1

1

Google+ Followers

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Espermatogênese

Espermatogênese

  • Aparelho Reprodutor Masculino: 2 testículos, ductos genitais, 3 glândulas sexuais acessórias (vesícula seminal, próstata e glândula bulbouretral) e pênis.


  • Testículos: túnica albugínea (revestimento externo), sépto (divisão), lóbulos testiculares (aproximadamente 250 em cada), túbulos seminíferos (onde ocorre a espermatogênese), ductos eferentes (condução dos espermatozóides), epidídimo (armazenamento, seleção e possível absorção dos gametas) e ducto deferente (codução para o exterior).
  • Espermatogênese: processo de formação de espermatozóides que ocorre nos testículos dentro dos túbulos seminíferos.

- Espermatogônia: célula mais primitiva; pode ser considerada "célula tronco", visto que, tem a capacidade de originar outras células; grande capacidade mitótica. Sofre mitose gerando 1 espermatogônia A, a qual desempenhará a mesma função da célula-mãe, e 1 espermatogônia B, a qual seguirá no desenvolvimento para o processo de espermatogênese.
obs.: A permanência da espermatogônia A no processo mitótico é a razão para a fertilidade masculina nunca terminar.


- Espermatócito primário: originado a partir da espermatogônia B; maior célula germinativa do túbulo seminífero; seu DNA é duplicado para que seja a 1º célula a sofrer meiose reducional (2n, 2DNA - 2n, 4DNA - 1n, 2 DNA e 1n, 2DNA)


- Espermatócito secundário: dois são originados de cada primário; haplóide; sofre a 2º divisão meiótica, mas, dessa vez, equacional; origina duas células filhas idênticas a si.
obs.: Visto que, há dois espermatócitos secundários, quatro células filhas são originadas, sendo duas de cada célula mãe.


- Espermátides: formadas a partir da meiose equacional sofrida pelos espermatócitos secundários; haplóides, são quatro espermátides que sofrerão espermiogênese diferenciando-se em quatro espermatozóides, propriamente ditos.



  • Espermiogênese: processo que transforma, gradualmente, as espermátides em quatro espermatozóides maduros. Ocorre condensação do núcleo, descarte de grande parte do citoplasma e formação do acrossoma.


- Complexo de Golgi: fusão das vesículas para originar o acrossoma.
- Centríolos: formam a cauda do espermatozóide.
- Mitocôndrias: organizam-se próximo à região da cauda de forma espiralada; formam a bainha mitocondrial visando o fornecimento de energia à célula.
- Citoplasma: tem seu excesso descartado para que a célula fique menor e mais leve.



  • Espermatozóide:

- Acrossoma: vesícula contendo enzima que ajuda e facilita a penetração do espermatozóide no ovócito secundário no momento da fecundação.
- Núcleo: 23,X ou 23,Y
- Bainha mitocondrial: fornecimento de energia (para o batimento da cauda)
- Cauda: dividida em peças; intermediária, principal e terminal; dá mobilidade ao espermatozóide, ajudando a transportá-lo para o local da fertilização na ampola da tuba uterina.

http://embriohumana.blogspot.com.br/2010/12/espermatogenese.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário