1

1

Google+ Followers

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Função do sistema urinário / Os órgãos do sistema urinário...

Função do sistema urinário

A principal função do sistema urinário é a excreção de produtos nitrogenados do corpo, os quais contêm ureia em sua composição. Todas as células do corpo humano, em suas atividades metabólicas, produzem detritos, excretas. a sobra desse metabolismo deve ser eliminado. É aí que entre em ação o sistema urinário. Dê uma olhada no excelente vídeo, você entender bem o que está escrito nos textos que se seguem.
A excreção é o processo de eliminação das substâncias produzidas pela atividade celular, ou seja, dos resíduos do metabolismo. Em excesso, essas substâncias podem ser prejudiciais ao organismo.
O sistema urinário também participa da regulação do volume de água no corpo, da reabsorção de potássio e de outras substâncias importantes, como água, aminoácidos e glicose.

Os órgãos do sistema urinário

O sistema urinário humano é constituído por um par de rins e pelas vias uriníferas.
Os rins, que medem pouco mais de 10 centímetros de altura, estão localizados na cavidade abdominal, um de cada lado da espinha dorsal. Cada um deles é formado por duas partes principais: córtex renal medula renal.
As vias uriníferas são compostas por um par de rins, um par de pelves renais, um par de ureteres, uma bexiga urinária e uma uretra.
Sistema excretor humano

masculino feminino órgãos excretoresO funcionamento do sistema urinário

A função dos rins é filtrar o sangue. Eles chegam a filtrar todo o sangue do corpo até 400 vezes por dia.
O sangue chega aos rins por meio da artéria renal e sai deles pela veia renal.
 A artéria renal ramifica-se e seus capilares penetram nos rins, chegando aos néfrons, que são as unidades funcionais do rim. Essas estruturas microscópicas estão localizadas no córtex e na medula renal.
Veja uma de Fisiologia Humana com os Principais sistemas do corpo humano.
Os néfrons fazem a filtragem do sangue e eliminam as excretas produzidas nessa filtragem. Eles são compostos de duas partes: uma rede de capilares e um tubo coletor.
rede de capilares inclui os vasos subdivididos da artéria renal e os vasos que se juntam na veia renal. Em uma das regiões os capilares estão enovelados, formando o glomérulo.
tubo coletor é composto pela cápsula renal, que envolve o glomérulo, um túbulo que é permeado por capilares sanguíneos e termina no dueto coletor.
Ao final do dueto coletor está a pelve renal, que encaminha a urina recolhida dos néfrons para o ureter, o qual, por sua vez, desemboca na bexiga, que está localizada na cavidade pélvica.
A bexiga – um órgão que apresenta parede muscular elástica – recebe a urina vinda dos dois ureteres, um de cada rim. Em seguida, a urina armazenada passa pela uretra, que tem a abertura para o meio externo.
Na maior parte do tempo a comunicação entre a bexiga e a uretra permanece fechada pela ação de um músculo presente no final da uretra denominado esfíncter urinário. Durante o ato de urinar, as paredes da bexiga contraem e o esfíncter relaxa. A urina então flui da bexiga para fora do corpo pela uretra. Nos homens a uretra termina no final do pênis e, nas mulheres, na vulva.

A formação da urina

A urina é formada por elementos retirados do sangue, o qual circula dentro do rim por meio de capilares. O sangue chega aos rins pelas artérias renais, que são ramificações da artéria aorta. A artéria renal direita vai para o rim direito, e a esquerda, para o rim esquerdo.
É nos glomérulos que começa o processo de formação da urina. Cada um deles é envolvido por uma cápsula renal, que recebe do sangue elementos como água, sais minerais, ureia, glicose e outras moléculas de pequeno tamanho.
O resultado desse processo é a formação do filtrado glomerular. Esse filtrado segue, então, da cápsula renal em direção ao dueto coletor, passando pelo túbulo renal. Ao passar por esse túbulo, o filtrado tem sua composição modificada. A maior parte da água é reabsorvida pelos capilares sanguíneos, bem como a glicose, algumas vitaminas e sais minerais, as quais são substâncias importantes para a manutenção do organismo.
Ao longo desse trajeto, mais de 99% da água filtrada no glomérulo é reabsorvida e o líquido que penetra na pelve renal constitui a urina propriamente dita.
A única substância que não é reabsorvida é a ureia, que vai ser o principal constituinte da urina. A urina chega ao dueto coletor formada também por substâncias tóxicas ou residuais, algumas substâncias úteis mas que estão em excesso no organismo e água.

A importância da filtragem do sangue

O metabolismo gera produtos de que o corpo não precisa. Durante a respiração celular, por exemplo, há absorção de gás oxigênio e produção de gás carbônico, o qual precisa ser eliminado do organismo. O órgão que desempenha a função de capturar o gás oxigênio do meio e eliminar o gás carbônico do organismo é o pulmão.
Função do sistema urinário
Os rins, por sua vez, eliminam os demais produtos e excretas do metabolismo. Eles removem do sangue os resíduos e o excesso de substâncias, como água e sais, mantendo o sangue sempre com aproximadamente a mesma concentração dessas substâncias. Por isso, eles também são responsáveis pela manutenção da homeostase.
Quando há maior ingestão de sal, os rins eliminam mais sal na urina para manter uma concentração semelhante dessa substância no organismo. O inverso também ocorre: quando há pouca ingestão de sal, os rins evitam que essa substância seja excretada.
O excesso de água no corpo também é liberado pela urina. A pessoa que ingere maior quantidade de líquidos tende a ficar com a urina mais clara. A que ingere pouca quantidade de líquidos tende a ficar com a urina mais escura e com um cheiro mais forte: as excretas (que têm odor forte) estão mais concentradas, pois há menos água na urina.
Além dos líquidos, o organismo pode absorver água de alimentos, como frutas e vegetais. Quando não há ingestão suficiente de água, o cérebro informa ao corpo que é preciso consumi-la. É quando a pessoa sente sede. Além disso, o cérebro produz um hormônio que age nos rins, impedindo-os de excretarem água. Quando a ingestão de líquidos é normalizada, o hormônio passa a ser inibido.

Algumas deficiências do sistema urinário

Quando os rins não funcionam direito, as toxinas se acumulam no sangue e pode ocorrer desequilíbrio da homeostase, levando o organismo a adoecer.
hemodiálise é o processo de separar artificialmente essas substâncias em excesso, quando os rins não cumprem essa função. A pessoa que está doente tem seu sangue filtrado por uma máquina de hemodiálise, que substitui as funções renais.
Um cateter leva o sangue para o equipamento, no qual ele é filtrado antes de retornar ao corpo. Esse processo pode demorar até seis horas.
Outra doença que pode afetar o sistema urinário é o cálculo renal, popularmente conhecido por “pedras nos rins”. Esses cálculos são estruturas rígidas que surgem no sistema urinário em decorrência de um acúmulo anormal de certas substâncias, as quais se agregam e se cristalizam.
Os cálculos renais podem ser formados em qualquer parte do trato urinário. Muitas vezes, eles são diminutos, com poucos milímetros, e eliminados normalmente seguindo o mesmo caminho da urina. À medida que essas pedras viajam pelo trato urinário, a pessoa pode sentir uma dor intensa, por vezes acompanhada de vômitos e cólicas renais. Em casos graves, a pedra formada pode ser grande demais para ser expelida, e a pessoa deve passar por uma cirurgia ou outro procedimento médico para quebrar tal pedra. As pessoas que tem propensão à formação de cálculos renais devem seguir uma dieta diferenciada, sempre sob orientação médica.
Veja aqui no site uma outra aula sobre o sistema excretor humano.
Fonte: Oficina do Saber, de Alice Costa Carla Newton Scrivano – Editora Leya https://www.youtube.com/watch?v=nnv0LJcnyeM

Nenhum comentário:

Postar um comentário