e a inflamação neste local podem ter como causa frequente esforços prolongados e repetitivos, além de sobrecarga.

A tendinite de Aquiles, inflamação no tendão do calcâneo, é um quadro frequente nos atletas, principalmente entre os corredores de longa distância. É uma típica lesão por excesso de uso e, normalmente, origina-se com aumento repentino da atividade esportiva, mudança de calçados ou piso de treinamento inadequado.

Em geral, é provocada por micro-rupturas das fibras de colágeno que constituem o tecido tendinoso, que é muito pobre em vascularização. Estas pequenas lesões, associadas ao excesso de esforço repetitivo, podem provocar uma inflamação ou degeneração do tecido tendinoso.

Em geral, origina-se com aumento repentino da atividade esportiva, mudança de calçados ou piso de treinamento inadequado.

Fatores que favorecem a tendinite de Aquiles:

1. Aumento não gradativo da distância ou velocidade percorrida;

2. Treinamento em aclive ou subidas de escadas;

3. Traumatismo causado pela contração vigorosa da musculatura flexora do joelho, como um aumento na velocidade final na corrida;

4. Sobrecarga de treinamento;

5. Tênis inadequado para a corrida;

6. Falta de equilíbrio muscular.

Muitas vezes o paciente pode sentir dor ao caminhar, ao subir e descer escadas ou quando começa a correr. Esta dor pode variar de intensidade e de frequência e, em casos avançados, levam a grande limitação com dor mesmo em repouso.

Ao realizar o exame, encontramos dor ao apalpara parte mais baixa do tendão, de três a cincocentímetros acima de sua inserção. Também são atestados inchaço local, limitação dos movimentos e dificuldade para o início da corrida, que pode ser claudicante.

A ultrassonografia pode ser indicada para confirmação diagnóstica, como método de baixo custo e rápido, embora a ressonância magnética possa dar com maior precisão detalhes do processo.

O tratamento da tendinite de Aquiles consiste, basicamente, no repouso relativo, no afastamento temporário das atividades físicas, no uso de antinflamatórios e analgésicos, nacrioterapia - aplicação de gelo no local por 20 minutos de três a quatro vezes ao dia - e reabilitação através da fisioterapia com medidas analgésicas e exercícios específicos.

Antes de se pensar em cirurgia, porém, alguns métodos alternativos poderão ser utilizados, como terapia por ondas de choque. Tratamento cirúrgico é uma exceção, uma vez que a maioria dos casos são resolvidos com um tratamento clínico adequado. Nos casos crônicos pode ocorrer ruptura total do tendão de Aquiles. Quando isso ocorre, o tratamento cirúrgico pode ser indicado.

Fonte: Minha Vida

Como a droga age no corpo...

Como a droga age no corpo

No último dia 23 de julho, mais uma vitima sucumbiu devido ao uso de drogas. A cantora Amy Winehouse, de 27 anos, foi encontrada morta em sua casa, em Londres. Apesar da autopsia ainda não ter sido concluída, a decadência física e emocional da cantora era evidente ao longo dos anos, e tudo devido ao uso abusivo de drogas lícitas e ilícitas.

Outras personalidades, assim como várias pessoas “comuns”, ficam reféns das drogas e podem acabar morrendo devido a essas. São vários os tipos de drogas, e cada uma tem uma ação diferente no organismo. O Boa Saúde busca esclarecer algumas dúvidas sobre essa questão.

O que são drogas?

Entende-se como droga as substâncias ou produtos que, quando aplicados ou administrados no organismo, podem modificar o seu funcionamento, a maneira como está trabalhando. Algumas destas substâncias podem ser úteis em situações em que o corpo não funciona bem. Nestas situações, drogas corretamente receitadas por médicos, os chamados medicamentos ou remédios, ajudam a aliviar dores ou a curar doenças.

No entanto há também as drogas popularmente conhecidas como "tóxicos". Estas também modificam o funcionamento do organismo, porém de forma descontrolada e imprevisível, o que causa danos e alterações a todo o corpo, em especial ao cérebro. As drogas psicotrópicas são as que provocam dependência, ou seja, quem faz uso deste tipo de substância sente necessidade psíquica e/ou física de usá-la novamente, o que caracteriza o vício.

Álcool

As bebidas alcoólicas são consideradas drogas lícitas, ou seja, seu consumo e sua venda não são classificados como crime. Contudo, elas são capazes de causar tantos danos como as drogas ilícitas. As bebidas alcoólicas são as drogas de uso abusivo mais constante no mundo.

Os efeitos do álcool podem potencializar os efeitos de alguns medicamentos, como alguns xaropes, pílulas para dormir, antialérgicos, tranqüilizantes e relaxantes musculares. Como resultado, um drinque pode ter o efeito de vários, causando sonolência e bebedeira. Isto é perigoso e pode ser fatal.

O álcool não deve ser ingerido por quem sofre com a epilepsia, pois pode ocasionar convulsões. Deve ser evitado durante a gravidez, por diabéticos e por pessoas com queixas de gastrite. O álcool vicia e seu uso repetido freqüentemente resulta na necessidade de beber mais e mais para produzir intoxicação. Quando o consumo de álcool vira vício, essa condição é conhecida como alcoolismo.

Cigarro

Assim como as bebidas alcoólicas, o cigarro é uma droga lícita, o que contribui para sua disseminação pelo mundo. Pelo menos um terço da população mundial adulta, ou 1,1 bilhão pessoas, fuma. Estima-se que 48% dos homens e 7% das mulheres fumem nos países em desenvolvimento; em países industrializados, 42% dos homens e 24% das mulheres fumam. O uso do tabaco é também uma epidemia pediátrica: a maioria dos fumantes começa a usar o tabaco durante a infância e adolescência.

Um fumante, a longo prazo, tem uma chance de 50% de morrer prematuramente de uma doença causada pelo cigarro. A cada ano o tabaco causa aproximadamente 4 milhões de mortes prematuras.

Maconha

A maconha, também conhecida como marijuana ou marihuana, é uma das drogas mais consumidas no mundo. Apesar de sua origem natural (é uma planta, de nome científico Cannabis sativa), é possível encontrar nela mais de 400 substâncias químicas. A mais importante é o THC (tetrahidrocanabinol), seu princípio ativo alucinógeno. Quando absorvido o THC fica estocado nos tecidos ricos em gorduras, com cérebro, testículos e ovários, por bastante tempo. Isto permite sua detecção no organismo mesmo 14 dias após um individuo ter fumado um único cigarro de maconha.

A maconha é capaz de alterar as percepções de tempo e espaço, o que traz dificuldades às pessoas que manobram máquinas, como os motoristas. O uso crônico pode causar oligospermia (diminuição do número de espermatozóides), pode haver diminuição da produção de hormônios sexuais, tanto em homens com em mulheres, e conseqüente diminuição da atividade sexual. Os princípios ativos da maconha atravessam facilmente a placenta e dificultar o desenvolvimento físico e mental do feto.

Cocaína, Crack e Oxi

A cocaína e o crack são drogas estimulantes do SNC (Sistema Nervoso Central) extraídas da folha de coca, de nome científico Erythroxylon coca e que cresce principalmente no Peru e na Bolívia. A cocaína é geralmente aspirada pelo nariz ou dissolvida e injetada na veia, enquanto que o crack e o oxi são fumados. O crack é uma forma impura de cocaína, contendo cerca de 40% de cocaína pura. O oxi é uma versão mais impura da cocaína, que leva em sua composição derivados do diesel.

Os usuários experimentam excitação, aumento de atividade, agressividade, idéias delirantes com suspeita de tudo e todos, palidez acentuada e dilatação da pupila. Em doses elevadas, todos podem provocar intensa excitação, com nervosismo, inquietação, irritabilidade, insônia, estados de paranóia (mania de perseguição). Às vezes, há aumento da agressividade, com atos de violência. Um efeito importante que a droga produz, é a sensação de poder que dá aos usuários.

Se em um primeiro momento essas drogas provocam excitação, em um segundo momento podem levar à depressão e resultar em morte por overdose (dose alta), freqüente com o crack e o oxi, devido à maior quantidade de impurezas.

Êxtase (Ecstasy)

Droga sintetizada há alguns anos cujo nome químico é metilendioximetanfetamina. Provoca excitação e efeitos alucinógenos em seus usuários. Muito utilizada em festas, essa droga pode provocar hipertensão, sudorese, embotamento da visão e bruxismo (ranger involuntário dos dentes e mordida das bochechas). Em doses altas pode provocar reações psicóticas e não de êxtase. Algumas pessoas sob o seu efeito assumem posição fetal por várias horas.

Heroína

Heroína é uma droga processada da morfina, apresenta-se usualmente como um pó branco ou marrom e leva a dependência facilmente. O abuso da heroína está associado com graves problemas físicos, incluindo overdose fatal, aborto espontâneo, colapso venoso e doenças infecciosas, incluindo HIV/AIDS e hepatite. Complicações pulmonares, incluindo vários tipos de pneumonia, podem resultar da condição de saúde precária do usuário, assim como do efeito depressor da heroína na respiração.

Além dos próprios efeitos da heroína, a droga pode conter aditivos que não se dissolvem bem e resultar em obstrução dos vasos sanguíneos dos pulmões, fígado, rins ou cérebro. Isso causa infecção ou mesmo a morte de parte desses órgãos vitais.

Fonte: Revista Boa Saúde

Check-up do bebê...

Check-up do bebê


Um guia para mostrar o que os primeiros exames da criança podem diagnosticar e quais doenças são capazes de prevenir. Entenda a importância desse cuidado já nos primeiros instantes de vida dela

A chegada de um filho é só alegria para toda a família. Decorar o quarto, comprar as roupinhas, pensar no chá de bebê e, principalmente, não deixar de visitar com frequência o ginecologista/obstetra. Em meio a essa excitação, as mamães de primeira viagem não podem esquecer uma série de avaliações que deverão ser feitas dentro das primeiras 48 horas de vida do pequeno, uma vez que antes disso o metabolismo da progenitora pode influenciar nos resultados.

No primeiro minuto de vida é aplicado o teste de Apgar, em que são avaliados a cor da pele, a musculatura, a frequência cardíaca, a respiração e os reflexos. Cada um desses itens possui uma nota, que vai de zero a dois, e, caso a soma delas resulte num valor menor que sete, será necessária uma repetição a cada cinco minutos até que se consiga alcançar a nota mínima.

Após isso, o check-up será iniciado. Composto por quatro exames obrigatórios, além da vacina contra hepatite B, pode ser complementado por outros testes e imunizações particulares. Doenças como hipotireoidismo, constituída por uma falha na tireoide, fenilcetonúria, hereditária e que desordena o metabolismo, e anemia falciforme, também genética e causadora de uma dificuldade no transporte de oxigênio, conseguem ser diagnosticadas. "Além delas, fazer essas avaliações é crucial para o conhecimento do tipo sanguíneo e para a prevenção de casos de fibrose cística", afirma José Claudionor Souza, pediatra do Hospital Pró-Matre (SP). Essa detecção precoce é importante, já que muitas enfermidades não costumam apresentar sintomas imediatos e, passando assim despercebidas, comprometem a saúde do neném já nos primeiros meses de vida.

A preocupação não é somente dos pais, como também do pediatra, que costuma visar um crescimento saudável para a criança desde o pré-natal. O médico precisa ser o primeiro a alertar sobre os riscos de não seguir corretamente a sequência de tais análises, além dos benefícios que elas trarão. Realizar todos os métodos, ainda na maternidade, torna mais fácil tratar e evitar o comprometimento tanto do desenvolvimento físico como mental da criança. Em algumas situações é preciso que a mãe refaça determinados exames um tempo depois, para reforçar ou tirar dúvidas pendentes. Portanto, o melhor é sair do hospital com tudo em dia e conhecendo bem seu filho.
Para não deixar nada para trás, confira alguns detalhes sobre os diagnósticos e o que eles indicam. Lembre- se de que todos os exames são gratuitos e obrigatórios em maternidades tanto da rede pública como da privada.

1 TESTE DO PEZINHO BÁSICO

Como é feito: Também conhecido como Triagem Neonatal, é obrigatório e realizado com uma amostra de sangue retirada por meio de um furinho no calcanhar do bebê ou de uma veia ao redor do local. Essa picadinha, que dói no coração das mamães, acontece nessa região graças ao fato de ela ser rica em vasos sanguíneos, o que possibilita uma coleta rápida e com um único furo. "Essa coleta é feita num papel-filtro depois de 48 horas, uma vez que o recém-nascido precisa ser alimentado antes do exame para ativar o metabolismo, pois as enfermidades que possivelmente serão detectadas são de desordens metabólicas", explica Maria Esther Ceccon, chefe da UTI neonatal do Instituto da Criança da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). A picada é quase indolor, mas não impede que os nenéns chorem, já que a sensação é desconhecida.

Quais doenças podem ser diagnosticadas: Com a triagem, pode-se localizar hipotireoidismo, cujos sinais não aparecem rapidamente e causam retardo mental e de crescimento, e fenilcetonúria, que também causa doenças mentais e só apresenta sintomas depois de 6 meses, e, mesmo não tendo cura, uma dieta evita seu desenvolvimento. O exame descobre fibrose cística, causadora de desnutrição e dificuldades pulmonares e anemia falciforme, uma alteração da hemoglobina que é capaz de gerar lesões em determinados órgãos e, embora seja incurável, pode ser diminuída com tratamentos.

O pezinho por inteiro

O teste do pezinho estendido, também feito no papel-filtro, descobre mais de 30 doenças metabólicas, como toxoplasmose e infecções congênitas. Ele é concretizado em laboratórios particulares e contempla patologias muitas vezes relacionadas a doenças enzimáticas, as quais são ainda mais importantes de se obter um diagnóstico precoce. Outras enfermidades detectadas têm relação com alimentos que não poderão ser ingeridos ou medicamentos que devem ser evitados pelo bebê. "São, portanto, casos tratáveis e que se descobertos a tempo possibilitam a modificação de sua evolução. Por isso a importância dos pais investirem nessa avaliação mais completa", alerta Ivani Mancini, pediatra do Fleury Medicina e Saúde. Essa triagem pode ser realizada até os 3 anos de idade, e o valor é, em média, R$ 430. O preço é alto, uma vez que o sangue coletado é comumente mandado para avaliação em laboratórios na Europa.

2 TIPAGEM SANGUÍNEA

Como é feito: "É realizada 48 horas depois do nascimento da criança, por meio de uma amostra de sangue retirada no teste do pezinho, diz respeito à identificação do tipo de sangue, se é A, B, AB ou O, assim como o fator Rh, que pode ser positivo ou negativo", diz o pediatra José Claudionor Souza.

Quais doenças podem ser diagnosticadas: Um dos exames obrigatórios, ele é fundamental para informar se o neném terá algum problema de incompatibilidade sanguínea com a mãe. Esse resultado também será muito importante em casos de emergências médicas.

3 TESTE DA ORELHINHA

Como é feito: A triagem auditiva verifica, com um equipamento de fone de ouvido acoplado a um computador, se o bebê escuta perfeitamente. O exame é obrigatório e deve ser feito pelo menos dois dias após o nascimento. "Caso seu resultado seja positivo, ele será refeito depois de cerca de um mês. Se persistir, a chance da presença de uma deficiência auditiva aumentará, e recomenda-se outro retorno aos 6 meses de idade", explica Maria Esther.
Quais doenças podem ser diagnosticadas: Deficiências auditivas, como o rastreamento de surdez acentuada, severa ou profunda, quando encontradas cedo, tornam mais fáceis a reabilitação e a obtenção da fala.

4 TESTE DO OLHINHO

Como é feito: Obrigatório e também chamado de reflexo vermelho, ele acontece por meio de um oftalmoscópio, aparelho que lança luz e dá origem a uma cor avermelhada e contínua nos olhos. "Logo nas primeiras 12 horas de vida o médico irá analisar através da pupila, e, para que essa demonstre estar saudável, será necessário apresentar uma coloração avermelhada e assimétrica", explica Izilda das Eiras Tamega, neonatologista e coordenadora da Liga de Pediatria da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Sorocaba).

Quais doenças podem ser diagnosticadas: Com a realização do exame o médico pode checar a existência de tumores oculares ou catarata congênita.

5 VACINA DE HEPATITE B

Como é feito: Parte do calendário de vacinação, ela é aplicada em três doses, sendo a primeira na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida do bebê. Depois disso, a segunda dose será dada após 30 dias e a terceira, 180 dias depois da primeira. Bebês com 2 quilos ou menos precisam receber quatro doses. É normal que ocorra um pouco de dor ou febre no local da aplicação, e não há tratamento para o mal, sendo assim, o mais indicado é a vacinação logo na maternidade. A BCG tem necessidade de ser tomada rapidamente, ainda que seja paga.

Quais doenças podem ser diagnosticadas: Esta vacina, como o nome diz, previne contra a hepatite B, uma doença causada por um vírus e que pode ser transmitida de mãe para filho, durante a amamentação. "Entretanto, a mãe deve saber que cada vacina atua contra uma doença diferente e deve dar ao seu filho todas as que estão disponíveis", recomenda Isabella Ballalai, pediatra e presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações.

6 meses depois...

É recomendável que 6 meses após o nascimento seja feita uma audiometria comportamental, uma medida da reação da criança aos sons. O exame é uma avaliação especializada e indicada mesmo para quem teve resultado normal no teste da orelhinha. Consiste na resposta do recém-nascido a alguns estímulos sonoros por meio de um espectro. Isso proporcionará o rastreamento de surdez acentuada, severa ou profunda. "Ele é executado facilmente, tem duração pequena e se elaborado de maneira profissional, é de extrema confiança", enaltece Maria Esther. O teste do pezinho muitas vezes também solicita retorno. "Há chance de ocorrerem algumas alterações relativas à hemoglobinopatias e anemias familiares", argumenta Ivani Mancini. As mamães, no entanto, não precisam se preocupar, pois nem sempre refazê-los implica que existem problemas na saúde do filho, trata-se somente de um reforço que por vezes entende-se como necessário.

HORA DE VACINAR!

Veja a relação de vacinas que o bebê precisa tomar até os seis meses de idade! E lembre-se: a partir de 2011 o Sistema Público passa a vacinar todas as crianças entre seis meses e dois anos de idade.

BCG Id: Deverá ser dada ainda na maternidade, em todos os recém-nascidos com peso superior ou igual a 2 quilos.
Hepatite B: Aplicar a primeira dose (dose 0) na maternidade e, posteriormente, as outras duas doses (esquema 0-1-6 meses). Nos nenéns com menos de 33 semanas de gestação e/ou com menos de 2 quilos de peso ao nascimento, usar o esquema com quatro doses ( 0-1-2-7 meses).
Palivizumabe: Aplicar durante o período de circulação do vírus respiratório em nosso país, normalmente entre março e setembro.
Pneumocócica conjugada: Iniciar o mais precocemente possível (aos 2 meses). São três doses: aos 2, 4 e 6 meses, com reforço aos 15.
Meningocócica C conjugada: Aos 3 e 5 meses.
Influenza (gripe): Duas doses a partir dos 6 meses com intervalo de 30 dias entre elas.
Poliomielite: Utilizar somente vacina inativada (por meio injetável) em recém-nascidos internados na unidade neonatal. Rotavírus: Duas ou três doses, de acordo com o fabricante, entre os 2 e 6 meses. Nunca utilizar a vacina em ambiente hospitalar.
Tríplice bacteriana: A primeira dose deve ser dada aos 2 meses, a segunda aos 4 e, por fim, a terceira aos 6 meses de idade. É importante que aconteça o reforço aos 15 meses.
Hemófilos tipo B: Deve ser administrada aos 2, 4 e 6 meses.

CONSULTORIA: RECOMENDAÇÕES DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES (SBIM)

Fonte: Revista Viva Saúde - Por Fernanda Emmerick | Fotos Danilo tanaka | Ilustração Amanda Matsuda

8 Motivos para apostar nos livros...

8 Motivos para apostar nos livros


AMPLIA O CONHECIMENTO GERAL
Ler é um ato valioso para o nosso crescimento pessoal e profissional.

MELHORA A COMUNICAÇÃO
Além de ser envolvente, a leitura aumenta as referências e a capacidade de comunicação.

ESTIMULA A CRIATIVIDADE
Ler é fundamental para soltar a imaginação. Por meio dos livros, criamos lugares e personagens.

AUMENTA O VOCABULÁRIO
Graças aos livros, descobrimos novas palavras e novos usos para as que já conhecemos.

EMOCIONA E PROVOCA
Quem já se sentiu triste ao fim de um romance sabe o poder que um bom livro tem.

MUDA SUA VIDA
Quem lê desde cedo está muito mais preparado para os estudos, para o trabalho e para a vida.

FAZ PENSAR NAS COISAS
Livros, inclusive os romances, nos ajudam a entender o mundo e nós mesmos.

FACILITA A ESCRITA
Ler é um hábito que se reflete no domínio da escrita. Quem lê mais escreve melhor.

Fonte: Revista Mundo Estranho

Semana Mundial da Amamentação – dicas para as mamães...

Semana Mundial da Amamentação – dicas para as mamães


O mês de agosto começa com um grande evento: a Semana Mundial de Amamentação, que vai até o próximo dia 7.

Para incentivar as mamães que estão no fim de sua licença-maternidade a continuarem praticando este ato de amor mesmo com a volta ao trabalho, a pediatra Clery Bernardi Gallacci, do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo, dá 12 dicas. Veja só:

1 – Fazer a massagem circular na mama nos pontos entumecidos, por dois minutos;

2 – Desprezar os primeiros jatos de leite em algodão ou gaze umedecidos com água fervida (utilizando uma unidade para cada seio);

3 – Fazer a retirada do leite;

4 – Fazer a retirada em torno de três a quatro vezes em cada mama alternadamente (mais ou menos por dois minutos em cada uma delas);

5 – Após o término colocar em frasco esterilizado, identificar o frasco com data e horário;

6 – Guardar o leite materno na geladeira para utilização em até 12 horas após a ordenha, preferencialmente. A validade do leite materno em geladeira é de no máximo 24 horas;

7 – Para utilizar o leite com tempo superior ao mencionado acima, o leite colhido deverá ser armazenado em freezer ou congelador imediatamente após a sua retirada. É possível colocar no mesmo frasco outras retiradas até completar o volume do frasco, desde que seja mencionada a data de início da retirada, já que o alimento dura 15 dias;

8 – As mulheres que vão voltar ao trabalho devem iniciar a retirada e o armazenamento do leite 15 dias antes do retorno. No trabalho, recomenda-se que a retirada seja feita a cada três ou quatro horas;

9 – O procedimento para guardar é o mesmo que o feito em casa e o transporte deverá ser em bolsas térmicas de gelo reciclável;

10 – Para preservar o valor nutricional do leite materno o aquecimento do alimento não deve ultrapassar a temperatura corporal;

11 – Para descongelar o leite é necessário colocar o frasco em água quente, agitando até o descongelamento (não deixe aquecer) e guardar na geladeira. A validade do leite descongelado é o mesmo mencionado no tópico;

12 – Devem ser desprezados: sobra de leite após a mamada, leite aquecido e não utilizado e leite descongelado não utilizado dentro de 24 horas.

Recomenda-se que a mãe faça a ordenha (retirada do leite) em local onde não haja circulação de animais, que seja tranquilo e limpo.

Fonte: Revista Mães e Filhos