1

1

domingo, 10 de setembro de 2017

SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA GINCANA DE LEITURA

SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA GINCANA DE LEITURA

 

GINCANA DE LEITURA


“Ó Bendito o que semeia livros... livros à mão cheia...

E manda o povo pensar!

O livro caindo n’alma

É germe – que faz a palma,

É chuva – que faz o mar.”


Castro Alves


OBJETIVO DA GINCANA:


Despertar o gosto pela leitura;

Libertar o leitor e deixá-lo em contato com o livro, permitindo que ele sozinho procure os seus caminhos literários, tirando do texto o que mais lhe interessar no momento e usufruindo aquilo que vier ao encontro de suas buscas.



REGULAMENTO DA GINCANA:


1) A Gincana de Leitura será constituída de tarefas a serem realizadas e apresentadas na data prevista.

2) A cada tarefa serão atribuídos pontos de 0 a 10.

3) A organização, a pontualidade, a disciplina do grupo e a quantidade dos trabalhos apresentados determinarão maior ou menor pontuação.

4) Cada trabalho deverá ser feito com uma obra diferente, escolhida entre as indicadas pelos professores.

5) Cada membro da equipe é diretamente responsável pelo sucesso do seu grupo, ficando a mais para o líder, somente a tarefa de coordenar os trabalhos.

6) Cada equipe escolherá uma cor para identificá-la.

7) Cabe aos professores julgarem o cumprimento das tarefas.


TAREFAS


1) Representando – escolher um Romance da lista e preparar uma dramatização da cena que o grupo eleger mais interessante.


Data: ____/____/____ Duração: 15 min.


Valor: 10 pontos



2) Divulgando – escolher uma obra para ser alvo de uma campanha publicitária. Elaborar um Outdoor divulgando-a. Selecionar para isso lições que se possam depreender da história.


Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos



3) Noticiando – fazer a primeira página de um jornal, contendo manchetes, textos, ilustrações sobre fatos que compõem a história de uma das obras.



Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos



4) Entrevistando – escolher uma das obras que tenha uma personagem bem interessante e entrevistá-la, usando o conteúdo da história nas perguntas e respostas.



Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos



Observação: um dos membros representa a personagem escolhida e os outros participam da entrevista.



5) Reciclando – apresentar uma maquete de sucata retratando uma cena de uma das obras. Usar em sua confecção apenas produtos recicláveis. Lembrando que uma cena envolve ambiente e personagens.


 Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos


6) Desfilando – organizar um desfile das personagens de uma das obras, caracterizados de forma a serem facilmente identificados.



Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos



Observação: Um dos membros deverá apresentar o desfile, falando do papel de cada personagem da história, com fundo musical.



7) Cantando – escolher uma música bem conhecida e fazer uma paródia, recontando a história de uma das obras (romance / conto ou poesia).


Toda a equipe deve participar.

Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos


8) Recriando – escolher um dos livros para transformar em história em quadrinhos, procurando destacar os aspectos mais importantes, aqueles que merecem maior reflexão.


Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos


9) Julgando – escolher um texto que apresente uma personagem polêmica e organizar um júri. Um juiz, um advogado de defesa, outro será o promotor. Os demais membros for-marão o corpo de jurados. As teses defendidas deverão ser baseadas em fatos da história.


Data: ____/____/____ Valor: 10 pontos



10) Dançando – recontar a história de uma das obras através de uma coreografia. Para isso, escolher músicas instrumentais que tenham afinidade com o tema da obra escolhida e ressaltar em cada um dos participantes a característica mais marcante da personagem representada.


Data ____/___/_____  Valor: 10 pontos Duração- 10 minutos


Obras selecionadas:

São distribuídos 10 textos ( romance, conto, crônica, música, poesia) a cada equipe para a realização das tarefas.

FONTE: PROFESSORES SOLIDÁRIOS.
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/01/sugestoes-de-atividades-para-gincana-de.html

Projeto: Era uma vez...


 


A Literatura na educação Infantil



Leitura é um momento mágico, onde expressamos nossos sonhos, desejos e damos asas ao nosso imaginário, cada mundo que criamos é uma porta que abrimos para o desenvolvimento da leitura e escrita. Mas como incentivar a leitura nas crianças que ainda não conhecem se quer as letras do alfabeto?
Vamos entender...


A criança na educação infantil encontra-se na fase de sua pré-leitura, que é um período pré operatório para a fase de leitura. Nessa fase as crianças aprendem e desenvolvem capacidades e habilidades da sua linguagem oral, construção dos símbolos e também o desenvolvimento de sua percepção onde permitem a relação de suas palavras com as imagens.


Nessa fase os interesses da criança estão na contação de histórias mais curtas, onde se interessam mais por livros com muitas imagens e pouca escrita, onde se permite a descoberta da linguagem visual muito antes da verbal.

As crianças se interessam também por histórias mais longas, aquelas contadas por adultos, que tratam do cotidiano infantil, o papel do professor nessa fase importantíssimo, por isso que devemos ter muito cuidado em saber selecionar as histórias ideais para as crianças, histórias que tenham conteúdo educativo, que façam parte também do seu dia a dia.


Mas, não só o desenvolvimento da leitura deve ser desenvolvido professor como também os pais deve ser peça chave para o auxilio do desenvolvimento da criança.


Pensando nisso, procurei desenvolver um projeto de leitura para todo o ano letivo, onde a participação dos pais nas atividades de casa e na escola serão parte integrante para a execução do projeto de leitura.

Autora: Andreza Santos Florencio de Melo Menezes




Para crianças de ainda não alfabetizadas ou não letradas.


Duração: Todo o ano letivo

Objetivo Geral: - Desenvolver a leitura para crianças ainda não alfabetizadas;

Objetivos Específicos:

- Incentivar a leitura simbólica e visual de forma lúdica;

- Desenvolver e despertar o gosto pela leitura e o desenvolvimentos das histórias com inicio meio e fim;

- Proporcionar um ambiente integrador e estimulador onde a criança será o papel principal no desenvolvimento de sua oralidade;

- Aplicar atividades para casa, onde os pais terão que auxiliar as crianças no desenvolvimento de suas atividades;


Plano de ação:


- Nosso Livro de desenhos de Histórias: O professor ficará responsável por confeccionar uma caderno de desenhos onde a cada dia o professor dará a uma criança para levar para casa sempre a mesma história, esse caderno ficará fazendo rodízio nas casas das crianças e os pais terão que contar a história aos seus filhos e depois os filhos terão que desenhar numa página do caderno

- A Hora do Conto: Uma vez por mês os professores terão que escolher um tema para montagem e apresentação de teatro para as crianças;


- Uma vez por mês os pais terão que participar do momento de leitura com as crianças, eles mesmos poderão escolher o tema e um livro para ler e desenvolver atividades com elas com o auxilio e acompanhamento do professor. (O bom mesmo é que o pai dê essa aula numa sala que seja diferente da sala do seu filho, pois muitas vezes eles ficam enciumados e não permite aos pais a execução do seu plano de aula, mas isso fica a critério dos professores);

Avaliação


No processo avaliativo todas as observações são válidos perante o desenvolvimento da criança, dependendo da situação o professor poderá desenvolver atividades que estimule determinadas habilidades que necessitarão ser trabalhados durante a execução desse projeto.


O processo avaliativo da criança é continuado, observe os seguintes pontos:


Ela participa das atividades de leitura?


Está desenvolvendo suas habilidades motoras, se seus desenhos estão evoluindo?


Presta atenção nas histórias e argumenta suas dúvidas?


É questionadora?


Seu comportamento perante as histórias é de entusiasmo?

Dicas


- É sempre bom trabalhar com massinha de modelar, após contar uma história dê a crianças um momento de lazer para representarem os personagens nas massinhas;


- Após o conto que tal uma roda de conversar com a criança sobre a história, peça que ela contem a sua verão, vai sair cada história! Esse momento proporciona segurança aos alunos;


- Inove sempre, traga objetos, coisas novas para sala de aula. Leve insetos, passarinho e tudo mais que você achar interessante, trabalhe o tema, elas adoram novidades;


- Evite passas filmes longos;


- Evite histórias complexas que sejam tristes, pode frustrar a criança e deixá-la com medo de determinadas situações;
 
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/01/projeto-era-uma-vez.html

Projeto Leitura - Tempo de Ler






TEMA

O despertar da paixão por livros: Uma busca pelo letramento.

SUB TEMA: É tempo de ler.


PROBLEMÁTICA


Para ser alfabetizado hoje, o sujeito precisa ser capaz de atender demandas de leituras e escrita cada vez mais diversificada e sofisticada. Daí, como a escola pode contribuir para o contato e a formação do leitor – letrado? A parceria escola e família podem fazer acontecer o letramento sem perder de vista à formação de leitores apaixonados?

JUSTIFICATIVA


A preocupação com o desenvolvimento do conhecimento, justifica-se pela contribuição indispensável que as práticas de leitura assumem desde a infância na formação de leitores. Para Feud Linard “num país castigado pelo analfabetismo, projetos de incentivo a leitura são mais que bem-vindos: são fundamentais”. Diante disso, o desafio é trabalhar com crianças do Ensino Infantil o prazer da leitura ainda na fase de alfabetização. Para tanto, é viável a parceria escola e família que juntas podem acelerar o processo de letramento de nossas crianças e, despertar a paixão por livros. O presente projeto apóia-se na tória de Vygostsky que para ele, além do desenvolvimento real, que encerra as atividades que a criança é capaz de realizar autonomamente, existe o nível de desenvolvimento potencial, no qual se incluem as atividades que ela consegue realizar mediante a colaboração de um adulto ou de pares mais capazes. Entre ambas as zonas, existe uma terceira zona, chamada de desenvolvimento proximal, a qual, ele postula que é nela que o bom ensino deve incidir, desvendando os caminhos por onde o desenvolvimento infantil pode seguir.

OBJETIVO GERAL


•Integrar família e escola no processo de desenvolvimento das habilidades leitoras desertando o gosto, prazer e interesse pela leiturapor meio da realização do Tempo de Ler.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
•Envolver a família nas práticas de leitura;

•Colocar o aluno em contato com variados livros;

•Desenvolver a linguagem verbal do aluno;

•Resgatar a atenção da família para com a criança;

•Motivar o aluno a querer ler;

•Desenvolver a paixão por livros;

•Promover a aproximação aluno, escola e família;

•Atender a demanda atual de formar leitores apaixonados pelo ato de ler;


METODOLOGIA

Inicialmente, será feita uma oficina de apresentação para a família, colocando-a em sintonia com a proposta do projeto.


As atividades seguintes serão feitas em sala de aula, a partir da leitura de um tipo de texto a cada semana/ aula e, a partir do qual desembocará todos os trabalhos propostos em sala.


A leitura feita em sala poderá variar entre: Textos Informativos, Bíblicos, poesias, parlendas, piadas, contos, músicas, versos de cordel, histórias infantis, receitas, listagem, rótulos, etc.


Paralelo ao trabalho do professor em sala, às Sexta-feira, cada aluno levará um livro em uma sacola decorada, que deverá ser lido em família e, no retorno à escola, o aluno deverá transmitir aos colegas a experiência do Tempo de Ler recontando a história.


Mensalmente os pais preencherão uma ficha de acompanhamento do projeto.
RECURSOS

Humano; livros; textos diversos; sacola do projeto; músicas; som; TV; papel diversos; CD; DVD; tesoura;

tinta; lápis de cor; fantoches; cola; caracterização de personagem

DURAÇÃO

30 de Maio a 14 de Novembro

AVALIAÇÃO

Será feita por meio das fichas de acompanhamento mensal que juntamente com a coordenação pedagógica da escola será feita discursões para adequar o projeto às necessidades geradas e, ao termino da duração prevista para a aplicação do projeto, haverá uma avaliação geral com a presença da família

REFERÊNCIAS

NOVA Escola. A revista de quem educa. Edição Especial LEITURA. Nº18. Abril, 2008.

RIBEIRO, Vera Masagão. Ensinar ou Aprender? Emília Ferreiro e a alfabetização. 2. ed. Campinas, SP: Papirus,1999.


ANEXOS - PROJETO DE LEITURA

TEMA O despertar da paixão por livros: Uma busca pelo letramento.

SUB TEMA É tempo de ler.

1. CONTROLE DE ENVIO DE LIVROS

(tabela de três colunas com DATA/ NOME DO LIVRO/ ALUNO

2. FICHA DE ACOMPANHAMENTO DA FAMÍLIA

SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE!

QUEIRA POR GENTILEZA LER E ESCOLHER A OPÇÃO QUE RESPONDE A QUESTÃO.



NOME DE SEU FILHO ________________________________________________


Como você considera o ato de ler semanalmente para seu filho?
GRATIFICANTE ( ) CANSATIVO ( ) MARAVILHOSO ( ) MUITO BOM ( ) MUITO TRABALHOSO ( ) OUTROS ( ) o quê? _______________________


Foi difícil fazer a leitura para seu filho?
NÃO ( ) FOI SÓ UM POUCO ( ) FOI MUITO DIFÍCIL ( )

Seu filho quis ouvir as histórias?
UMA SÓ VEZ ( ) MAIS DE UMA VEZ ( )

Você somente leu as histórias?
SIM, SOMENTE LIR ( )
FIZ A LEITURA E TAMBÉM CONVERSEI SOBRE A HISTÓRIA ( )
FIZ A LEITURA E PEDIR QUE ELE RECONTASSE ( )


Seu filho tem pedido que você leia para ele, mesmo quando não vai livro do projeto?
NÃO ( ) SIM ( ) ÀS VEZES ( ) DIARIAMENTE ( )



Como você considera a idéia de enviar um livro para leitura em família?
PERCA DE TEMPO ( ) MOTIVADORA PARA A CRIANÇA ( ) DESGASTANTE PARA OS PAIS QUE TEM QUE LER PARA OS FILHOS ( ) REGULAR POIS NÃO É UMA EXPERIÊNCIA MUITO BOA POIS EXIGE MUITO DOS PAIS ( ) OUTRA OPINIÃO ( ) qual?


Deixe aqui registrada a sua opinião, crítica ou sugestão.




_________________________________________

Assinatura do Pai, Mãe ou Responsável. 
 
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/01/projeto-leitura-tempo-de-ler.html

PROJETO 4º ANO: MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE...


 

PROJETO ANUAL 4º ANO: Um por todos... e todos pelo futuro do planeta!

“De nada adianta trabalhar o respeito ao ambiente se não há o respeito pelas pessoas entre si.”

OBJETIVO GERAL:

Sensibilizar para o respeito à diversidade das relações fraternas.

Promover situações práticas em defesa à sustentabilidade do nosso planeta.

JUSTIFICATIVA:


“As pessoas cuidam do meio ambiente por duas razões apenas: por amor ou por temor. Vale dizer, algumas pessoas conservam a natureza porque gostam, porque acham bonito, independente para ela servir para alguma coisa. Elas conservam por razões puramente afetivas . Outras conservam porque já ouviram falar no desequilíbrio ecológico, porque tem medo de cortar a mata, assorear os rios, acabar com o oxigênio, a poluição dá doença, etc. Assim, basicamente nós temos um fator afetivo e um fator cognitivo, este depende do conhecimento. A preocupação maior de um educador ambientalista deve ser o de desenvolver no aluno esses dois fatores.(OLIVEIRA, 1990,p.18)

“O convívio escolar será um fator determinante para a aprendizagem dos valores e atitudes. Considerando a escola como um dos ambientes mais imediatos do aluno, relação a elas se darão a partir do próprio cotidiano da vida escolar do aluno. (PCN’s 2.001)

Cuidar do destino do nosso meio ambiente é responsabilidade de todos. A escola é um lugar favorável à Educação Ambiental pelo fato de ser grande geradora de resíduos. Então, é importante que trabalhemos no sentido de envolver nossos alunos, pais, educadores e funcionários para que esta situação modifique, formando novos hábitos.


Partindo do princípio que a educação ambiental é um processo longo e contínuo, devemos mudar nossos hábitos e atitudes de maneira espontânea.


A Educação Ambiental é muito mais do que conscientizar sobre o lixo, a reciclagem e a poluição. É trabalhar situações que possibilitem a comunidade escolar pensar propostas de intervenção na realidade nos cerca. Ela será o elo entre todas as disciplinas que favorecerá a valorização da vida e, consequentemente do meio ambiente.


Entretanto, na criança é mais fácil desenvolver a sensibilidade, o gosto e o amor pela natureza, já no adulto, algumas vezes, é preciso desenvolver o respeito.


Sabemos que o que o meio ambiente não é destruído por falta de conhecimento, mas sim devido ao estágio de desenvolvimento existente no mundo.


O trabalho de conscientização da destruição do meio ambiente na escola, será para resgatar a necessidade de conciliar a teoria com a prática no dia a dia, garantindo, o futuro do planeta e da humanidade.


Desta forma, teremos uma noção que tudo está interligado. Somos parte da natureza e não devemos esquecer isto.


Este projeto contempla a necessidade de pequenos atos, que serão responsáveis por grandes transformações que devem ser assumidas por nós, para o resto de nossas vidas e assim estaremos garantindo o futuro de nossas gerações com fraternidade e sustentabilidade.


“O Brasil está a um passo de se firmar como uma potência sustentável, então estar a par das últimas novidades da área ambiental deixa de ser uma curiosidade, para tornar-se uma necessidade.”





OBJETIVOS ESPECÍFICOS:



Educar para conquistar um vínculo amoroso com a Terra, não para explorá-la, mas para amá-la.


Conviver num ambiente agradável onde um possa respeitar o outro e todos respeitem a natureza.


Compreender o sentido de ser um cidadão consciente e participativo nas ações de preservação do meio ambiente.


Adotar atitudes de solidariedade, companheirismo, respeito e cooperação.


Aprender a resolver conflitos por meio do diálogo, ouvir e respeitar os outros.


Adotar posturas pessoais e comportamentos sociais construtivos, baseados na prática das virtudes, colaborando para a construção de uma sociedade justa, em um ambiente saudável.


Repensar e avaliar as atitudes diárias e a suas conseqüências no meio ambiente em que vivemos.


Despertar o interesse pelos diferentes tipos de leitura.


Produzir textos e histórias matemáticas utilizando assuntos e dados sobre as questões ambientais.


Estimular a mudança na prática de atitudes e a formação de novos hábitos com relação à utilização dos recursos naturais.


Favorecer a reflexão sobre a responsabilidade ética de nossa espécie e planeta para garantir um ambiente sustentável.


Participar de ações sociais que resgatem valores humanos como respeito pela vida, responsabilidade, solidariedade, amizade e ética.


Envolver a comunidade escolar e família neste processo de relações fraternas e preservação do meio ambiente.


Conhecer a realidade da sala de aula e pátio da escola para busca coletiva de soluções.. (desperdício ou economia de papel, destino correto do lixo, torneiras abertas ou fechadas, lanche saudável ou prejudicial à saúde, preservação das árvores ou destruição, etc.)


Estabelecer diferença entre separar, reciclar e reutilizar.


Proporcionar o contato e o uso dos recursos tecnológicos como aliados ao processo de aprendizado e também ao processo de preservação do meio ambiente.

METODOLOGIA:


O projeto será trabalhado de maneira interdisciplinar.


O 4º Ano trabalhará com atividades que possibilitem o desenvolvimento do senso crítico e autonomia dos alunos, de modo à provocar uma mudança de atitude. Como está na citação de Guimarães, 1.995.


“A sensibilização do educando deverá ser conseguida por uma relação prazerosa dele com o processo. Assim sendo, destaca-se na educação ambiental a importância do aspecto lúdico e criativo das atividades e dos procedimentos para envolver integralmente o educando, tanto em seu lado racional como emocional- o que deve ser considerado em um plano de ação.”

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES:



1º TRIMESTRE

Campanha da Fraternidade/ 2.011-Significado e objetivo.

Divulgação do projeto na comunidade escolar.

Vídeo: Carta da Terra de Michele Sato e interpretação.

Confecção da logomarca do projeto com os alunos. (concurso de desenhos)


Questões elaboradas pela turma, sobre lixo, animais, economia de luz e água, etc. para aplicar na vizinhança da escola e suas famílias e, posteriormente criar um gráfico e/ou tabela sobre o assunto em questão, para estudo em sala de aula.

Construção do Alfabeto Ecológico

A importância das virtudes para um relacionamento harmonioso entre as pessoas e o meio ambiente. (ANO TODO)

Coleta seletiva do lixo. (Os três R’s da Educação Ambiental: Redução, Reutilização e Reciclagem.)

Pesquisas

Páscoa: Significado

Confecção das cestas

Caça ao Tesouro: Coelhinho Ecológico

Dia do livro: ?

Dia do índio: Os indígenas e a preservação do meio ambiente

Descobrimento do Brasil e o meio ambiente naquela época.(comparação)

Montagem de painel

Filme e interpretação

A Nova Carta de Pero Vaz de Caminha: interpretação

2º TRIMESTRE


Construção: “Jardim do 4º ANO”

Dia das Mães:?

Estudo do município: Projeto


Localização no estado; capital; origem; atividades econômicas; aspectos geográficos; preservação ambiental; imigrantes; Viagem de estudos (Passeio Ecológico)


Dia Mundial do Meio Ambiente-Vídeo: A História das coisas- Reflexão.


Textos de diferentes gêneros literários para interpretação (lixo, poluição, desmatamento, água, aquecimento global, reciclagem, etc.); teatro sobre este tema; trabalhos artísticos; escolha do Casal Caipira Meio Ambiente (melhor caracterizado- melhor poesia sobre meio ambiente declamada- melhor produção textual sobre o meio ambiente);
Livro de receitas alternativas;

construção minhocário e horta;

reaproveitamento dos alimentos e consumismo;

Direitos Humanos; Direitos dos animais.

Palestra sobre consumo consciente;

Saídas de campo;

Visita ao supermercado para pesquisa de embalagens recicláveis, produtos biodegradáveis, bem como preços.

Mini projeto de Literatura infantil: O Pequeno Príncipe

Dia dos Pais: Happy Hour Ecológico- lanches saudáveis ( exposição do passado e presente do meio ambiente envolvendo os pais e alunos); entrega das lembrancinhas.

3º TRIMESTRE

A vida do Capixaba; preservação do nosso estado; painéis; mateada; músicas e interpretação; Hora cívica; Hino do Brasil, RS e interpretação; Independência do Brasil.

Semana da criança com atividades diferenciadas; painéis;

Direito das crianças e deveres;

Olimpíada Ambiental;

Concurso da melhor foto do meio ambiente de nosso município (Apelo à preservação).

O mês de novembro será destinado a revisão geral dos conteúdos, avaliações e atividades que não foram possíveis realizar no tempo previsto.

Textos significativos sobre o Natal e interpretação;

Trabalhos artísticos envolvendo o tema Natal;

Montagem da Árvore de Natal Ecológica ( meus amigos);

Produções textuais sobre o tema;

Ensaios e apresentação de Natal.


"O futuro não é algo que simplesmente acontece por si mesmo. Estamos criando o amanhã neste mesmo momento. Hoje em dia muitas pessoas sentem-se como meros espectadores dos fatos globais. Mas devemos aprender que todos nós somos atores e que estamos modelando nosso futuro agora mesmo". Jostein Gaarder


RECURSOS:

Vídeos; cds; multimídia; laboratório de informática;câmera fotográfica; cartazes; pesquisas; palestras; revistas e jornais; histórias contadas (livros de literatura infantil); tintas e telas; giz de cera; pincel; cola colorida; dicionário; livro de Português; passeios; viagem; Biblioteca Infantil.
AVALIAÇÃO:


Espera-se que durante o desenvolvimento das atividades previstas, aplicadas à Educação Ambiental...


*** mudança de comportamento dos educandos na comunidade escolar e meio que vivem, voltado para a sustentabilidade;


*** exercício da cidadania, solidariedade e cooperação entre escola e comunidade;


*** envolvimento dos alunos com as atividades propostas, dos textos produzidos e conteúdos em estudo, para posterior emissão de parecer descritivo trimestral.

BIBLIOGRAFIA:

Parâmetros Curriculares Nacionais: Meio ambiente e saúde. Temas Transversais. Ministério da Educação.- 3ª Ed.

Guimarães, M. A Dimensão Ambiental na Educação- Campinas, S. Paulo: Papirus, 1.995.

Gadotti, M. Pedagogia da Terra. São Paulo: Fundação Peirópolis, 2000

Tristão, Martha. A educação Ambiental na formação de professores. São Paulo: Facitec, 2004.

Fonte de Pesquisa:

http://www.vivendosaudavel.com/globo-natureza-g1-globo-comnatureza/

http://www.informativo.com.br/blogs/ambiente/?tag=natureza

http://anaseriesiniciais.blogspot.com/

http://www.slideshare.net/amandinhaff/projeto-reciclagem-2500115

http://www.slideshare.net/rositalima/projeto-meio-ambiente-2010 http://www.slideshare.net/Denise/projeto-meio-ambiente http://www.slideshare.net/eliana/projeto-educao-ambiental-na-escola

http://miriamsalles.info/wp/?p=2091
 
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/02/projeto-4-ano-meio-ambiente-e.html

VIVENDO, APRENDENDO E PREVENINDO


 
RESUMO


Acidentes domésticos são comuns e responsáveis por um grande número de lesões ocorridas com crianças e adolescentes. Muitas vezes, atividades cotidianas e brincadeiras, no caso de crianças, são executadas sem os cuidados necessários por não ser dada atenção à atitudes de risco. Quedas, queimaduras, intoxicações, afogamentos e sufocações são responsáveis por um elevado número de ocorrências e internações nos hospitais. Assim, este projeto tem por objetivo desenvolver um material visando à educação de crianças e adolescentes para incentivar atitudes seguras no dia-a-dia. Pois, quando a criança aprende, desde cedo, a ter atenção para cada atividade que é, por ela, desenvolvida, por mais simples e cotidiana que essa seja, e a buscar atitudes seguras, ela leva este hábito a todas as suas atividades, reduzindo os acidentes ou minimizando seus efeitos ao longo de toda a vida. A fim de atingir esse objetivo, estão sendo desenvolvidas cartilhas abordando diferentes temas, relativos à segurança. Essas cartilhas serão distribuídas em escolas de ensino fundamental para serem usadas em aulas que tratem do assunto “segurança”. Serão oferecidas às escolas, orientações para o uso das cartilhas durante as aulas e palestras sobre o assunto.
PALAVRAS-CHAVE: Prevenção de acidentes. Educação. Segurança.
APRESENTAÇÃO DO PROJETO


Os acidentes domésticos são muito comuns, e mesmo tendo cuidado, alguns objetos e situações apresentam riscos, principalmente para as crianças. As brincadeiras das crianças podem terminar em graves acidentes, internações em hospitais e, até mesmo, levar à morte. Afinal, elas não são capazes de avaliar o risco de brincadeiras com fósforos, caixas d´água ou panelas com água ou óleo quente. E, atitudes como essas, fazem com que, todos os dias, aproximadamente 270 crianças sejam hospitalizadas no Brasil por causa de acidentes domésticos, de acordo com pesquisa da ONG Criança Segura. No Espíríto Santo, uma estatística da Promotoria da Infância e Juventude reafirma o perigo dos acidentes caseiros, mostrando que 70 mil crianças estão fora de creches ou escolas e, muitas vezes, ficam sozinhas por várias horas sem a supervisão de adultos.
Apresentados pela ONG citada anteriormente, foram obtidos em registros do Ministério da Saúde que constata que quedas, queimaduras, intoxicações, afogamentos e sufocações foram responsáveis por 98.310 internações de pacientes menores de 14 anos em 2005. No Brasil, a maior causa de morte de crianças a partir de 5 anos de idade são os acidentes. Segundo pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde em 1997, acidentes de automóveis, quedas, queimaduras, afogamentos e intoxicações foram responsáveis por um elevado número de mortes de crianças e adolescentes até 14 anos de idade (Ministério da Saúde, 2009). Para que as crianças tenham realmente atenção e, a prevenção de acidentes seja eficaz, acredita-se que não basta proibi-las de fazerem determinadas atividades ou atitudes, mas deve-se ensiná-las e alertá-las quanto aos riscos que certos atos possuem, para que possam desenvolver a noção de qual tipo de comportamento é perigoso. A prevenção de acidentes pode evitar a sua ocorrência ou minimizar seus potenciais danos. Essa prevenção pode e deve ser realizada no dia-a-dia e, por esse motivo, é importante que as pessoas conheçam os acidentes mais comuns e suas origens, para que possam adotar medidas capazes de evitá-los. As crianças e os adolescentes são mais propensos a sofrer acidentes porque algumas características típicas desta fase podem conduzi-los aos perigos. Algumas dessas características são: a curiosidade, a atração pelas novidades, a inexperiência e a falta de conhecimentos suficientes para prever e evitar as situações que a eles causam riscos. Em geral, os riscos de acidentes são maiores onde há miséria, doenças e falta de adultos por perto. Na zona rural, há também os riscos de acidentes de trabalho, já que muitas crianças e adolescentes trabalham em atividades rurais desde muito novos. Atualmente, os avanços na ciência e tecnologia fornecem suporte para que vidas possam ser salvas e as consequências de acidentes sejam reduzidas. Apesar disso, as taxas de mortalidade continuam elevadas, assim como os custos decorrentes de qualquer tipo de acidentes. Devido a esses fatores, medidas simples de segurança doméstica e prevenção de acidentes devem ser tomadas. Assim, a educação para a prevenção de acidentes é importante a fim de minimizar os acidentes e seus danos e consequências, não somente na infância e adolescência, mas também durante toda a vida das pessoas. A prevenção de acidentes é muito importante por várias razões, entre elas o bem-estar das pessoas, a fim de minimizar acidentes domésticos com adultos e crianças e educar as pessoas para que, a médio e longo prazo, seja atingida também a prevenção de acidentes de trabalho, devido ao comportamento desenvolvido desde a infância. Além disso, com a prevenção de acidentes e redução de seus danos, também se reduz os gastos com atendimento médico e danos materiais. Além disso, as engenharias estão diretamente ligadas à segurança e prevenção de acidentes, sendo assim, há um grande interesse do curso de Engenharia Civil em trabalhar com a educação para a prevenção de acidentes e estar em sintonia com o projeto pedagógico do curso, que visa a formar cidadãos éticos e conscientes de seu papel na sociedade. Portanto, pretende-se desenvolver, por meio deste projeto, atividades e cartilhas voltadas à educação para a prevenção de acidentes, direcionadas à crianças na idade da pré- escola, ensino fundamental e médio. Este projeto deve ser levado para escolas públicas e privadas, de ensino médio e fundamental, de sua cidade.


A equipe da escola será responsável pelo desenvolvimento do material (cartilhas), divulgação nas escolas e orientação dos professores para a utilização das cartilhas.


JUSTIFICATIVA


A educação para a prevenção de acidentes é importante para minimizar os acidentes e seus danos e consequências, não somente na infância e adolescência, mas também durante toda a vida das pessoas. Sendo assim, este projeto está relacionado à prevenção de acidentes e é direcionado a crianças e adolescentes de 7 a 18 anos, alunos de ensino médio e fundamental, visando o desenvolvimento de atitudes preventivas que acompanhem essas crianças e adolescentes por toda a sua vida, minimizando os riscos e acidentes também no ambiente de trabalho e na terceira idade. Pretende-se introduzir a “Prevenção de Acidentes” em disciplinas nas escolas a partir das séries iniciais, estendendo-se até o ensino médio, coincidindo com o início das atividades laborais. Pretende-se realizar a educação para a prevenção de acidentes por meio de cartilhas desenvolvidas de acordo com a faixa etária de interesse. Para crianças, pretende-se desenvolver cartilhas de acordo com a faixa etária de interesse. Para crianças, pretende-se desenvolver cartilhas semelhantes a gibis, a fim de manter a atenção das crianças e tornar o aprendizado mais interessante e divertido.


Pretende-se levar este projeto para escolas de ensino médio e fundamental, de escolas públicas e privadas, de sua cidade, tendo em vista levar a educação para a prevenção de acidentes para crianças e adolescentes de 7 a 18 anos, abrangendo em torno de todos os estudantes. Com isso, espera-se, a longo prazo, diminuir o número de acidentes e suas consequências. E, como resultado imediato, espera-se mostrar à sociedade a importância da prevenção de acidentes e associar a atitudes cotidianas que evitem ou minimizem os danos em acidentes domésticos, procurando melhorar o bem-estar de toda a sociedade.


OBJETIVOS


A seguir, são apresentados os objetivos gerais e específicos do projeto. O objetivo geral deste projeto é desenvolver um material didático (cartilhas) visando a educar alunos de ensino fundamental e médio para a segurança, mostrando que as formas de prevenção de acidentes devem ser tratadas, analisadas e aplicadas de forma científica. Pretende-se chamar a atenção das pessoas para os perigos com potencial para acidentes graves, que atividades rotineiras e brincadeiras, podem oferecer e propor atitudes para evitar esses acidentes ou minimizar suas consequências. Não se trata de cercear a prática dos divertimentos e brincadeiras, mas de evidenciar nesses, os perigos ocultos com potencial para acidentes graves. Pretende-se também inserir a instituição na formação de uma nova geração, preocupada com a sua segurança e a das pessoas ao seu redor, mostrando a vocação educacional, filantrópica, extensionista e social.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS


*Identificar os perigos com potencial para acidentes em atividades cotidianas de crianças e adolescentes; *Identificar atitudes que possam minimizar ou evitar os acidentes identificados na atividade anterior;
*Elaborar cartilhas direcionadas para várias faixas etárias (desde o ensino fundamental até o ensino médio), abordando o tema “Prevenção de Acidentes”;
* Divulgar essas cartilhas em escolas públicas e privadas da cidade de Poços de Caldas;
*Orientar os professores das escolas públicas e privadas para a abordagem do tema “Segurança e Prevenção de Acidentes” em suas aulas, utilizando o material desenvolvido neste projeto.
METAS QUE SE PRETENDE ALCANÇAR


*Estimular nos estudantes a preocupação com a segurança e a identificação dos perigos que atividades do cotidiano possam causar;
*Diminuir os índices e os potenciais de gravidade dos acidentes em todos os segmentos de nossa sociedade, dentre eles, a longo prazo, os acidentes de trabalho;
*Aumentar os conhecimentos dos alunos de Engenharia na área de segurança e análise de riscos, assim como desenvolver seu interesse pela área de educação e ensino, ao desenvolver um material didático e orientar os professores das escolas em sua utilização;
*Despertar, nos professores, o reconhecimento da importância dos conhecimentos deles na área de segurança e análise de riscos, além da experiência adquirida no desenvolvimento do material didático (cartilhas).
METODOLOGIA


A metodologia de trabalho que está sendo aplicada é baseada no desenvolvimento dos temas de interesse para cada grupo de pessoas, de acordo com a sua faixa etária, na forma de cartilhas. O desmembramento dos assuntos será realizado conforme os níveis: pré-escola, ensino fundamental e ensino médio. Um ponto importante é que as informações preventivas em relação aos acidentes sejam introduzidas de forma gradual respeitando a idade e a série que o aluno estiver cursando, considerando os riscos a que se expõem nas atividades próprias da idade. Visando a uma aplicação em âmbito municipal, o projeto será implementado nas escolas em forma de cartilhas, cada uma abordando um tema específico.
Por exemplo, a “Prevenção de Acidentes no Lar” desdobrada em vários módulos como: Quedas, Eletricidade, Produtos Químicos, Plantas Venenosas, entre outros; a “Prevenção de Acidentes nos Divertimentos”, abordando os Parques de Diversões, Soltar Pipas, A Utilização de Bicicletas e demais brincadeiras, conforme a idade. Para a cobertura dos assuntos, o projeto estabelece, inicialmente, um total de 9 “Cartilhas do Aluno”, cada uma delas acompanhada de um “Manual do Professor” com as orientações didáticas, os conceitos prevencionistas específicos, além das explicações necessárias ao pleno entendimento de cada parágrafo da cartilha do aluno. As cartilhas são intituladas "Vivendo, Aprendendo e Prevenindo". A avaliação e monitoramento das ações deste projeto serão realizadas por meio de formulários, cujo preenchimento será solicitado aos alunos, professores e pais dos alunos que usarão as cartilhas. Além disso, pretende-se introduzir na última página de cada cartilha, uma chamada para que as crianças e adolescentes escrevam fazendo perguntas, oferecendo sugestões ou relatando algum acidente relacionado ao assunto da cartilha, que por ventura tenham conhecimento. Com isso, a intenção é determinar o interesse despertado pela cartilha nos alunos.


ATIVIDADES DESENVOLVIDAS


Para a realização deste projeto, realizam-se reuniões semanais com os integrantes do grupo (alunos e professores), a fim de realizar as análises dos riscos e determinação das medidas preventivas, para, posteriormente, desenvolver as cartilhas.
As etapas desenvolvidas para o desenvolvimento do projeto são:
1. Identificar os perigos com potencial para acidentes em atividades cotidianas de crianças e adolescentes; 2. Propor atitudes que possam minimizar ou evitar os acidentes identificados na atividade anterior;
3. Elaborar cartilhas direcionadas para várias faixas etárias (desde o ensino fundamental até o ensino médio), abordando o tema “Prevenção de Acidentes”;
4. Divulgar essas cartilhas em escolas públicas e privadas da cidade de Poços de Caldas;
5. Orientar os professores das escolas públicas e privadas para a abordagem do tema “Segurança e Prevenção de Acidentes” em suas aulas, utilizando o material desenvolvido neste projeto.
DESENVOLVIMENTO


Desenvolvimento do Projeto Durante o primeiro semestre, realizaram-se as atividades descritas a seguir. Primeiro, foi realizada uma pesquisa bibliográfica em relação aos perigos e aosacidentes envolvendo crianças e adolescentes e definidas as atitudes que possam evitar, ou minimizar, esses acidentes e suas consequências. Após essa etapa, foi elaborada a primeira cartilha na forma de uma história em quadrinhos, com a finalidade de despertar mais a atenção das crianças pelo assunto. A primeira cartilha foi enviada para impressão, porém ainda não foi entregue pela gráfica. E essa primeira cartilha, aborda os perigos de acidentes que possa ocorrer com crianças na escola, em casa e nas brincadeiras. O assunto é dividido em partes como “Quedas”, “Escadas”, “Brincadeiras” etc. As cartilhas têm que ter forma similar a de uma revista em quadrinhos, com a finalidade de fixar a atenção das crianças e, cada assunto, apresentar figuras que ilustram os perigos de acidentes.
Apresentar alguns exemplos de perigos identificados e figuras que os ilustram. Cuidados no banheiro: Os escorregões são os maiores causadores de quedas nos banheiros, eles acontecem devido a: água, xampu, pedaços de sabonete e outros produtos espalhados pelo piso. Nas banheiras... ... ou nos chuveiros... Ao sair do banho, devemos utilizar de chinelas próprias ou pisar sobre tapetes que não escorregam.


Cuidados nas alturas... Quando tivermos que pegar qualquer objeto nas partes altas dos armários, estantes ou prateleiras, que esteja fora do alcance de nossas mãos, devemos pedir ajuda. Usar de banquinhos, cadeiras ou outros objetos colocados um sobre o outro para alcançar a altura desejada é muito perigoso. A escada doméstica, de abrir, é o meio mais apropriado e seguro para isso. Quando a cartilha for elaborada pelos professores, ela deverá ser distribuída para os alunos.


Este projeto despertou no aluno e professores o interesse pela área de segurança em geral, assim, logo após finalizar as cartilhas previstas neste projeto, o mesmo será complementado com um manual de segurança na escola e comunidade. Através de uma pesquisa a respeito de segurança, que já foi iniciada. Para o aluno/comunidade envolvidos neste projeto, esta experiência tem-se mostrado bastante importante por ser a primeira vez que ele tem contato com a área de segurança. E esta área, tem-se mostrado bastante interessante e importante para o aluno, tanto em atividades cotidianas quanto em suas atividades profissionais.


CONCLUSÃO


Os acidentes envolvendo crianças são muito comuns e, muitas vezes, atividades cotidianas podem apresentar graves riscos a saúde infantil. Algumas vezes, esses acidentes são tão graves que podem levar à morte. Portanto, com o objetivo de conscientizar às crianças sobre os perigos que atividades cotidianas podem ter e propor atitudes que evitem esses acidentes, ou pelo menos minimizem os efeitos dos mesmos, estão sendo desenvolvidas cartilhas que visam a orientar crianças de diferentes faixas etárias a ter atitudes preventivas a fim de evitar acidentes ou minimizar às consequências dos mesmos. O projeto está em andamento e até o momento todas as atividades previstas foram realizadas, exceto a distribuição da primeira cartilha, já que a mesma foi enviada para a gráfica, mas ainda não ficou pronta. As demais cartilhas já estão em fase adiantada de elaboração e serão encaminhadas à gráfica assim que a primeira cartilha for entregue. Está sendo desenvolvido também um manual de segurança, o que não era previsto no projeto inicial.


REFERÊNCIAS


GURGEL, Isney Isabel – Prevenção de Acidentes no lar, na Escola, na Rua – Coleção SESI-, 3ªEdição. São Paulo- 1979. PREVENÇÃO E AÇÃO – Informativo da 18ª Cia. Do 2° Batalhão de Bombeiros. Poços de Caldas, ANO1- n°3.

PARA OS ALUNOS DO 4° ANO - IDEIASTrabalhar, o livro “A vaca voadora” de Edy Lima, em nosso Projeto de Leitura. Dentre outros assuntos, o livro aborda o tema: acidentes domésticos.
Para aprender mais, os alunos dos 4ºs anos assistiram a uma palestra com o bombeiro Vinícius e descobrimos que o maior índice de acidentes domésticos, acontece com crianças.
Pensando nisso, os alunos confeccionaram cartazes informativos e produziram uma música para conscientizar e alertar sobre esses perigos, que cercam adultos e principalmente as crianças.
 
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/02/vivendo-aprendendo-e-prevenindo.html

Projeto Alimentação Saudável



Olá queridos amigos, como passaram o fim de semana, eu passei muito bem!


Bom, este projeto faz parte de uma sequencia de atividades que a nossa querida Maria Imaculada nos enviou a umas semanas atrás. Bom agora não falta mais nada.


Projeto Alimentação Saudável
Tema: Alimentação Saudável

Professoras: Ana Maria, Antônia, Cíntya Thais, Liliane, Maria Aparecida, Maria Imaculada, Maria Madalena, Márcia Gama, Regina, Roseli Reche, Sandra, Vanda.


Ano: 1º
Tempo previsto: 1 mês

Justificativa:

Pensando nas necessidades de uma boa saúde, propor hábitos e costumes de se alimentar bem favorecendo assim um bom desempenho escolar.


Objetivos:

• Conhecer produtos que compõem uma alimentação saudável.

• Coletar diferentes receitas e instruções de uso na cozinha.

• Avaliar a aquisição da linguagem e escrita.

• Produzir um cardápio.

• Produzir um caderno de receitas.

• Conhecer os rótulos de alguns alimentos (produtos).


Habilidades:

A6 – Expor oralmente temas estudados (com preparação prévia).

A7 – Formular hipóteses sobre o sistema de escrita.

A11-Ler para usufruir momentos de lazer e estabelecer relação entre realidade e fantasia, adequando os procedimentos de leitura aos objetivos da própria leitura.

A16- Desenvolver o hábito de pesquisa e consulta.

A17- Identificar os diferentes usos do número nas práticas sociais.

A18- Interpretar e produzir escrita numérica.

B1- Organizar dados e informações em gráficos e tabelas.

B4- Reconhecer as grandezas mensuráveis e suas unidades de medida correspondentes.

D1- Fazer algumas relações entre o meio ambiente e as formas de vida que ali se estabelecem, valorizando sua importância para a preservação das espécies e para a qualidade de vida humana.

G1- Reconhecer a importância de uma atitude responsável de cuidado com o meio em que vive.

G 2 – Relacionar bons hábitos de higiene, de alimentação e de atividades físicas a uma boa saúde.

G 3 – Adquirir atitudes e comportamentos favoráveis à preservação da saúde em relação a higiene corporal e ambiental, modo de transmissão e de prevenção de doenças contagiosas.

H1- Perceber e respeitar semelhanças e diferenças culturais, hábitos, costumes, etnias.

J2 – Saber ouvir pontos de vista divergentes com respeito.



Etapas:

1- Realização do Quadro de Cognição.

2- Roda de conversa sobre alimentação.

3- Organizar lista de alimentos consumidos na merenda escolar.

4- Receita da galinhada. (alimentos que a compõem).

5- Confeccionar a caderneta de receita.

6- Experimentar alimentos para classificá-los (amargo, doce, salgado, ácido, etc.).

7- Avaliação da sequência com relação a aprendizagem.

8- Produto final: Depende da classe, a minha vamos confeccionar uma caderneta de receita e as crianças vão dar de presentes para as mães no dia das mães.


Recursos Materiais

Diversos.

Avaliação: Será feita todos os dias, durante a realização das atividades. 
 
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/07/projeto-alimentacao-saudavel.html

Reciclando Giz de Cera

Reciclando Giz de Cera



Vamos recilcar giz de cera?

Sabem aqueles pedacinho de giz que criança nenhuma quer aproveitar?

Pois bem, então vamos juntar tudo colocar no forno, derreter e fazer giz de cera colorido!

Legal não é?

Como fazer? Simples:

Coloque os giz de cera numa assadeira e leve ao forno brando até derreter, após derreter espere esfriar e desenforme.

Corte da menira que preferir.

Se tiver formas de biscoitos como florzinha e bichinhos ainda melhor, as crianças vão adorar e o material que

seria jogado fora será disputado nas aulas de pintura.

Você pode tambem utilizar a forma de silicone.

Vou fazer em casa!

Faça você também!


Fonte das imagens:

http://edypinturaseartes.blogspot.com/2009/03/reciclagem-giz-de-cera.html

http://casadecoraoartesecoisitasmais.blogspot.com/2011/02/de-volta-as-aulas-reciclando-giz-de.html






 
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/02/reciclando-giz-de-cera.html

Reciclar: Uma grande ideia...

Reciclar: Uma grande ideia

Imagine uma bolinha de neve no topo de uma montanha que começa a rolar morro abaixo. Quando ela chegar lá embaixo, terá virado um imenso bolão, não é? Isso é o que acontece com o lixo.

Cada um de nós, brasileiros, produz mais ou menos 500 gramas de lixo todos os dias. Parece pouco, mas é só fazer as contas. Todos os dias, esse lixo vira um bolão de milhões de toneladas!!!



O LIXO DURA UMA ETERNIDADE

A natureza é mesmo perfeita: toda a matéria orgânica (viva) criada por ela se decompõe rapidinho no meio ambiente, e ainda serve para gerar mais energia! No ciclo da vida, os animais e plantas que morrem tornam a terra mais fértil para alimentar novos seres que virão. Mas o homem é diferente, né? Porque é o único ser vivo que produz coisas artificiais, e que podem levar uma eternidade para se decompor! Coisinhas como vidro, plástico, isopor, latinhas de refrigerante...

Depois que eles não têm mais uso, ganham outro nome: lixo! O homem é o bicho mais sujinho que existe! Dê uma espiadinha no tempão que o lixo pode ficar por aí, emporcalhando o nosso planeta:

- O papel e o papelão podem levar de 3 a 6 meses para serem absorvidos.

- Um simples chicletinho pode levar 5 anos!

- Aquelas latinhas de refrigerante levam uma vida: de 80 a 100 anos!

- O plástico pode levar até 500 anos. Mas alguns, simplesmente, não se decompõem.

- E agora o vilão: o vidro fica um milhão de anos perturbando a natureza, dá para acreditar? A gente nasce, morre e o vidro ainda está lá, firme e forte.

PARA ONDE VAI O LIXO ?

Quando o caminhão de lixo passa na sua casa e recolhe os sacos, ele tem um destino certo: os aterros sanitários. Mas antigamente, o lixo não era tratado, e era jogado sem nenhuma dó nos rios e em terrenos baldios. Para resolver esse problema, foram criadas algumas maneiras para tratar o lixo:

• O aterro sanitário, o famoso lixão, é um buracão forrado com lonas de plástico. Depois de jogar o lixo, a área é recoberta com uma camadinha de terra para evitar a festa de moscas, ratos e urubus. Os gases e o chorume (aquele líquido preto e fedido que escorre do lixo) são coletados e tratados para não contaminar os lençóis freáticos (as águas subterrâneas).



O problema é que esses terrenos estão se esgotando em muitas cidades no mundo. Não tem terra que chegue para tanto lixo!

• A compostagem transforma lixo orgânico em adubo, através de processos meio complicados, mas muito eficientes. E você também pode fazer compostagem em casa. Você já viu sua mãe colocar cascas de ovo nas plantinhas? É porque as casquinhas se decompõem com a ajuda de fungos e bactérias e viram um ótimo adubo. Assim, a terra fica mais fofinha, retém mais água e favorece o crescimento das plantas.

• A incineração já não é tão legal, porque polui demais o ar. É um jeito bom de dar fim aos resíduos perigosos, como o lixo hospitalar, alimentos estragados e remédios vencidos. Mas para fazer isso é preciso controlar rigorosamente os gases superpoluentes liberados.



O VELHO VIRA NOVO

Cerca de 35% do lixo coletado poderia ser reciclado ou reutilizado e outros 35% poderiam virar adubo. Ou seja, 70% da poluição do meio ambiente iria se transformar em algo útil e limpo para todo mundo! Isso se chama RECICLAGEM, a maneira mais inteligente de dar adeus ao lixo! Na reciclagem, o lixo é tratado como matéria-prima que será reaproveitada para fazer novos produtos. Olha só quantas vantagens a danada tem: diminui a quantidade de lixo que vai para os lixões, os recursos naturais são poupados, reduz a poluição, além de gerar empregos! Mas como fazer isso em cidades que têm milhões de habitantes? Porque para reciclar, é preciso primeiro separar os tipos de lixo. E para separar, é preciso adotar um sistema um pouco caro, chamado Coleta Seletiva de Lixo.

Nesse sistema, o material orgânico é separado do lixo feito de plástico, papel e vidro, que são materiais reaproveitáveis. É por isso que em alguns lugares da cidade a gente encontra aquelas latonas coloridas de lixo: cada cor representa um material reciclável. E cada um deles tem um processo diferente de reciclagem.

O QUE EU POSSO RECICLAR ?

A RECICLAGEM COMEÇA EM CASA!

Sua mãe costuma jogar restos de comida e latinhas de refrigerante no mesmo lixo? Pois dê uma bronca nela! Isso porque o processo de reciclagem começa em casa, separando o lixo doméstico dos materiais recicláceis, como o papel, o plástico, o metal e o vidro.

Mas e depois que eu separei tudinho? É só levar até o ponto mais próximo da sua casa onde existam aquelas latonas coloridas, ou para os Pontos de Entrega Voluntária (P.E.V.) espalhados pelas cidades brasileiras.


Depois que você fez sua parte, o material separado é levado para a central de triagem no Departamento de Limpeza Urbana (D.L.U.) e é colocado em uma esteira rolante, parecida com aquelas de bagagem em aeroporto.

Enquanto o lixo dá um passeio nessa esteira, pessoas treinadas vão separando o que pode ser reciclado. Para facilitar o trabalho, a esteira possui um eletroimã que agarra todos os metais.

Daí em diante, os materiais são compactados para serem vendidos para fábricas de reciclagem.



POSSO RECICLAR PAPEL

Nas latonas coloridas, o papel é representado pela cor azul. Na central de triagem, ele recebe o nome de apara. Mas por quê? Papel sulfite e papelão são diferentes, não é mesmo? Mas ambos podem ser reciclados. As aparas são classificadas pelo tipo de papel e pela quantidade de sujeira que elas contêm: quanto mais limpa ela estiver, melhor será o papel depois de reciclado. Na fábrica de reciclagem, as aparas são misturadas com água em um liquidificador gigante chamado de hidrapulper. Depois, a super massa deve ser limpa para retirar resíduos estranhos como a areia. Essa pasta de celulose segue para a máquina de fazer papel, onde é prensada e secada. Depois de passar por um longo tratamento de beleza, está pronto o papel reciclado!

A reciclagem do papel é totalmente "limpa": não envolve nenhum processo químico, o que diminui a poluição do ar e dos rios. Além disso, muitas árvores deixam de ser cortadas, economizamos água e energia. Vale a pena, né?

Pode: jornais, revistas, caixinhas longa vida, cartões, envelopes, embalagem de ovo, papelão.

Não pode: fotografias, guardanapo, papel higiênico, etiqueta adesiva, papel carbono, fita crepe.



POSSO RECICLAR PLÁSTICO

Não dá para imaginar a vida moderna sem o plástico: garrafas de refrigerante, sacolas, brinquedos, os mais variados tipos de embalagens e muitas outras coisas estão circulando por aí a todo momento.

De todo o petróleo consumido no Brasil, apenas 1% é utilizado para ser transformado em resina plástica (é isso aí: o plástico vem do petróleo!). Essa resina pode sofrer modificações em sua composição química e formar vários tipos de plástico. É por isso que a "consistência" do brinquedo é diferente de um saquinho de leite.

O plástico utilizado para fazer embalagem é chamado de termoplástico, porque ele fica molinho quando aquecido e pode virar outra coisa.

Se você enterrar uma fruta, ele irá se decompor na terra (ela é um resíduo orgânico, certo?). Mas se você enterrar um plástico ele ficará lá por 500 anos, e talvez nem se desfaça! Tudo bem, hoje já existem os plásticos biodegradáveis, mas eles não são tão usados como os termoplásticos. Por isso, ajude a Coleta Seletiva de Lixo da sua cidade com o máximo de materiais plásticos que puder!

Pode: garrafas de refrigerante, copinhos e saquinhos plásticos, frascos de shampoo e detergente, embalagens de margarina e material de limpeza, canos e tubos.

Não pode: cabo de panela, tomada



POSSO RECICLAR METAL

Você já percebeu que o metal está em todas as partes? Nos carros, nos produtos de supermercado (latinhas de tudo quanto é coisa!), na cozinha (panelas e talheres) e até no nosso bolso (as queridas moedinhas!). Pois é, ele é extraído da natureza na forma de minério.

Existem diversos tipos de metais, alguns bem diferentes como o mercúrio (ele é líquido!), mas os mais conhecidos são o ferro, o cobre, o estanho, o chumbo, o ouro e a prata.

Aquecendo o ferro com o carbono (uma espécie de carvãozinho) temos o aço, que é utilizado em latinhas de conserva de alimentos. E você já reparou que essas latinhas não são as mesmas que as do refrigerante? Isso porque as latas de bebida são feitas de alumínio (extraído de um minério chamado bauxita).

Quando o aço é jogado em um aterro sanitário ele demora de dois a quatro anos para se desintegrar, mas o alumínio leva um tempo maior e talvez nem consiga se decompor totalmente.

POSSO RECICLAR VIDRO

TRINCOU, QUEBROU? CAQUINHOS DE VIDRO SÃO RECICLÁVEIS!

Você está jogando futebol no quintal e, de repente: crash! Xi, você quebrou a vidraça da sua mãe... Depois que ela der aquela bronca, tente se desculpar explicando que o vidro quebrado também pode ser levado para reciclagem! Pode não colar, mas que dá... dá!

Os vidros devem ser separados por tipos e cores. Por exemplo, os caquinhos da janela que você quebrou não devem ser misturados com a garrafa de cerveja marrom que o seu pai bebeu. Na famosa Central de Triagem, o vidro é triturado para ser enviado às vidrarias. Lá, os caquinhos são lavados e misturados com areia, calcário, sódio e outros minerais. Eles são fundidos em uma temperatura de até 1500 graus Celsius! Depois disso, essa "massa" é levada para indústrias vidreiras, onde é transformada em novas embalagens.

Pode: garrafas de tudo quanto é tipo, copos, potes, frascos, cacos.

Não pode: espelhos, lâmina, porcelana, cerâmica.

Você sabia que a reciclagem também ajuda a economizar energia?



RECICLAGEM TAMBÉM É ECONOMIA

Uma pizza tem 8 pedaços, certo? Isso significa que 6 pedaços equivalem a 3/4 da pizza. Pois é, com a reciclagem do aço dá para se economizar 3/4 da energia utilizada para fabricar esse aço a partir do minério de ferro. Em tempos de racionamento de energia elétrica isso é super importante, porque a indústria consome muito para produzir essas coisas!

Tudo bem que a gente vive em um país tropical, com temperaturas bem altas... Mas 1500 graus Celsius é para, literalmente, derreter! Imagine quanta energia é consumida nas vidrarias para que o forno atinja essa temperatura e, assim, fundir o vidro?



VOCÊ CONHECE OS 3 Rs ?

Reduzir, Reutilizar e Reciclar são as palavras-chave para quem quer ser um defensor do meio ambiente!

Esse número varia bastante, mas, em média, cada pessoa produz 180 quilos de lixo em um ano. Imagine quanto desperdício rola solto por aí... Você pode reduzir bastante esse número com algumas atitudes simples no seu dia-a-dia:



- a gula é um pecado, viu! Portanto, coloque no prato só o que irá comer!

- fale para sua mãe comprar produtos com embalagens retornáveis, que são reaproveitadas.

- aproveite os dois lados da folha de papel: um texto que você imprimiu e saiu errado pode virar um belo rascunho.

- sabe aquelas roupas, brinquedos, livros, e tantas outras coisas que você não usa mais e ficam lá encalhadas? Elas podem ser bastante úteis para pessoas carentes, sabia? E então, o que você está esperando? Vá fazer uma faxina geral no seu armário e doe tanto quanto puder!

- aproveite garrafas e outras embalagens para fazer brinquedos, guardar alimentos, etc...

- aquela sacolinha do supermercado pode virar um ótimo saquinho de lixo.

A reciclagem completa o ciclo dos "erres". O planeta fica com um sorriso de lado a lado ao ver o "bolão de neve" do lixo diminuir!
 
Fonte: Criando e copiando
http://aprendendocomtiacelia.blogspot.com.br/2011/06/reciclar-uma-grande-ideia.html