1

1

Google+ Followers

domingo, 26 de março de 2017

Bolo de maçã saudável

Gosto de me por à prova e desafiar-me nas minhas tentativas de alterar receitas altamente calóricas por versões mais light.
Foi exactamente o que aconteceu com o bolo de hoje.
De um delicioso e nada saudável bolo de maçã passei a ter um altamente delicioso e saudável q.b. bolo de maçã.
A ciência das trocas em muitos casos funciona muito bem e aqui funcionou na perfeição!
Alguém diz que se pode comer sem consciência pesada? Pois eu digo que se pode!

Ingredientes:

100 gr de quark magro
5 maçãs pequenas
3 ovos
100gr de açúcar mascavado
200 gr de farinha de espelta
15 gr de fermento em pó
1 pitada de sal
canela em pó para polvilhar
oléo de coco para untar a forma; papel vegetal para forrar
Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º. Unte uma forma redonda sem buraco, forre com o papel vegetal e reserve.
Descasque as maçãs, corte em quartos e retire o centro e caroços.
Com uma faca afiada, faça golpes paralelos do lado de fora das maças, mas sem cortar por completo. Reserve.
Coloque numa taça o quark, os ovos, o açúcar, a farinha, o fermento em pó, o sal e misture com a ajuda da batedeira na velocidade máxima até obter uma mistura uniforme (bimby 20seg/vel. 6).
Coloque a massa na forma, disponha os quartos de maça com os golpes virados para cima, próximos uns dos outros.
Leve ao forno durante 30-40 minutos (verificando se o palito sai seco).
Deixe arrefecer na forma 10 minutos antes de desenformar.
Polvilhe com a canela e sirva.


http://acozinhadakinhas.blogspot.com.br/

sexta-feira, 24 de março de 2017

20 Animais Muito Estranhos Que Existem Pelo mundo

Eles têm narizes esquisitos e olhos esbugalhados, alguns com aparência simpática, outros de poucos amigos, mas todos tem algo em comum: sua aparência estranha e incomum. Nós já apresentamos aqui no blog diversos posts de animais estranhos, bizarros, esquisitos, etc, mas a maioria dos desta lista nunca passou por aqui. Muitos destes animais exóticos não são muito conhecidos pelo simples fato de serem raros ou por viverem em lugares bem longe daqui. Juntamos todos eles e montamos uma lista super curiosa. Os melhores estão nas páginas finais do post. Acredite, você vai gostar! Confira:


1. Porcos-do-mar


Os porcos-do-mar são criaturas do fundo do mar que estão intimamente relacionados com os pepinos-do-mar e podem ser encontrados vivendo em grupos de cerca de 1.000 ou mais, nas profundezas do oceano.


2. Coelho Angorá


Vindo de Ankara, Turquia, os coelhos angorás eram animais de estimação populares entre a realeza francesa em 1700. Seus pelos são muito usados naquela região na confecção dos imensos casacos de frio.


3. Komondor

Komondor é uma raça de cão pastor originária da Hungria. Acredita-se que este cão tenha pertencido aos magiares, antigo povo húngaro, que usavam estes cães no pastoreio de ovelhas, já que, de pelagem branca e densa, eram facilmente confundidos com ursos e lobos, pelas ovelhas.

4. Peixe-gota


Feio é apelido! O peixe-gota habita as águas profundas das costas da Austrália e Tasmânia, e é raramente visto por seres humanos. Ele tem a capacidade de suportar a pressão alta das profundezas do mar porque seu corpo é uma massa gelatinosa que tem uma densidade um pouco menor que a água. Isto dá a ele a capacidade de flutuar sem usar muita energia. E por falar em feio, o peixe-gota foi eleito, numa iniciativa da Ugly Animals Preservation Society, em 2013, como o “animal mais feio do mundo”.


5. Rato-canguru

O rato-canguru é um roedor de cerca de 10 centímetros de comprimento muito parecido com as pequenas cobaias usadas em experiências de laboratórios. Eles vivem em regiões desérticas dos Estados Unidos, como o vale da Morte, no estado da Califórnia, um dos ecossistemas mais hostis do planeta. Além de não beber água nunca, o animal só se alimenta de grãos e folhas secas. Mas, então, como ele não morre de sede? Graças a sofisticados mecanismos fisiológicos, ele consegue oxidar sua alimentação – combinar o oxigênio com outras substâncias – produzindo água.

6. Tarsius


Tarsiers, que no Brasil são chamados de “társios”, são pequenos primatas que possuem olhos muito grandes (16 mm de diâmetro) em relação ao seu tamanho que não passa de 15 cm. Os olhos servem para que consigam manter suas atividades noturnas, quando é mais ativo. Receberam o nome “tarsier” por possuir os tarsos bem alongados nos pés, o que faz com que seus dedos sejam enormes e muito finos. 


7. Polvo-dumbo


O polvo-dumbo, batizado em homenagem ao elefante da Disney, pertence a uma das mais raras espécies de polvos existentes. O motivo são suas aletas superiores que se parecem com as orelhas do personagem. O maior indivíduo da espécie até então identificado possuía 1.8 metros de comprimento e aproximadamente 5.9 quilos. Estes seres são habituados a viver a cerca de 4.800 metros de profundidade. 


8. Toupeira-nariz-de-estrela


A toupeira-nariz-de-estrela é um pequeno mamífero cavador que vive em túneis que cava no subterrâneo na América do Norte. Esse animal é notável pelo seu nariz repleto de pequenos apêndices, como se fossem tentáculos, que servem como órgãos sensoriais de tato e ajudam a toupeira a se guiar no escuro de seus túneis. A toupeira necessita desses tentáculos para procurar alimento, já que, assim como muitas outras espécies de toupeiras, é cega.


9. Pescoço pelado

Pescoço-pelado ou pescoço-nú é uma raça de galinha que é naturalmente desprovida de penas no pescoço. As aves de pescoços nus são bastante comuns na Europa atual.
10. Urso-do-sol


Urso-do-sol ou urso-do-mel, é o nome do mamífero que é encontrado em florestas tropicais do sudeste da Ásia e nas ilhas de Sumatra e Bornéu. É considerado a menor espécie da família dos Ursídeos. É um animal onívoro que possui excelente olfato mas visão deficiente.

11. Gato Sphynx


No ano de 1966 em Ontário no Canadá, uma gata numa quinta, deu a luz em uma ninhada um gato totalmente nu. Na ninhada seguinte voltou a acontecer o mesmo, então estes gatos deram origem a uma nova raça que começaram a ser chamados “Moon’s Cats” (gatos da Lua), em seguida de “canadian naked” (pelado-canadense) e finalmente pelo nome que eles são chamados hoje: sphynx (esfinge). O nome foi escolhido pela semelhança com a grande esfinge de Gizé, localizada no Egito.


12. Loris


O loris é outro primata com olhos grandes e com personalidade “tranquila” que, apesar de ter um semblante preocupado, tem uma aparência pra lá de simpática. Eles são nativos das selvas do Sudeste da Ásia e estão relacionados com os lêmures – exceto pelo fato de serem muito mais bonitos. 


13. Gavial


O gavial é mais um animal da lista do tipo que, se não existisse internet, talvez você nunca saberia que ele existe. Pode ser encontrado nos rios da Índia e Nepal. A espécie difere dos demais crocodilianos pelo focinho estreito e alongado, e pela presença de uma protuberância nos machos adultos. Com registros de espécimes medindo até seis metros de comprimento, é uma das maiores espécies dentro da ordem Crocodylia. Outra característica única é a exteriorização dos dentes da metade anterior da maxila e da mandíbula quando a boca do animal está fechada. 


14. Peixe-sapo cabeludo

O peixe-sapo cabeludo (Antennarius striatus) é um peixe raro encontrado nas águas da Indonésia que tira proveito de sua própria aparência – que lembra uma vegetação marinha – para capturar seu jantar. Uma característica interessante deles é que eles “caminham” no fundo do mar com suas nadadeiras.

15. Jerboa-de-orelha-longa


Os jerboas-de-orelha-longa são pequenos mamíferos que se parecem com ratos, e que são constantemente confundidos com os ratos-canguru que vimos no início da nossa lista. Eles medem entre 70 e 90 mm, tem rabos com geralmente o dobro do seu tamanho e podem ser encontrados no Egito, na China e na Mongólia. Diferente dos ratos comuns que conhecemos, eles utilizam suas pernas para saltar e saem para aprontar somente de noite, além disso, seu prato principal NÃO é queijo, mas sim insetos.


16. Saiga


A saiga é uma espécie de antílope que habita certas áreas da Ásia, principalmente regiões desérticas. A característica que mais se faz notar na saiga é o seu nariz flexivel parecido com o do elefante que serve para aquecer o ar no inverno e impedir a inalação de poeiras e areias. 


17. Cegonha-bico-de-sapato


A cegonha-bico-de-sapato (Balaeniceps rex) é uma ave de bico grosso, grande, largo e comprido, com aparência de poucos amigos. Vive em regiões pantanosas na África e, apesar da aparência, não há com que se preocupar com eles, a não ser que você seja um peixe ou uma rã, pois eles se alimentam basicamente destes animais.


18. Solenodon paradoxus


Os solenodon paradoxus são pequenos mamíferos de olhos minúsculos e focinhos compridos encontrados na Ilha de São Domingos. É uma das únicas espécies de mamíferos venenosos que existe, capaz de injetar veneno em suas presas através de dentes especiais. 


19. Rato-toupeira-pelado


O rato-toupeira-pelado, assim como todos os roedores, possui dentes incisivos que nunca param de crescer e que precisam ser gastos constantemente. Eles gastam seus dentes cavando. Segundo pesquisas recentes, esses ratos tem uma longevidade maior do que outros ratos. Eles são resistente ao câncer e qualquer tipo de dor como fogo, pimenta e outros produtos químicos. Explicação para sua resistência pode ser o local onde os animais vivem, no subterrâneo, com níveis baixos de oxigênio e altas concentrações de amônia e dióxido de carbono, que afetariam nervos que o animal “desliga” para sobreviver. Pode ser encontrado na Somália, Etiópia central e no norte e leste do Quênia.


20. Aie-aie

O aie-aie é um primata estrepsirrino endêmico de Madagáscar. Além de ter uma aparência feia, tem hábitos noturnos, possui pelo negro e um dos seus dedos é maior, que usa para conseguir caçar larvas nos buracos das árvores. Os seus olhos também são grandes e possui boa visão noturna. Parece até difícil de acreditar, mas os aie-aies estão prestes a entrar na categoria “perigo de extinção,” pois os próprios habitantes da região onde ele vive o matam temendo sua “natureza maligna”. Mais uma prova de que a estupidez humana é responsável por grande parte dos problemas no nosso planeta.
Fonte: rockntech.com.br

Escarificação (Homens Crocodilos da Papua-Nova Guiné)...

Escarificação: Os homens Crocodilos


Próximo ao rio Sepik, nas montanhas da Papua-Nova Guiné, na Oceania, distante da cidade mais próxima através de 10 horas de canoagem, vive a tribo Kaningara. Seus membros são conhecidos como homens-crocodilos pois a tribo venera o crocodilo como um deus da natureza; considerando que residem em uma área do rio Sepik que tem mais de 1.100 km de extensão – local costumeiro para inundações e repleto desse animal venerado.


Residindo em ocas estrategicamente alojadas nos altos das montanhas e sobrevivendo da agricultura de subsistência, a tribo instala rituais de escarificação/flagelação, extremamente dolorosos – para marcar o processo de passagem do que conhecemos como época adolescente para a formação do homem adulto, que terá então, capacidade para proteger o bando.


Inicialmente os jovens são isolados por seis semanas em uma oca que fica no centro da aldeia, conhecida como “Casa dos Espíritos”, na qual somente podem adentrar outros homens da tribo que já tenham passado pelo ritual.


Durante essas semanas, esses jovens aprendem sobre a existência das coisas, através dos mais velhos, pois acreditam que o conhecimento é o que diferencia o jovem do homem.
Durante os dias finais, um crocodilo é capturado vivo e utilizado para acompanhar o ritual definitivo de escarificação, enquanto mulheres e crianças dançam e cantam.
Algumas fontes de pesquisa apontam que como parte desse processo, antes da escarificação ocorreria uma longa sessão de humilhação para testar a resistência e tenacidade dos jovens, na qual são tratados como mulheres e ridicularizados por toda tribo.
Processo de escarificação iniciado.
Finalmente avançam para a última etapa e a mais dolorosa, na qual cortes profundos são feitos no peito, mamilos, ombros, costas, braços, partes traseiras das coxas e nádegas dos indivíduos, imitando e reproduzindo desenhos de traços pequenos e intercalados que lembram as incongruências do couro dos crocodilos. A simbologia desse processo de transição que assemelha-se a uma tortura, dentre outras coisas, representa o ato do sangramento como a desconexão com o sangue materno. Geralmente o indivíduo submetido a esse ritual é acompanhado de um tio materno que fica com a missão de limpar o corpo do jovem, como ato simbólico para reinserção do sangue na linhagem familiar.
Ato de limpeza do sangue pelo tio materno como parte do ritual.
O ritual costuma levar duas horas em média, na qual as mulheres e crianças continuam realizando cânticos como forma de distrair os indivíduos, os ajudando a suportarem o processo, visto não ser utilizado qualquer tipo de anestésico.
Inicialmente no peito, em torno dos mamilos, desenham os olhos do crocodilo. Na região do abdômen são feitas as narinas, e nas costas, pernas (parte traseira) e nádegas – o lombo e rabo do crocodilo. Os desenhos variam em formatos, em muitos casos cobrindo totalmente os ombros e as costas.

Jovem sendo contido enquanto passa pelo processo.
Após finalizado o processo de escarificação, os agora homens da tribo – homens crocodilos, retornam para frente da grande oca, para serem contemplados pelos outros membros.
Ao longo das semanas, tratam as feridas profundas com óleo de palmeira para conter o sangramento. Por fim, para prover queloides maiores, mais salientes, os homens tomam banho em um rio lamacento, com intuito de causar infecção nas feridas, aumentando o tempo de recuperação e consequentemente o tamanho das cicatrizes.
Finalmente, após todo ritual excruciante, os membros da Kaningara estão oficialmente prontos para passar por qualquer coisa.

Observação: Muitas tribos africanas praticam rituais semelhantes de escarificação com cortes, em alguns casos denotando não somente o ritual de transição para a vida adulta, mas desenhos que irão distinguir diferenças sociais entre os membros da tribo, questões envolvendo beleza, e mesmo rituais de preparo para guerra.
Vídeo curto em inglês da National Geographic sobre o ritual:

Bônus Adicional: Tribo na Indonésia que pratica o cinzelamento dos dentes das mulheres.
Mulheres de vilas rurais na Indonésia após passarem por esse ritual de cinzelar os dentes (esculpir) em formato dos dentes de tubarões, são tidas como absurdamente lindas. Em Mantawaian, a esposa do chefe da aldeia, mesmo tendo evitado na adolescência passar por tal ritual, acabou submetida, por sua posição social como esposa do chefe, ao cinzelamento dos dentes para ficar mais bonita.
Processo de cinzelar os dentes na Indonésia.
Os ideais de beleza dessa região da Sumatra vão além de questões do corpo. Eles travestem transformações superficiais de rituais envolvendo não somente a questão externa do corpo, conectando à ligação com a alma, buscando o equilíbrio. Acreditam que a região onde vivem era antes dividida entre espíritos e seres humanos, e que existe uma ameaça de voltar a reinar o mundo do espíritos. Em outras palavras, o equilíbrio entre o corpo e alma proveria felicidade e satisfação (incluso igualmente tatuagens), portanto uma forma de afastar a morte.
Voltando a esposa do chefe da aldeia, o marido solicitou que ela passasse pelo processo. Afiar os dentes sem anestesia como recomenda o figurino desse ritual é extremamente doloroso.
Para passar pelo processo, a mesma foi até a casa comunal da aldeia, e nervosa e ao mesmo tempo ansiosa, relata não estar preocupada com a dor, pois segundo ela, se pensar na dor, não haverá mais beleza.
O “dentista” afia o cinzel e esculpe os dentes da esposa do chefe. Após terminado, ela recebe uma banana verde para mastigar e aliviar a dor. Ela se mostra aliviada e realizada, dizendo no fim do ritual que está feliz pois agora está mais bonita para o marido.

Vídeo curto em inglês da National Geographic a respeito:

Bônus Final: Escarificação explicitamente como forma de arte no corpo. 
Escarificação geralmente refere-se ao ato de cortar e esperar cicatrização formando desenhos ou retirar pedaços de pele, igualmente desenhando figuras desejadas no corpo.
Há ainda outros métodos de escarificação, como escarificação química, na qual é demarcada a área com o desenho e o restante das brechas são isoladas com produtos como vaselina. Geralmente se utiliza produtos oxidantes que após o procedimento de poucos minutos, é retirado com grandes quantidades de água, no processo tido como lavagem. Esse tipo de escarificação é estupidamente dolorosa e perigosa comparado a dor da escarificação mais comum com cortes. Além de apresentar muito mais riscos à saúde.

Escarificação por abrasão é outro método destruidoramente doloroso, e considerado muito raro. Nesse método se utiliza um objeto cortante para “roer” a pele, formando o desenho desejado.  O que causa muitos resíduos com sangue e pedaços de pele, tornando o processo muito trabalhoso, mais lento e consequentemente estendendo a dor à níveis surreais.
Exemplo de escarificação química
Escarificação com máquina de tatuagem é feita com a máquina de tatuagem, porém sem uso de tinta na agulha. Nesse processo passa-se a agulha várias vezes até formar o desenho; desenvolvendo uma cicatriz mais fina, quase invisível porém muito mais trabalhada justamente pelos detalhes que são possíveis ser feitos com a ponta de uma agulha.
Via de regra, assim como no processo dos Homens crocodilos, os praticantes de escarificações do mundo moderno buscam as queloides para ter um aspecto mais sobressalente das cicatrizes, utilizando produtos ácidos no processo de cicatrização como sucos de frutas ácidas e mesmo pasta de dente; assim retardando a cicatrização e aumentando as marcas.
Abaixo algumas imagens de Escarificação como forma de arte corporal:

Antes
Depois
Antes
Depois


a
https://www.issoebizarro.com/blog/mundo-bizarro/escarificacao-homens-crocodilos-da-papua-nova-guine-bonus-duplo/