1

1

Google+ Followers

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Fosfato nos alimentos: aditivos presentes em comida ultraprocessada podem fazer mal à saúde

Excesso de fósforo no sangue pode trazer diversas complicações. Saiba como se precaver
O fósforo (P) é um elemento de origem mineral e é um dos mais dispersos na natureza. Ele está amplamente difundido pelos alimentos, sejam eles de origem animal ou de origem vegetal (existe em maior quantidade nos alimentos de origem animal). Esse elemento apresenta uma importância vital para o crescimento e para a saúde humana - é um nutriente que participa tanto da estrutura quanto das diversas funções bioquímicas e fisiológicas das células. Está presente nos ossos, dentes, composição do código genético (DNA e RNA) e faz parte das paredes das células.

Para que o fósforo exerça sua função no organismo, é necessário que ele e o cálcio estejam em equilíbrio entre si (a vitamina D é um dos principais reguladores desse equilíbrio). Caso ocorra um excesso de fósforo no organismo (hiperfosfatemia), haverá uma desregulação na absorção de cálcio, resultando no aumento da porosidade dos ossos, além de ser um dos fatores que eleva a pressão arterial, entre outros problemas de saúde. Já a carência de fósforo é responsável por fraturas, atrofia muscular, anemia, entre outras complicações.
O fosfato nos alimentos

Para a indústria de alimentos, os aditivos alimentares que apresentam o elemento fósforo em sua constituição confere aos produtos melhor retenção de água, proteção contra rancidez oxidativa. Na produção de carnes curadas, os fosfatos (PO43-) e polifosfatos (que possuem fósforo em sua composição) ajudam a manter a estabilidade desses alimentos, além de apresentarem ações coagulantes e gelatinizantes sobres as proteínas e dispersantes e ações emulsionantes sobre as gorduras. Também são agentes acidulantes, entre outras funções.


São vários os tipos de fosfatos disponíveis para o uso em alimentos, porém os mais utilizados para processamento de carne são o tripolifosfato de sódio e o hexametafosfato de sódio (eles dominam cerca de 90% do mercado) - outro fosfato utilizado em produtos cárneos é o pirofosfato ácido de sódio. Porém, para todos eles, existe um limite máximo: apenas 0,5% do produto total pode conter fosfato, de acordo com a legislação brasileira. Os principais alimentos processados que apresentam aditivos fosfatados são carnes processadas, refrigerantes, biscoitos, bolos, entre outros.
Riscos

Por ser um nutriente vital para o funcionamento dos sistemas biológicos, os fosfatos presentes naturalmente em alimentos são metabolizados pelo organismo de pessoas saudáveis sem grandes problemas. Dessa forma, acredita-se que os aditivos alimentares fosfatados também não apresentem riscos à saúde para essas pessoas. Entretanto, novas pesquisas estão apontando que há um aumento do nível de fósforo no sangue de pessoas saudáveis, que possuem uma alimentação rica em produtos processados com esse aditivo, e pode resultar no surgimento de doenças (veja o vídeo).

Pessoas que possuem doenças renais devem tomar extremo cuidado com o nível de fósforo presente na alimentação, pois, devido ao mau funcionamento do órgão, a eliminação do elemento pela urina pode ser afetado, resultando em um desequilíbrio do organismo e no desenvolvimento de uma série de problemas de saúde. Uma vez que o fósforo está presente em todos os alimentos, não apenas nos processados, o acompanhamento médico para controlar o nível de fósforo no sangue é imprescindível.
Outros problemas e como lidar

Outra questão muito discutida envolvendo o fósforo (além das interferências na saúde) é o impacto que as aditividades humanas estão exercendo sobre a dinâmica do fósforo no meio ambiente. O aumento no ritmo de exploração das fontes de fósforo para utilização em produtos industrializados (indústrias de alimentos, fertilizantes, produtos de limpeza, entre outras), além de agravar a situação de eutrofização das águas, tem provocado discussões quanto à escassez do nutriente.


A ingestão de produtos ultraprocessados deve ser evitada ao máximo, não apenas pela presença de aditivos fosfatos, mas também porque existe uma série de outros aditivos que podem causar problemas a saúde. Para a manutenção de uma vida saudável é fundamental tomar atitudes como ter uma alimentação equilibrada e variada de alimentos in natura ou minimamente processados, que garantem a absorção de nutrientes essências ao funcionamento do organismo, além de proporcionar menores impactos ambientais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário