1

1

Google+ Followers

domingo, 30 de julho de 2017

Descubra o que mudou do Moto Z para o Moto Z2 Force. Lançamento tem tela que resiste a quedas e câmera dupla

Por Paulo Alves, para o TechTudo

A Motorola anunciou o seu novo celular top de linha, o Moto Z2 Force, na última terça-feira (25) em um evento em Nova York (EUA). O smartphone tem duas grandes novidades: atrás, uma câmera dupla, a primeira entre telefones Moto; e na frente, uma tela com cinco camadas de proteção que a torna virtualmente inquebrável em quedas acidentais. A empresa confirmou que ele terá lançamento no Brasil.
O dispositivo, que tem preço maior do que o modelo avançado Moto Z2 Play, será o único substituto do Moto Z Force, que não chegou a ser vendido no mercado nacional, e do Moto Z, modelo mais caro da fabricante no país em 2016. Para justificar o investimento, o celular traz também mudanças no design e um hardware interno mais robusto para rodar o Android 7, incluindo versão com 6 GB no Brasil. Veja, a seguir, os detalhes das especificações e saiba o que muda entre as gerações do Moto Z.

Moto Z2 Force: conheça especificações do lançamento da Motorola

Galaxy S8 Plus ganha versão turbinada com memória RAM de 6 GB


Design: metal de maior qualidade

O Moto Z2 Force seguiu a tendência de atualização de design vista no Moto Z2 Play, com acabamento mais refinado e novo sensor de digitais, que passa a aceitar gestos. O alumínio usado na carcaça é da série 7000, que oferece mais durabilidade e é o mesmo aplicado pela Apple no iPhone 7.


As dimensões são praticamente as mesmas dos Moto Z e Z Force, com exceção da espessura. Com 6,1 mm, o Z2 Force é mais fino que o iPhone 7 e fica em situação intermediária em comparação com os modelos do ano passado, que têm 5,2 mm (Moto Z) e 7 mm (Z Force) de espessura. O mesmo ocorre com o peso, com 143 g que superam ligeiramente o Moto Z e torna o lançamento mais leve do que o Z Force.

Moto Z2 Force tem corpo metálico (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)


Na parte traseira, o Moto Z2 Force traz o mesmo conector magnético visto na primeira geração da linha Z para acoplar os Moto Snaps. O celular é compatível com os mesmos acessórios que agregam funções a toda a família de smartphones intermediários e premium da fabricante, incluindo o lançamento JBL Sound Boost 2.


Na resistência à água e à poeira, nada muda. Ainda não é dessa vez que a Motorola lança um smartphone com certificação contra mergulhos acidentais.


Tela: maior resistência


O novo smartphone da Motorola traz uma tecnologia de tela “inquebrável” superior à presente no Moto Z Force. Chamada de Shattershield, ela conta com cinco camadas de proteção que garantem integridade total ao display mesmo com quedas de 2 m de altura. Em nossos testes conduzidos no evento de lançamento, a promessa se mostrou verdadeira. Apesar de algumas marcas na carcaça em alumínio, a tela se manteve intacta com impacto de 1,8 m.




Moto Z2 Force tem tela "inquebrável" de 5,5 polegadas (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)



A Motorola garante que o Moto Z2 Force é capaz de sobreviver a qualquer queda acidental do dia a dia. Foi a mesma promessa, porém com menos garantia de eficácia, feita para o Moto Z Force de 2016. No entanto, essa será a primeira vez que a tecnologia será comercializada no Brasil, já que o Moto Z vendido no mercado nacional não vinha com tela resistente – algo parecido esteve presente no Moto X Force de 2015, que não é mais fabricado.


Em termos de qualidade de imagem, pouco deve mudar em relação à geração anterior. O Moto Z2 Force conta com a mesma tela de 5,5 polegadas com resolução Quad HD (2560 x 1440 pixels) da geração passada. A única mudança é na tecnologia de exibição, que passa do AMOLED para a semelhante P-OLED, que tem estrutura flexível.


Câmera: sensor duplo na traseira


Junto com a tela, o maior destaque do Moto Z2 Force é a câmera dupla na traseira, que segue a tendência de mercado capitaneada pela Apple com o iPhone 7 Plus. Assim como o smartphone da maçã, a Motorola emprega no celular um segundo sensor que facilita a identificação de profundidade na imagem para aplicar efeito de desfoque no fundo. Assim, fotos de pessoas e objetos tendem a ficar com resultados semelhantes aos de câmeras profissionais – e sem as imperfeições de aplicativos de edição com efeitos artificiais.






Moto Z2 Force tem câmera dupla (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)



Os sensores traseiros capturam fotos em 12 megapixels – similar ao do iPhone e do Galaxy S8 – mas um deles trabalha somente com imagens preto e branco. A ideia é que uma câmera capte o máximo de cores, e a outra todos os detalhes. Dessa forma, ela gera uma imagem única rica em definição depois do processamento.


Nada disso está presente nos antecessores Moto Z e Moto Z Force, que contavam com câmeras simples de 13 MP e 21 megapixels, respectivamente. No entanto, os modelos antigos tendem a superar o lançamento nas fotos noturnas, pois contam com abertura de lente maior, de f/1.8, contra f/2.0 do celular atual. Nas selfies, a performance deve permanecer igual com o mesmo sensor de 5 megapixels.


Hardware: memória RAM de sobra


Como de costume na evolução ano a ano, o novo smartphone supera versões anteriores em processamento e memória. No caso do Moto Z2 Force, ainda há uma novidade especial para brasileiros: ao contrário dos EUA, que receberá o aparelho em agosto com memória RAM de 4 GB, a versão nacional contará com 6 GB – ou seja, memória de sobra para multitarefas. O dispositivo ainda conta com o processador octa-core de até 2,35 GHz (Snapdragon 835), o mais potente da Qualcomm e o mesmo presente na versão internacional do Galaxy S8.
Moto Z2 Force brasileiro terá 6 GB de RAM (Foto: Thássius Veloso/TechTudo)



Em termos de desempenho em apps e jogos pesados, deve haver muita diferença ao comparar com Moto Z Force e Moto Z. Os modelos de 2016 vieram com o Snapdragon 820 de quatro núcleos, duas gerações atrás do 835 – entre eles, há ainda o Snapdragon 821, o mesmo presente no LG G6, outro smartphone com câmera dupla vendido no Brasil.


Ainda não há confirmação exata sobre a quantidade de memória interna presente no Z2 Force brasileiro, mas o armazenamento deve ficar em 64 GB ou 128 GB para guardar fotos, vídeos e instalar muitos aplicativos da Google Play Store. Há também entrada para cartão microSD para expandir em até 2 TB, apesar de ainda não existirem cartões de memória com esse tamanho no mercado.


A bateria é um ponto que chama atenção negativa no hardware. Com 2.730 mAh de capacidade, ela é bem menor do que os 3.500 mAh presentes no Moto Z Force, smartphone que não veio ao Brasil ano passado. Em comparação com o Moto Z, houve melhoria discreta de 130 mAh, mas a fabricante garante que os componentes mais sofisticados garantem um dia inteiro de uso – algo que só o review completo poderá responder no futuro.


Disponibilidade: data incerta


A Motorola só confirmou, por enquanto, a data de lançamento do Moto Z2 Force nos EUA: o modelo desembarca no país em 10 de agosto, por US$ 700 (cerca de R$ 2,2 mil, sem impostos). O preço foi considerado alto levando em conta rivais como o iPhone 7 e o aguardado Galaxy Note 8, que pode ser vendido em patamar parecido. No Brasil, o telefone chega ainda em 2017 e deverá brigar por espaço com o smartphone da Apple e o Galaxy S8, que já sofre queda de preço e pode ser encontrado por R$ 2.990. O Moto Z, antecessor do Z2 Force no Brasil, passou por forte desvalorização em um ano, e já custa até R$ 1.700 em lojas online.


Ficha técnica do Moto Z, Moto Z Force e Moto Z2 Force
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário