1

1

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Não Choro pela Pátria

António Ramos Rosa
Portugal
17 Out 1924 // 23 Set 2013
Poeta/Ensaísta


Não Choro pela Pátria 

Não choro pela pátria Ninguém chora pela pátria
Retém-se o grito que lavra pelo corpo
sulcos sangrentos e o faz sentir em si a pele
que se separa e se encolhe ante a violência
da dispersão comum e do falso fulgor
que encobre a irreparável divisão
de se ter perdido o universo e a viva comunidade
Onde estão aqueles que poderiam metamorfosear
a indigência da separação real
abrindo um espaço de respiração solar
e reunir num todo os que conhecem a sua solidão
e os que nem sequer sentem a vertigem de a nada pertencerem
senão à negação que se afirma em lugar da integridade viva?

António Ramos Rosa, in 'Pátria Soberana'
 
http://www.citador.pt/poemas/nao-choro-pela-patria-antonio-ramos-rosa

Pela Pátria

António Correira de Oliveira

Portugal
30 Jul 1879 // 20 Dez 1960
Poeta

 

 

 

Pela Pátria

Ouve, meu Filho: cheio de carinho,
Ama as Árvores, ama. E, se puderes,
(E poderás: tu podes quanto queres!)
Vai-as plantando à beira do caminho.

Hoje uma, outra amanhã, devagarinho.
Serão em fruto e em flor, quando cresceres.
Façam os outros como tu fizeres:
Aves de Abril que vão compondo o ninho.

Torne fecunda e bela cada qual,
a terra em que nascer: e Portugal
Será fecundo e belo, e o mundo inteiro.

Fortes e unidos, trabalhai assim...
- A Pátria não é mais do que um jardim
Onde nós todos temos um canteiro.

António Correia de Oliveira, in 'Antologia Poética'
 
http://www.citador.pt/poemas/pela-patria-antonio-correira-de-oliveira

Pátria Amada -- de Sulamita Cezarano -- Itamaraju - BA

Pátria Amada --
de Sulamita Cezarano --
Itamaraju - BA


O Brasil é um lago de esperança
Onde seu povo deseja nadar
O Brasil é um mar de fé e bonança
E, nele, o mundo deve se espelhar.

Meu lindo país é o melhor da Terra
Na bela arte de inventar
Ele, também, é o mais nobre
E assim, com certeza, vai continuar.

Pátria minha, terra querida
Mãe amada, querido lar
Que nunca me esqueça
Em minha vida, teu imenso
Amor sem par.

Teus belos campos, lindo de se ver
Tuas florestas, que ainda há
Por teus lindos rios de esperança
Custe-me a vida, mas por você eu vou sempre lutar.


camapuanews.com.br/noticia.php?cod=3986&title=LEIA:-POESIAS...PÁTRIA-

País da contradição -- de Valdecir dos Santos -- Navirai - MS

País da contradição --

de Valdecir dos Santos -- Navirai - MS

Falta saúde, mas sobram hospitais precários por todos os lados.
Falta educação de qualidade, mas sobram alunos em salas repletas.
Falta honestidade, mas sobram homens corruptos
Falta paz, mas sobram guerra, ódio, violência.

Falta verdade, compromisso, mas sobra corrupção em todos os gêneros
Faltam empregos, mas sobram terra, mão de obra
Falta igualdade social, mas sobram pobreza, miséria, fome
Faltam recursos, mas sobra sonegação de impostos.

Este é o meu País, Brasil da contradição
Este é o meu Brasil, País da contramão

Que mais está faltando?
Vergonha, honra, ética em todos os gêneros
Em todas as profissões, por todos os lados,
Em todos os cantos, da vila, da cidade, do país.

Que mais está sobrando?
Egoísmo, ganância, egocentrismo,
Roubo, assalto aos cofres públicos,
A certeza da impunidade, a certeza da liberdade
A incerteza de um mundo melhor.

Que mais está faltando?
Amor ao próximo, ao irmão, ao necessitado,
Compaixão pelos pobres e menos favorecidos,
Reconhecimento do negro como ser humano,
Direito do índio como brasileiro,
Verdadeira distribuição de rendas
Que muitos produzem e poucos se beneficiam

Que mais está sobrando? Preconceito social, racial,
Desperdício de alimentos, de água
Desmatamento, descuido com o planeta, invasão de privacidade,
terra de ninguém, casa da sogra, do sogro e de quem mais quiser...
Suecos comprando, suíços tentando comprar
A Amazônia, a nossa terra, o pulmão da Terra.
Crianças marginalizadas, sofridas...
Meninos carvoeirinhos, perambulando por aí
Meninas gestantes prematuramente,dizendo, e daí?
Jovens drogados, presas fáceis de ignóbeis traficantes.

Este é o meu País,
Brasil da contradição
Este é o meu Brasil,
País da contramão.

Multidão, multidão, sem rumo, sem direção Favelinhas, favelas, favelões,
Crianças, jovens e adultos
Caminhando sem rumo a lugar nenhum.

No litoral do meu Brasil
Desfiles de iates, senhores feudais
Príncipes e princesas, reis e rainhas, patrícios e patricinhas, burgos e burgueses.
Enquanto isso, no CEASA e FEIRAS da minha nação, brancos, negros, doentes, raquíticos, crianças, jovens, velhinhos, todos cidadãos
Procuram por restos de alimentos, sobra do que sobrou, resto do que restou...
em vão.

Este é o meu País,
Brasil da contradição
Este é o meu Brasil,
País da contramão.

Esta é a minha terra de verdadeiros heróis
Índios, valentes, guerreiros, dizimados aos milhões
Esta é a nossa terra de homens trabalhadores
Do Sul ao Nordeste, Leste a Oeste
O nobre brasileiro, que carrega este Brasil
Nos ombros, nos braços, nos altos impostos...

Este é o meu País que produz inteligência
Que exporta cientistas, professores e doutores
Que é auto suficiente em petróleo e coisas mil
Não pode continuar vivendo de ilusões
Não pode aceitar a tamanha incongruência
Nas intrínsecas entrelinhas deste Gigante País
Brasileiros pensantes,
não hão de viver taciturnos Inertes, temidos, tímidos, calados, presos de alma
Mortos de espírito olhando a Banda Podre passar.

No país da falta e da sobra, só faltam cumprir as leis que já sobram.
 
http://camapuanews.com.br/noticia.php?cod=3986&title=LEIA:-POESIAS-EM-HOMENAGEM-%C0-P%C1TRIA-

Brasilidade de Tarcísio José Fernandes Lopes -- Brasília - DF

Brasilidade

de Tarcísio José Fernandes Lopes
Brasília - DF


Em um "7 de setembro"
Cujo ano era 2000,
Eu fiz uma regressão
Ao meu tempo juvenil
Quando eu me arrepiava
Toda vez que se hasteava
A bandeira do Brasil.

Também tinha esse arrepio
Quando o hino nacional
Eu ouvia executado
Num momento especial.
Era meu patriotismo
Renascendo do lirismo
Do meu ser emocional.

Ao Ginásio Estadual,
Retornei numa visita,
E falei pra diretora:
- Professora, me permita
Desfilar pelo colégio,
Dê-me esse privilégio
Nesta tarde tão bonita!

Pus no peito uma fita
Na qual li: Ordem e Progresso.
Desfilei com tanto orgulho
Que me achava um sucesso.
Retornando à mocidade,
Enchi de brasilidade
Meu momento de regresso.

Mas que pena! Eu confesso:
Acabando a regressão
Me despi do sonhador,
Congelei a emoção.
E a emotividade
Que me deu brasilidade
Duelou com a razão.

Entre ela e a razão,
A razão falou mais forte,
Ao lembrar que no Brasil,
Desde o Sul até o Norte,
Quem quiser sobreviver,
"Bon-vivant" terá que ser
Ou ralar, ter fé e sorte.

Ó, meu Deus, que eu suporte
Atender minha razão
Sem, porém, criar conflito
Com a minha emoção
Porque o patriotismo
Inda jaz, em meu lirismo,
A pulsar meu coração.
 
http://camapuanews.com.br/noticia.php?cod=3986&title=LEIA:-POESIAS-EM-HOMENAGEM-%C0-P%C1TRIA-

A PÁTRIA de Olavo Bilac

A PÁTRIA

de Olavo Bilac

 

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
Criança! não verás nenhum país como este!
Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.

 Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!


Boa terra! jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha...

Quem com seu suor a fecunda e umedece,
Vê pago o sue esforço, e é feliz, e enriquece!
Criança! não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste!
 
http://camapuanews.com.br/noticia.php?cod=3986&title=LEIA:-POESIAS-EM-HOMENAGEM-%C0-P%C1TRIA-

Poemas da Pátria 02

A pátria não é ninguém; são todos; e cada qual tem no seio dela o mesmo direito à ideia, à palavra, à associação. A pátria não é um sistema, nem uma seita, nem um monopólio, nem uma forma de governo; é o céu, o solo, o povo, a tradição, a consciência, o lar, o berço dos filhos e o túmulo dos antepassados, a comunhão da lei, da língua e da liberdade.

Brasil

Acreditar num país tão injusto
Onde crianças sofrem com insultos
Vendendo balas no farol
E dormindo sem ter um lençol.

Saudades da ditadura e da repressão
Hoje sofremos como uma regressão
De um país sofrido e calado
Diante de uma nova inquisição

Os governantes não enxergam
As crianças tentam apenas falar
As pessoas não conseguem ouvir
Que algo nesse país precisa melhorar

E o olhar triste de uma criança
Alimentando a fome com a sua esperança
De um país hoje sem liderança
E de promessas de mudanças

Hoje ela deita para dormir
Dorme em cima de papelão rasgado
Com fome, sede e sem um destino a seguir
Que ontem foi o lixo de um deputado

E amanha começa tudo de novo
E o menino anda de um jeito calado
Malabarismo na frente do povo
E muito dinheiro correndo no senado.

Mas eu acredito nesse país chamado Brasil
que em seus lindos campos tem mais flores
Amanha serão formados novos doutores
Para defender aumento de senadores.

Pingo de gente

Pingo de gente, já perdido
pelos cantos da cidade.
Parado nos bares, nos bancos,
pelas ruas tristes da miséria.
Menino na idade,
crescido nos hábitos.
Semblante amargurado,
sem esperanças, sem ilusões,
na crua realidade
de nossa terra.

Brasil sem lógica, futuro
ou piedade.
Exemplo materializado
da guerra do ser
e do não ser.
Brasilidade!

Será a pobreza-criança, fatigada,
abandonada,
a derramar seus rancores
em gritos e apelos?
Infância sem futuro,
marginalizada.

Submissa aos planos
dos doutores,
em miragens heróicas,
e a esquecê-los,
entre o real e a bela fantasia
de construir um mundo
sobre o nada,
em montes de papéis
e de promessas,
que salvarão, por certo,
da agonia
a pátria-criança, abandonada
no lixo pútrido da ignomínia
para que o cancer do descaso
correndo a cada passo
do gigante, a alma fria,
destrua-lhe no embrião,
antes que cresca
o filho pobre a reclamar
justiça, e a vontade
da luta e da conquista
onde o povo oprimido
lhe apareça
a plasmar por si
a própria história,
como a obra-prima
de um grande artista.

No Brasil, há pessoas que acreditam que negociar a paz no Oriente Médio é obedecer cegamente aos ditames das grandes potências.

É fácil dizer “sim, senhor” para um grupo de países ultra-armados que impõe que você deve ser um cãozinho covarde, incapaz de manifestar senso crítico ou opinião própria.

E para aqueles que vierem dizer que o Irã é um perigo por que seu presidente disparou bravatas contra Israel, peço que me respondam quem realmente possui armas nucleares, e quem já se mostrou capaz de usá-las por duas vezes.

Digam-me quem é que está promovendo guerras atrás de guerras neste mundo: Irã ou Estados Unidos?

E digam-me quem é que está subjugando pessoas inocentes, ferindo os direitos humanos e mantendo um clima constante de tensão e terror na Faixa de Gaza: será o Irã ou Israel?

Os analistas que afirmam que o Irã é mesmo um perigo só podem estar brincando, ou não entendem mesmo nada do que dizem.

Brasil...

Vivo em um país em que o dia dia é cheio de emoção.

Segunda me deparo com os melhores motoristas, mortos em acidentes de transito no fim de semana.

Terça o dia começa quente, tiroteio nas prossimidades do centro teve até granada não é demais.

Quarta um vereador foi morto à vários tiros no suburbio, dizem que ele era ligado ao poder paralélo.

Quinta é declarada guerra acirrada ao inimigo numero 1 que mede apenas meio centímetro, o mosquito da dengue que já matou mais de 100, e para fugir dele é só fazer como o prefeito use calça sempre. Só falta a recompensa.

Sexta o transito dá um nó após o expediente e todo mundo é assaltado nos sinais, nossa é uma loucura parece até o fime do bope tem até fizil.

Sabado a polícia faz um cerco em um complexo de favela e quatro pessoas são feridas por balas perdidas, que bom elas se perderam mais logo acharam um corpo quente e aconchegande, e no fim parecia até filme de romace. Tantas lágrimas

Domingo futebol no maraca, um clássico foi de mais a torcida deu um show dentro e fora 10 presos e 2 mórtos.

No fim do dia a melhor coisa a se fazer é seguir o dito popular tudo acaba em pizza. Porque na segunda começa tudo de novo....... Eeeeeee Brasil...

 https://www.pensador.com/poemas_da_patria/4/

Poemas da Pátria...

Três âncoras deixou Deus ao homem: O amor à Pátria, o amor à liberdade, o amor à verdade. Cara nos é a Pátria, a liberdade, mais cara; mas a verdade, mais cara de tudo.
Damos a vida pela Pátria. Deixamos a Pátria pela liberdade. Mas à Pátria e à liberdade renunciamos pela verdade. Porque este é o mais santo de todos os amores.
Os outros são da terra e do tempo. Este vem do céu e vai à eternidade...

A pátria não é a raça, não é o meio,
não é o conjunto dos aparelhos econômicos e políticos:
é o idioma criado ou herdado pelo povo.

Teus Olhos
Teus olhos são a pátria do relâmpago e da lágrima,
silêncio que fala,
tempestades sem vento, mar sem ondas,
pássaros presos, douradas feras adormecidas,
topázios ímpios como a verdade,
outono numa clareira de bosque onde a luz canta no ombro
duma árvore e são pássaros todas as folhas,
praia que a manhã encontra constelada de olhos,
cesta de frutos de fogo,
mentira que alimenta,
espelhos deste mundo, portas do além,
pulsação tranquila do mar ao meio-dia,
universo que estremece,
paisagem solitária.

Prefiro Rosas

Prefiro rosas, meu amor, à pátria,
E antes magnólias amo
Que a glória e a virtude.

Logo que a vida me não canse, deixo
Que a vida por mim passe
Logo que eu fique o mesmo.

Que importa àquele a quem já nada importa
Que um perca e outro vença,
Se a aurora raia sempre,

Se cada ano com a primavera
As folhas aparecem
E com o outono cessam?

E o resto, as outras coisas que os humanos
Acrescentam à vida,
Que me aumentam na alma?

Nada, salvo o desejo de indiferença
E a confiança mole
Na hora fugitiva.

Canto de regresso à pátria
Minha terra tem palmares
Onde gorjeia o mar
Os passarinhos daqui
Não cantam como os de lá
Minha terra tem mais rosas
E quase que mais amores
Minha terra tem mais ouro
Minha terra tem mais terra
Ouro terra amor e rosas
Eu quero tudo de lá
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte para lá
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte pra São Paulo
Sem que veja a Rua 15
E o progresso de São Paulo.

"Não existe pátria para quem desespera e, quanto a mim, sei que o mar me precede e me segue, e minha loucura está sempre pronta. Aqueles que se amam e são separados podem viver sua dor, mas isso não é desespero: eles sabem que o amor existe. Eis porque sofro, de olhos secos, este exílio. Espero ainda. Um dia chega, enfim... "

https://www.pensador.com/poemas_da_patria/ 

Sugestões de atividades para o Dia da Independência – 7 de Setembro

Sugestões de atividades para o Dia da Independência – 7 de Setembro


























































 
https://pedagogiaaopedaletra.com/sugestoes-de-atividades-para-o-dia-da-independencia-7-de-setembro/

Armadilha para prender o Aedes...

Armadilha para prender o Aedes



http://educadoracristinasouza.blogspot.com.br/2016/03/armadilha-para-prender-o-aedes.html

Jarrinho de garrafa pet

Jarrinho de garrafa pet


Jarrinho de garrafa pet


Reciclando e cuidando da natureza, é isso aí. Vamos fazer um jardim na escola com a gurizada .,

COMO MELHORAR A AUTOESTIMA DAS CRIANÇAS ...

COMO MELHORAR A AUTOESTIMA DAS CRIANÇAS


Você sabia que os primeiros anos de vida de uma criança são alicerce para sua autoestima? Saiba como melhorar a autoestima das crianças.

Autoestima é um ingrediente fundamental na vida de todos, pois é ela proporciona uma vida feliz e bem sucedida. Uma pessoa pode até ter sabedoria e talento, mas se não estiver com uma autoestima positiva, poderá encontrar obstáculo para o sucesso no emprego, no relacionamento e em quase todas as áreas da vida.

Os pais não podem controlar tudo o que um filho pensa, ouve e vê, mas há muito o que podem fazer, como:

1. Demonstrar amor

Tudo o que formos fazer com nossos filhos tem que ser feito com amor e afeição. Desde bebê precisamos tratá-los com muito carinho, pois assim eles terão um sentimento subconsciente de que é muito valioso e importante.

2. Elogios

Sempre que possível, elogie seu filho com frases como “Estou muito orgulhoso de você”, “Você é muito especial”, “Gostei muito do jeito que fez isso”, entre outras. Mas é bom saber que eles acreditem nos elogios, então evite frases como “Você é o melhor do mundo”, pois podem ser contraprodutivas. A criança poderá até desenvolver um ego inflado, podendo afetar o seu relacionamento com amigos e isso resulta em um efeito negativo sobre a sua autoestima.

3. Metas

Ao estabelecer metas ao seu filho lembre-se de que elas precisam ser passíveis de atingir e que são apropriadas para a faixa etária da criança, como se vestir sozinho, ter uma boa nota na prova. Nunca estabeleça uma meta que seja impossível, porque isso poderá resultar em um efeito negativo.

Ao se aproximar da meta, estimule o seu filho com elogios a cada sucesso e quando atingir a meta, reforce a sua autoimagem como realizadora. Aproveite a chance e oportunidades e invista em conhecimento, mas sempre de acordo com o interesse da criança. Uma gostará mais de dança, outra de línguas, respeite essas diferenças.

Se possível escolha uma atividade em que você veja que a criança sente prazer e incentive mais. No caso de línguas estrangeiras você pode planejar um intercâmbio quando o filho atingir uma idade apropriada.

Viajar para Europa ou América é uma excelente oportunidade para adquirir autonomia e aprender a lidar com diferentes situações, além de aprimorar a fluência em outro idioma. O planejamento é essencial e pode até ser compartilhado com a criança para ela entender o quanto é preciso organizar com responsabilidade, desde a escolha da cidade, pelo pagamento do seguro viagem, as passagens e, acima de tudo, o compromisso com o estudo.

4. Valide os sentimentos da criança

Se o seu filho recebeu algo que baixou a sua autoestima, valide seus sentimentos, por exemplo, caso a criança tenha se ofendido com um comentário negativo de um professor ou amigo, diga à criança que você sabe que ela se ofendeu pelo o que alguém lhe disse ou que você sabe que ela se ofendeu por outra pessoa não gostar dela.

Com isso a criança se sentirá com seus sentimentos validados e se abrirá, assim você poderá aumentar a autoestima dela mostrando o quanto de pessoas gosta dela e coisas positivas que falam sobre ela.

5. Ação negativa

Quando a criança fizer algo negativo, critique apenas a ação e nunca a criança. Diga algo do tipo: “Você é uma criança muito boa, não pode fazer esse tipo de coisa”, ao invés de “Você é muito mau”.

6. Orgulho da criança

Regularmente, diga a seu filho o quanto você se orgulha de tê-lo como filho. Fale coisas positivas do seu filho para pessoas que são importantes para ele, como amigos, professores, avós, tios, na presença dele.

7. Comparação

Jamais faça uma comparação entre o seu filho e outra criança, mas se outra pessoa o fizer, diga a ele que é especial e único em sua maneira. Se a criança falhar, diga que a ama e que sempre a amará, não importa o que aconteça.

8. Autoestima dos pais

Pais com baixa autoestima têm muita dificuldade em ajudar um filho a ter autoestima. Um pai positivo se valoriza, mesmo sabendo que não é perfeito e busca sempre crescer e melhorar.

Dafna Obadia - escritora e assistente virtual paraense, dedica-se à Licenciatura em Letras na Universidade Anhanguera e Bacharelado em Direito na Universidade da Amazônia.










Por Maristela Duarte Silva, estudante de Jornalismo.
E-mail: mariduarte_silva@hotmail.com 
http://educadoracristinasouza.blogspot.com.br/2014/09/como-melhorar-autoestima-das-criancas.html

Carinhas para trabalhar as emoções...

 http://educadoracristinasouza.blogspot.com.br/2014/06/carinhas-para-trabalhar-as-emocoes.html

Trabalhando Emoções e Boas Maneiras

Trabalhando Emoções e Boas Maneiras


EMOÇÕES
Carinhas representando as diferentes emoções.
Com elas você pode fazer fantoche de palito, fantoche de tecido, calendário de humor e tudo mais que sua criatividade proporcionar.
Sugestão da Oficina de Criatividade











MOLDE



VOCÊ TAMBÉM PODE TRABALHAR COM ESTE TIPO DE CARINHA
Sugestão da Brincar e Criar


PODE MONTAR O “MURAL DOS SENTIMENTOS”
Sugestão do Cantinho Lúdico

PASSO A PASSO


BOAS MANEIRAS
As boas maneiras constituem a base do relacionamento em todos os aspectos de nossa vida.
Seguir regras básicas da boa convivência significa respeitar os outros e exigir respeito por si mesmo.As boas maneiras no ambiente escolar são baseadas na demonstração do interesse e da consideração pelas pessoas.
O sucesso das pessoas se deve em parte ao fato de saberem se
comportar em quase todas as situações.
Estas Plaquinhas podem ser utilizadas para trabalhar as boas maneiras em prol de uma boa convivência bem como devem ser utilizadas diante de um comportamento parecido ao ilustrado.
Sugestão da Luana por ela mesma






PROJETO AMIZADE – Ensino Fundamental
Colaboração de Deborah Melissa
1. OBJETIVOS
· Desenvolver competências sociais em crianças de quatro a seis anos
· Mostrar como serem amigas
· Exercitar a identificação, sensibilidade e fala pública sobre diferentes sentimentos
· Destacar como lidarem com as quatro emoções básicas: medo, alegria, tristeza e ira
· Ajudar a expressarem sentimentos que lhes desagradam
2. PÚBLICO-ALVO
· 15 a 20 crianças
3. RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS
· Recursos materiais: cartolinas, canetas hidro-cor, revistas velhas
· Outros recursos materiais, caso se faça opção por um treinamento e expressão das múltiplas inteligências (Ver fonte de referência 5º)
· Recursos Humanos: um a dois Mediadores previamente treinados
4. QUESTÕES RELEVANTES
· O que é a amizade?
· Amizade é o mesmo que amor?
· O que é um amigo de verdade?
· Qual a importância de um amigo?
· O que é o medo?
· Que coisas nos fazem felizes?
· Por quê ficamos tristes?
· O que nos deixa com raiva?
· Como não falar a um amigo?
· Como falar a um amigo?
E inúmeras outras do mesmo tipo, levantadas pelas próprias crianças
5. FONTES DE REFERÊNCIA
· ANTUNES, Celso – Alfabetização Emocional. Petrópolis. Editora Vozes. 7ª edição. 1999
ANTUNES, Celso – Fascículo 6 da Coleção Na Sala de Aula / A Alfabetização Moral em Sala de Aula e em Casa, do Nascimento aos Doze anos. Petrópolis. Editora Vozes. 2ª Edição. 2002
· ANTUNES, Celso – Fascículo 7 da Coleção Na Sala de Aula / Um Método para o Ensino Fundamental: o Projeto. Petrópolis. Editora Vozes. 2ª Edição. 2002
· ANTUNES, Celso – A Construção do Afeto. São Paulo. Augustus Editora. 4ª edição. 2001
· ANTUNES, Celso – Fascículo 3 da Coleção Na Sala de Aula / Como Desenvolver Conteúdos Explorando as Inteligências Múltiplas. Petrópolis. Editora Vozes. 2ª Edição. 2002
· LeDOUX, Joseph – O Cérebro Emocional. São Paulo. Editora Objetiva. 1998
· RESTREPO, Luis Carlos – O Direito à Ternura. Petrópolis. Editora Vozes. 2ª edição. 1998
6. COMPETÊNCIAS DESENVOLVIDAS
· Afetividade
· Auto-estima
· Otimismo
· Controle dos impulsos
· Empatia – Compreensão do outro
· Prestatividade e solidariedade
· Sinceridade
· Empatia no ouvir
· Comunicação Interpessoal
· Pensamento dirigido
· Autoconhecimento
· Administração das Emoções
7. FASES DO PROJETO
· ABERTURA
Mediadores, pais, professores, pessoas da comunidade especialmente convidadas discutem e elegem as competências desejadas e a seleção de questões que a culminância do projeto deverá responder.
· O TRABALHO PRÁTICO – ESTRATÉGIAS
PREPARAÇÃO DO ROTEIRO
Os professores e os Mediadores escreverão roteiros de apresentações teatrais simples, cuja duração não deve exceder 15 minutos e que devem vivenciar cenas do cotidiano dos alunos envolvendo temas de relações interpessoais para ajudarem as crianças aprenderem como serem amigas, reconhecerem e falarem sobre diferentes sentimentos, lidarem com verdade e com a mentira, com a ira e com a dor, com o medo e a tristeza, com a alegria e com a felicidade e como expressarem o que lhes agrada e desagrada. Essas pequenas peças podem simular situações do pátio da escola, disputa por lugares, formas de abordagem, etc.
ENSAIO
Para cada encenação haverá um grupo de “atores” e outro de “espectadores”, mas todos os alunos nas diferentes peças desenvolverão ambos papeis. Durante o ensaio não deve ocorrer a prioridade de “lições de conduta” ou julgamento sobre “atitudes certas ou erradas” ainda que o aparecimento destas, possa gerar uma resposta serena e coerente por parte do(s) intermedializador(es). Os Mediadores poderão ou não introduzir o “ponto” com um ator que não aparece, ajudando os atores nas falas a serem praticadas.
APRESENTAÇÃO
A apresentação de cada peça se dará de forma similar a qualquer apresentação teatral.
DEBATES
Após a encenação deverão ocorrer os debates, envolvendo inicialmente apenas os alunos e os Mediadores. Nesse debate deve prevalecer a solicitação de opiniões sobre atitudes, gestos, posturas, ações ainda que as mesmas não devam suscitar julgamentos morais por parte dos professores. Não existe um tempo prescrito previamente para a duração dos debates, embora os Mediadores devam mostrar sensibilidade para não o prolongarem além dos limites do interesse por parte dos alunos envolvidos.
SÍNTESE CONCLUSIVA
Concluído os debates os Mediadores sintetizarão as conclusões gerais, enfatizando o que se levou os alunos a aprenderem com a atividade.
FECHAMENTO
É extremamente importante destacar que os valores e os ensinamentos conquistados necessitem ser retomados em momentos e circunstâncias diferentes, internalizando-se nas atitudes dos professores, contextualizando-se aos temas curriculares desenvolvidos. Em verdade, a encenação, debate e síntese conclusiva jamais deve “encerrar” a atividade, antes abrir espaço para práticas sobre novas formas de relacionamento e emprego constante das habilidades sociais no cotidiano dos alunos.
8. LINGUAGENS APLICADAS
Importante atividade de reforço é, em outra oportunidade, reunir-se os participantes do Projeto solicitando que expressem através de diferentes linguagens – pinturas, paródias, colagens, desenhos, corais, etc. – os valores desenvolvidos e supostamente apreendidos durante a atividade.
Atividade extremamente enriquecedoras é utilizar diferentes estratégias de comunicação, conforme as inteligências humanas suscitadas – lingüistica, lógico-matemática, visuo-espacial, sonora, cinestésico-corporal, naturalista, intra e interpessoal – e organizar painéis ou murais expressando os valores assumidos.
9. AVALIAÇÃO
A forma de avaliação será desenvolvida através da comparação de relatórios organizados por todos os elementos da equipe docente avaliando as atitudes dos alunos em sala de aula e no pátio da escola, antes e depois da realização de cada encenação, enfatizando a eventual permanência, após seis meses ou mais, de valores eventualmente assumidos.
BOAS ATITUDES






www.aquivocedesabafa.blogspot.com